Cientistas não encontram relação entre uso de telemóveis e cancro

Um estudo realizado na Austrália concluiu que não existe relação entre o uso habitual de telemóveis e os casos de cancro de cérebro no país.

O estudo realizado por especialistas comparou o aumento no número de ocorrências da doença no país e o colocou na perspectiva do crescimento no total de utilizadores de smartphones.

A conclusão: os australianos não estão a sofrer mais com a enfermidade. A percepção de mais casos de cancro deve-se à evolução na medicina e nos métodos de diagnóstico, que facilitaram a identificação e o tratamento.

Foram analisados casos de cancro de cérebro entre 1982 e 2012, colocados ao lado de informações sobre a utilização de telemóveis entre 1987 – ano em que começaram a operar no país – e 2012.

Os aparelhos móveis tornaram-se mais comuns a partir de 1997, quando então se deveria encontrar uma maior incidência da doença – o que não aconteceu.

Neste período, o estudo descobriu que, entre australianos de 20 a 84 anos, quase não houve alteração nas taxas de ocorrência de cancro no cérebro. Pelo contrário, esta permaneceu estável no caso das mulheres e teve um ligeiro aumento, de menos de 5%, entre os homens.

Tendo-se em conta que o grupo com mais utilizadores de smartphones se localiza na faixa etária dos 12 aos 45 anos, não foi possível encontrar relações entre as duas ocorrências.

O estudo encontrou um aumento na taxa de cancro no cérebro entre os idosos de 70 a 84 anos.

No entanto, segundo os investigadores, esse crescimento já vinha a acontecer desde 1982, cinco anos antes da chegada dos telemóveis à Austrália, e duas décadas antes de estes se tornarem comuns entre os cidadãos.

É aqui que entra a principal conclusão do estudo: não há no país mais vítimas da doença. Há apenas mais pessoas a ser diagnosticadas.

Os investigadores apontam ainda que estudos semelhantes, ainda em andamento ou já concluídos em países como a Nova Zelândia, Noruega, Estados Unidos e Inglaterra, encontraram resultados semelhantes, o quelhes parece suficiente para afirmar que não existe relação entre o uso constante de telemóveis e o cancro no cérebro.

O estudo surge como resposta a uma onda que se levantou no início do ano, quando o livro “Desligue-se: A verdade sobre radiação móvel, o que a indústria fez para esconde-la e como proteger sua família”, da cancerologista Devra Davis, foi publicado.

O título, que por si só já é bastante alarmista, foi muito noticiado imprensa australiana e foi mesmo tema de um documentário do canal ABC, gerando preocupação entre os cidadãos e até mesmo uma campanha contra a utilização de smartphones.

Canal Tech

PARTILHAR

6 COMENTÁRIOS

  1. Que estudo de “qualidade”!
    Eu também nunca encontrei deus, nunca vi dinossauros, etc, etc, logo, não existem!!

    • Para alguém que está sempre a insultar a inteligência dos outros, a “qualidade” deste teu comentário realça uma enorme falta dela, ou um atroz desconhecimento do método científico, ou uma bojarda falaciosa gratuita. Provavelmente, uma combinação das três anteriores.
      Em primeiro lugar, não podes dizer que não encontraste algo que não procuraste. Aposto que nunca procuraste Deus, nem dinossauros.
      Em segundo lugar, se procurasses Deus e dinossauros, dificilmente os encontrarias, o que não quer dizer que não existam.
      Em terceiro lugar, o facto de TU procurares dinossauros e não os encontrares, não quer dizer que pessoas devidamente qualificadas não tenham encontrado. Por exemplo, pessoas com inteligência procuraram e encontraram indícios e provas de que houve em tempos dinossauros.
      Mas mais do que isso, até me parece que é fácil encontrar indícios, aqui mesmo nestes comentários, de que ainda os há.
      Quanto ao que interessa – o método científico, funciona assim:
      Se 100 equipas de cientistas procurarem sinais da tua inteligência e não a encontrarem, não quer dizer que não exista, mas também não posso por de lado a hipótese de que exista. Só que não vou basear as decisões da minha vida a apostar que ela existe.

