Caso belga de monkeypox tem ligações a Portugal

Equipa belga aponta que esta relação evidencia ainda mais a disseminação substancial comunitária do vírus na Europa.

Uma amostra recolhida no Instituto de Medicina Tropical da Bélgica para investigações relacionadas com o vírus monkeypox revelou a existência de um histórico de viagem do sujeito a Portugal, especificamente a Lisboa. A notícia foi avançada pelo jornal Público, que adianta que o estudo e as suas conclusões foram publicadas num fórum de discussão aberta.

Em causa está um homem de 30 anos cuja amostra recolhida remete para o genoma “quase completo” do vírus monkeypox, ou varíola dos macacos, em português. Através do rastreamento, os investigadores perceberam que o indivíduo se tinha deslocado à capital portuguesa, não sendo conhecida a data da viagem.

Segundo as informações publicadas no fórum, e citadas pelo mesmo jornal, o paciente apresentou-se no Instituto de Medicina Tropical a 13 de maio com “pápulas (lesões sólidas que aparecem na pele com menos de um centímetro) perianais” e com “adenopatia inguinal bilateral (gânglios linfáticos com tamanho, número ou consistência anormal) dolorosa, com um cêntímetro”.

Desde então, prossegue o texto, “o seu parceiro desenvolveu sintomas semelhantes”. Os autores ressalvam que as amostras foram ainda negativas para o vírus Herpes Simples e Treponema pallidum – um conjunto de bactérias que causam doenças como sífilis, bejel, pinta e bouba. “Conseguimos reconstruir 98,9% do genoma. A análise filogenética preliminar mostra claramente que o genoma obtido pertence ao subgrupo da África Ocidental do VMPX e está mais intimamente relacionado com o genoma recentemente publicado do surto em Portugal”.

Desta forma, a equipa de cientistas parece não duvidar de que estas provas confirmam a disseminação substancial da comunidade na Europa”.

A publicação belga coincidiu com uma outra, portuguesa, feita pelo Instituto Nacional de Saúde Doutor Ricardo Jorge onde se dá conta que a amostra usada para a análise foi recolhida a 4 de maio, evidenciando que a há mais de duas semanas que existem casos de monkeypox em Portugal.

  ZAP //

Deixe o seu comentário

Your email address will not be published.