As lulas brilham no escuro para “falar” no mar profundo

Os animais podem não falar, mas têm as suas próprias formas de comunicação. Os cefalópodes, como o polvo e a lula, produzem luzes coloridas com células de pigmento chamadas cromatóforos.

Estes animais iluminam os seus corpos para comunicar. Porém, o mistério é outro: como é que esses padrões coloridos são visíveis entre animais individuais, com a lula-de-Humoldt, na escuridão do mar profundo?

A resposta está no uso de órgãos de luz bioluminescentes conhecidos como fotóforos, que lhes permite brilhar por dentro, iluminando as mudanças de padrões escuros na pele.

“As lulas-de-Humboldt têm pequenas agregações de tecido luminescente – pequenos pontos espalhados pelos seus músculos”, disse Benjamin P. Burford, da Universidade de Stanford, em declarações à Smithsonian Magazine. “Em vez de projetar a luz para o exterior, esses fotóforos irradiam luz dentro do tecido do corpo. Fazem todo o animal brilhar”.

As lulas-de-Humboldt são criaturas sociais e vivem em grupos de centenas nas águas do alto mar. Estes animais conseguem efetivamente comunicar entre si visualmente mesmo a profundidades de 180 metros ou mais.

A equipa de investigadores observou grupos ativos de lulas-de-Humboldt gravadas em veículos remotamente operados (ROVs) pelo Monterey Bay Aquarium Research Institute, na costa da Califórnia.

As lulas-de-Humboldt podem atingir até metro e meio de comprimento, o que tornaria as caçadas em grupo particularmente caóticas, se não fosse o seu estilo único de comunicação bioluminescente.

Essas lulas iluminam-se, usando órgãos produtores de luz nos seus músculos, que iluminam a mudança dos padrões de pigmento na sua pele. Os cientistas pensam que o pigmento é a mensagem e as lulas usam bioluminescência para tornar as suas comunicações visíveis.

Os investigadores observaram que os grandes cefalópodes conseguiam coordenar os seus movimentos durante uma perseguição, nunca esbarrando um no outro ou perseguindo a mesma presa. Isto sugere que o comportamento era uma forma de se sinalizarem um ao outro e se coordenarem durante uma caçada.

“É como sinal de mudança de direção no trânsito“, explicou Burford. “É preciso sinalizar para dizer às pessoas o que vai fazer”.

Além disso, as lulas também parecerem reordenar os padrões das suas exibições visuais à medida que se comunicam, como se estivessem a gerar frases diferentes, reorganizando as palavras.

O comportamento também foi observada em estudos com lulas-de-Humboldt em águas rasas, quando desovam ou colocam ovos, o que significa que a espécie possivelmente usa a cintilação para propósitos diferentes.

Até agora, foram identificados 28 padrões de pigmentação diferentes nas lulas-de-Humboldt. Burford e os seus colegas querem agora decifrar o código visual da lula.

ZAP //

PARTILHAR

RESPONDER

Raro crustáceo parasita descoberto na boca de um tubarão em exibição num museu

Uma equipa de cientistas descobriu uma espécie extremamente rara de Cymothoidae na boca de um espécime de tubarão capturado no Mar da China Oriental e agora em exibição num museu. Os Cymothoidae são uma família de isópodes …

Série da Netflix faz disparar venda de jogos de xadrez nos Estados Unidos

A série "The Queen’s Gambit", da plataforma de streaming Netflix, que retrata a ascensão de uma jovem jogadora de xadrez na década de 1950, fez disparar as vendas deste jogo de tabuleiro nos Estados Unidos. …

Novo comité central do PCP eleito com 98,5%

O novo comité central do PCP foi este domingo eleito no XXI congresso nacional dos comunistas, em Loures, com 98,5% dos votos. Dos 611 delegados, 602 votaram a favor, seis abstiveram-se e três votaram contra na …

Elefante salvo de um poço profundo na Índia. Resgate durou 14 horas

Uma equipa de 50 pessoas ajudou a salvar um elefante que tinha caído num poço profundo em Dharmapuri, no sul da Índia. Moradores locais atiraram folhas de bananeira para o animal comer antes de ser …

Santa Clara 0-1 Porto | Magia de Díaz resolve jogo pobre

Missão cumprida. O Porto viajou até aos Açores para defrontar o Santa Clara e leva na bagagem os três pontos. Mas não o conseguiu com brilhantismo, longe disso. A eficácia foi a palavra de ordem, num …

Raro pinguim totalmente branco encontrado nas Ilhas Galápagos

Um raro pinguim com o corpo totalmente "pintado" de branco foi encontrado no arquipélago das Galápagos, no Equador. Em comunicado, o Parque Nacional das Galápagos detalha que o raro espécime foi encontrado enquanto um guia fazia …

A China tem 8 milhões de cegos, mas apenas 200 cães-guia. Há uma razão

A China tem 8 milhões de cegos, mas apenas 200 cães-guia. As cidades populosas, as vias não adaptadas, as poucas escolas de treino e a própria população são entraves à existência destes companheiros (e verdadeiros …

Governo das Ilhas Salomão quer banir o Facebook para preservar a União Nacional

O Governo das lhas Salomão quer banir temporariamente a rede social Facebook numa tentativa de combater o cyberbullying e a difamação, alegando que a plataforma está a "minar" a União Nacional. A decisão, que já …

Sob o nariz dos militares norte-coreanos, ex-ginasta salta muro de 3 metros e foge para a Coreia do Sul

Um homem norte-coreano que queria escapar da sua terra natal deu um salto de quase três metros num muro no início deste mês. O salto, que ocorreu sob os narizes dos soldados, trouxe-o para a …

Islândia quer tornar-se um refúgio para o teletrabalho. Mas não é para todos

A Islândia fez uma série de alterações no seu programa de vistos de trabalho remoto para cidadãos foram do espaço Schengen, tendo como objetivo tornar-se num destino atraente para os trabalhadores que procuram escapar dos …