      • Sim, sim…
        Estávamos mesmo todos à tua espera, para nos “iluminares” com a tua sabedoria sobre o que é o método cientifico; tens é que o explicar a quem fez este “estudo”!!
        E, é óbvio que estes “estudos” são mesmo para lerdos (como tu)!…

  2. Claro, temos que acreditar, pois foi um estudo imparcial e patrocinado por gente séria, Apple, Samsung, Sony, Blackberry, etc…..

  3. Eu estou convencido que o facto do ramo das Telecomunicações, a par das Energias e da Banca, ser dos negócios que mais dinheiro geram no mundo…. Não teve “nada” a ver com o resultado deste estudo. Certo?

    Estes “manganatas” se tiverem que matar metade da população mundial para engordar um bocado as suas contas bancárias… Nem pestanejam.

    Cada vez gosto mais de corporações económicas e neo-liberalismo. Não admira que um estudo recente associe neo-liberalismo com sociopatia patológica. E não… ESSE estudo não foi encomendado por nenhum comuna.

RESPONDER

Cientistas reverteram principal sintoma da esquizofrenia em camundongos

Um medicamento que está atualmente a ser desenvolvido para tratar a leucemia reverteu (em camundongos) um sintoma de esquizofrenia anteriormente intratável: o enfraquecimento da memória de trabalho. A memória de trabalho é um processo cerebral fundamental usado …

Para as criaturas marinhas, as doenças infecciosas são a sentinela da mudança

Uma recente investigação analisou as mudanças nas doenças relatadas em espécies submarinas num período de 44 anos. A conclusão não surpreende: a saúde dos oceanos está a piorar a passos largos. A compreensão das tendências oceânicas …

Solidariedade e ambiente. Nos EUA, já é possível doar as suas peças Lego

Nunca somos demasiado velhos para brincar com peças Lego. No entanto, se estiver a ficar sem espaço para as arrumar e estiver à procura de uma forma de garantir que os seus blocos acabam em …

Eis os primeiros smartphones pensados e fabricados em África

https://vimeo.com/365789486 No Ruanda nasceram os primeiros rebentos do grupo Mara, que anunciou o lançamento dos seus dois primeiros smartphones. São os primeiros a serem totalmente fabricados em África. Estes são os dois primeiros smartphones totalmente fabricados em …

Siza Vieira recebe Grande Prémio da Academia de Belas-Artes francesa

O arquitecto Álvaro Siza Vieira recebeu o Grande Prémio de Arquitetura da Académie des Beaux-Arts, pelo conjunto do seu percurso, no valor de 35 mil euros. “É uma grande honra, porque é um prémio importante. É …

Para os jovens refugiados, um telemóvel pode ser tão importante quanto comida ou água

Entre 2015 e 2018, mais de 200.000 jovens não acompanhados reivindicaram asilo na Europa. Muitos deles, agora na União Europeia, têm uma coisa em comum: os seus smartphones. Não são apenas ferramentas para entretenimento nem uma …

Cientistas observaram pela primeira vez porcos a usar ferramentas

Uma equipa de cientistas registou pela primeira vez uma família de javalis das Visayas, num jardim zoológico em Paris, a usar paus para cavar e construir ninhos. Os porcos não gostam só de chafurdar na lama …

Transição verde: o mundo tem muito a aprender com uma pequena cidade na Islândia

Uma pequena cidade no norte da Islândia tornou-se quase neutra em dióxido de carbono (CO2). Uma equipa de cientistas viajou até ao país insular nórdico para descobrir como podemos aprender com esta cidade. Atualmente, as cidades …

Adolfo Mesquita Nunes não será candidato à liderança do CDS

Adolfo Mesquita Nunes anunciou este domingo que não será candidato à liderança do CDS. A garantia foi deixada pelo próprio, na sua página pessoal de Facebook, depois de ter sido desafiado por António Pires de …

Afastado desde a noite eleitoral, Rui Rio volta para lançar suspeitas sobre a RTP

Afastado dos holofotes desde a noite eleitoral e sem dizer se se vai recandidatar à liderança do PSD, Rui Rio recorreu ao Twitter para comentar as suas suspeitas sobre a RTP. O líder social-democrata recorreu às …