Escola nos EUA trocou castigos por meditação (e está a dar resultado)

Uma escola em Baltimore, nos Estados Unidos, decidiu acabar com os tradicionais castigos para punir os alunos mais traquinas. Em vez disso, aposta em exercícios de meditação.

Se um aluno começa a portar-se mal dentro da sala de aula, a reação natural da maioria dos professores é ameaçá-lo com castigos ou punições com o objetivo de o fazer parar.

Ao olhar para trás, quase todos nós nos podemos lembrar daquela vez em que ficamos virados para a parede ou em que tivemos mesmo de sair da sala.

E a questão que se coloca é: afinal qual será o resultado deste tipo de métodos? Possivelmente nenhum porque o aluno fica sem produzir e também não é obrigado a refletir sobre o que aconteceu.

Por isso, numa escola em Baltimore, nos Estados Unidos, está a ser testado um método completamente diferente do habitual, uma alternativa “fora da caixa”.

A ideia da escola primária Robert W. Coleman é convidar os alunos, que num situação normal seriam colocados de castigo, a refletir, a acalmar-se e a meditar (literalmente).

Em vez de uma sala vazia e na qual impera o tédio, os alunos são levados para um lugar com almofadas e colchões, onde podem fazer exercícios de respiração e de meditação.

E o bom do projeto, lançado com a ajuda da fundação Holistic Life, é que este não serve apenas para levar a melhor dos alunos mais “traquinas”.

A iniciativa também permite às crianças terem yoga e meditação como uma atividade extra-curricular o que, muitas vezes, faz com que acabem por levar estes hábitos para casa.

“Os pais comentam connosco que, às vezes, estão em casa stressados e os filhos sugerem que se sentem, se acalmem e respirem fundo”, conta Andres Gonzales, que faz parte da fundação parceira.

O projeto tem ainda uma componente educativa sobre o meio ambiente e a agricultura, dois temas fundamentais para que os “adultos do futuro” possam ser ecológicos e sustentáveis.

Recorde-se que Baltimore é uma das cidades norte-americanas bem conhecidas pelos seus problemas sociais.

Mas, para já, os resultados estão a ser bastantes visíveis: os níveis de suspensão, punição e expulsão caíram para zero nesta escola – e, pelos vistos, dentro de casa também.

ZAP / Hypeness

PARTILHAR

2 COMENTÁRIOS

  1. A ser verdade que já se pratica em muitas escolas e à muito tempo, porque não são conhecidos provas e resultados dessa prática?
    Seria interessante para se poder tirar conclusões que sendo vantajosas, se possa adoptar essa prática no maior número de escolas possível?

RESPONDER

Benfica estuda contratação de Guendouzi para motor do meio-campo

Mattéo Guendouzi, internacional sub-21 francês que esta época esteve emprestado Hertha pelo Arsenal, está a ser sondado para o meio-campo benfiquista. O Benfica continua a tentar perceber qual é o melhor reforço para o meio-campo, cobrindo …

Ousmane Dembélé

França com baixa de peso (e há quem peça "a equipa B contra Portugal")

A Selecção francesa não vai poder contar com Ousmane Dembélé para o jogo de quarta-feira contra Portugal, no encerramento da fase de grupos do Euro 2020. Uma lesão tira o avançado do Barcelona do torneio. O …

Portugal regista recorde de alunos estrangeiros no Ensino Superior

A procura de alunos estrangeiros por instituições de Ensino Superior portuguesas atingiu o valor mais alto de sempre: 3.483 candidaturas feitas por estudantes internacionais até 31 de maio. Os dados são avançados pelo Ministério da Ciência, …

FC Porto já tem acordo por Kim Min-jae

O FC Porto já chegou a acordo com o Beijing Guoan para a contratação de Kim Min-jae, defesa-central de 24 anos. O sul-coreano é treinado por Paulo Bento na seleção e já andava sob a mira …

Única central nuclear iraniana suspende atividade após situação de emergência

A única central nuclear do Irão registou, este domingo, uma situação de emergência temporária que implicou a suspensão da sua atividade e por motivos ainda inexplicáveis, informou a televisão estatal. Um responsável da empresa elétrica estatal …

Forças Armadas com mais 252 operacionais prontos para apoiar no combate à pandemia

As Forças Armadas têm 252 militares prontos para ajudar no combate à pandemia, dos quais mais de metade para apoiar a Administração Regional de Saúde de Lisboa e Vale do Tejo (ARSLVT). Atualmente, esta é a …

UEFA investiga incidentes discriminatórios no Hungria-Portugal

A UEFA anunciou ter aberto um inquérito para apurar “eventuais incidentes discriminatórios” nos jogos da Hungria, no Euro 2020 de futebol, com Portugal (0-3) e França (1-1), disputados na Arena Puskás, em Budapeste. De acordo com …

Financiamento da TAP travado em Bruxelas

O plano de reestruturação da TAP, que prevê injetar na empresa até 3,72 mil milhões de euros até 2024, continua à espera de uma resposta de Bruxelas. O Governo esperava obter luz verde de Bruxelas em …

Jogos Olímpicos vão poder ter até 10 mil japoneses nas bancadas

As autoridades japonesas decidiram permitir que até 10 mil espetadores possam assistir aos eventos dos Jogos Olímpicos Tóquio 2020 nas bancadas, mesmo reservando o direito de reverter a decisão. Segundo o anúncio dos organizadores, as autoridades …

Arqueólogos descobriram que viveram pessoas no "Stonehenge alemão"

Arqueólogos descobriram que viveram pessoas no "Stonehenge alemão", um local arqueológico conhecido pelas evidências de rituais e sacrifícios humanos. De acordo com o site Live Science, uma equipa de arqueólogos encontrou cerca de 130 casas no …