Espanha confirma primeiro caso de varíola dos macacos numa mulher

1

Foi detectado em Espanha o primeiro caso confirmado de varíola dos macacos numa mulher, na região de Madrid. Até agora, a infecção só tinha sido detectada em homens, muitos dos quais homossexuais ou que mantinham sexo com homens.

Madrid é a região de Espanha onde têm surgido mais casos da chamada varíola dos macacos e foi também nesta comunidade que foi detectada a primeira infecção numa mulher.

Até agora, os países onde têm sido confirmados casos da infecção têm reportado apenas homens infectados, como é o caso de Portugal.

Esta situação de contágio na mulher infectada está “directamente relacionado com a cadeia de transmissão de relações entre homens“, de acordo com as autoridades de saúde citadas pelo jornal El Mundo.

O porta-voz do Governo da Comunidade de Madrid, Enrique Ossorio, apelou ao Ministério da Saúde de Espanha que compre “o mais rápido possível” as vacinas existentes, para as administrar aos contactos directos das pessoas que já estão infectadas, para “isolar totalmente a infecção”, como cita o El Mundo.

“Se nos quatro dias seguintes ao contacto, se vacina uma pessoa que poderia ter a varíola dos macacos por um contacto que tenha mantido, não sofre da doença e se se fizer dentro de 14 dias, os sintomas são severamente removidos“, explica Ossorio aos jornalistas.

Vários países, entre os quais Portugal, estão a equacionar a compra centralizada de vacinas através do mecanismo central europeu.

O Reino Unido segue na frente com o maior número de casos (106) de varíola dos macacos, seguindo-se Espanha (98) e Portugal (74).

O El País atesta que, pelo menos, seis países já detectaram caso de varíola dos macacos em viajantes procedentes de Espanha. Também foi reportado um caso na Bélgica com ligações a Portugal, o que atesta a transmissão comunitária do vírus.

Em Espanha, foi feita a sequenciação de 100% do genoma do vírus, nos casos detectados no país, e concluiu-se que está em causa a variante “de menor virulência“, como atesta o El País.

  ZAP //

1 Comment

Deixe o seu comentário

Your email address will not be published.