Estar sempre a testar-se é a melhor estratégia para aprender rapidamente

Um crescente corpo de pesquisa tem explorado uma estratégia de aprendizagem que parece ser bastante eficaz. Conhecido como “efeito do teste”, o fenómeno pode ajudar as pessoas a memorizar informações novas a longo prazo com maior precisão do que outros métodos como a revisão.

Por exemplo, ao aprender uma nova língua, em vez de ler e reler uma lista de palavras para melhorar seu vocabulário, é melhor lê-la apenas uma vez e, em seguida, testar a si mesmo repetidamente.

Um estudo de 2003 citado numa meta-análise feita por Henry L. Roediger III e Jeffrey D. Karpicke destaca o poder do teste para fazer uma informação perdurar na memória.

O estudo foi conduzido por Mark Wheeler, que pediu aos participantes para analisarem uma lista de 40 palavras cinco vezes, ou revê-la apenas uma vez e fazer quatro testes para memorizá-la. Depois, todos os voluntários fizeram um teste final 5 minutos ou uma semana depois da memorização.

Os resultados mostraram que os participantes que tinham lido a lista de palavras cinco vezes desempenharam muito melhor no teste final cinco minutos depois. Mas os participantes que tinham lido a lista apenas uma vez tiveram melhor desempenho no teste final uma semana depois.

Ou seja, os testes constantes pareceram ajudar a impulsionar a memória de longo prazo dos participantes.

Certo ou errado?

Estudos mais recentes sugerem que a combinação de testes com feedback imediato (descobrir se você respondeu certo ou errado) é ainda mais eficaz, podendo até melhorar a memória logo após a informação ser aprendida.

Um estudo de 2014 conduzido por Carola Wiklund-Hörnqvist pediu a 83 alunos de psicologia para estudar uma série de conceitos psicológicos durante quatro minutos.

Em seguida, metade dos participantes continuou a estudar esses conceitos, com cada um apresentado num ecrã durante 15 segundos de cada vez.

Enquanto isso, a outra metade fez seis testes nos quais tinham que dizer qual era o conceito descrito no ecrã. Por exemplo, se aparecia no ecrã “a melhoria na retenção da informação apresentada no início de uma lista”, os participantes tinham que responder “efeito de primazia” – e em seguida viam a resposta correta.

No fim do período de aprendizagem, todos os participantes fizeram um mesmo teste 18 dias e cinco semanas depois. Os que tinham sido testados anteriormente – ou seja, durante a aprendizagem – apresentaram melhor desempenho em todos os testes.

Vistos em conjunto, estes estudos e outras provas sugerem que a estratégia mais eficiente para se lembrar de alguma coisa – seja aprender um novo idioma ou estudar para uma teste – é simplesmente praticar recordá-lo. E a maneira fácil de fazer isso é testar-se repetidamente.

HypeScience

PARTILHAR

RESPONDER

Manchester City conquista título no sofá e com costela portuguesa. É o terceiro em quatro anos

O Manchester City garantiu hoje a conquista do seu sétimo título de campeão inglês de futebol, e terceiro em quatro anos, face ao desaire do Manchester United na receção ao Leicester (1-2), na 36.ª ronda. Com …

Venda da Groundforce pode ficar nas mãos do administrador de insolvência

A apreciação judicial do pedido de insolvência da Groundforce feito pela TAP ainda deverá demorar alguns meses. Até lá, o acionista maioritário terá de conseguir vender a sua parte, ou a decisão poderá passar para …

Estádio do Dragão vai receber final da Liga dos Campeões

O Estádio do Dragão, na cidade do Porto, vai ser o palco da final da Liga dos Campeões, entre Chelsea e Manchester City, agendada para 29 de maio. A hipótese de a cidade "Invicta" e o …

Ministério Público, viúva de Ihor e inspetores vão recorrer da sentença

Tanto o Ministério Público, como a viúva de Ihor Homeniuk e os inspetores do SEF, vão recorrer da decisão no caso da morte do ucraniano no aeroporto. Procuradora considera que penas foram demasiado leves. A decisão …

Entre a espada e a parede. Ministro do Ambiente de “olhos fechados“ em relação à agricultura intensiva

João Pedro Matos Fernandes, ministro do Ambiente, continua a fugir a perguntas sobre a expansão da área de estufas no Parque Natural do Sudoeste Alentejano, quando questionado em audição na comissão parlamentar de Ambiente sobre …

Uma questão de minutos. Os antigos romanos quase foram salvos da erupção do Vesúvio

Centenas de romanos antigos que fugiram da erupção do Vesúvio em 79 estavam a poucos minutos de serem resgatados num barco enviado pelo historiador Plínio, o Velho, quando morreram. Os esqueletos de 300 habitantes da cidade …

Regime de prevenção da corrupção isenta políticos e órgãos de soberania. Delação premiada gera críticas no PS

Os gabinetes dos principais órgãos políticos e de todos os órgãos de soberania, assim como o Banco de Portugal, vão ser excluídos do novo regime geral de prevenção da corrupção. De acordo com o jornal Público, …

”Pouco realista”. Banco de Portugal arrasa plano do Novo Banco para a dívida de Vieira

O Banco de Portugal considera que a reestruturação da dívida de Luís Filipe Vieira no Novo Banco é “pouco realista” e tem “pouca aderência à realidade”. A reestruturação da dívida do grupo de Luís Filipe Vieira …

Um treinador sem medo de errar e um plantel que pouco o fez. As razões para o título do Sporting

O Sporting sagrou-se, esta terça-feira, campeão nacional. Há várias figuras responsáveis pelo título dos 'leões', desde Rúben Amorim ao talentoso plantel. Apito final do Sporting CP-Boavista e os 'leões' voltam a conquistar o campeonato, 19 anos …

Identificada nova espécie de gato dente-de-sabre, uma das maiores de sempre

Usando técnicas detalhadas de comparação de fósseis, cientistas foram capazes de identificar uma nova espécie gigante de gato dente-de-sabre, que teria andado pela América do Norte entre há cinco e nove milhões de anos. De acordo …