Escaravelhos provam que lutar por parceiras pode ajudar a sobreviver à perda de habitat

Animais por todo o mundo estão a ver os seus habitats mudarem devido às alterações climáticas. Se quisermos entender como estas mudanças afetarão os animais, precisamos de entender melhor como a sua biologia pode determinar a sobrevivência a essas mudanças.

Investigadores da Queen Mary University of London publicaram um estudo, esta segunda-feira, na revista Ecology Letters, que demonstra o quão importante é o sistema de acasalamento de um animal. Os cientistas descobriram que as espécies cujos machos competem por parceiras são mais propensas a sobreviver a mudanças prejudiciais ao meio ambiente.

Em muitas espécies, os machos tentam seduzir as fêmeas, enquanto noutras tentam monopolizar o acesso às fêmeas ao combater outros machos com armas como chifres.

Esta competição por parceiras ajuda a impulsionar a evolução dessas espécies, num processo chamado de seleção sexual. Os parceiros mais atraentes ou mais agressivos são mais propensos a passar os seus genes para a próxima geração e produzir mais descendentes com as suas características.

Há várias razões para acreditar que o acasalamento competitivo pode afetar a resiliência de uma espécie à mudança ambiental. Primeiro, os sinais e armas que frequentemente evoluem nas espécies em que a competição é mais intensa custam a crescer e carregar.

Eles podem tornar os animais mais visíveis para os predadores, e as exibições extravagantes para as fêmeas podem gastar enormes quantidades de energia. Portanto, estas espécies poderiam ser menos capazes de lidar com as mudanças ambientais.

Por outro lado, a competição entre machos por companheiras significa que apenas alguns machos particularmente fortes, saudáveis ou energéticos “vencem” e são pais da maioria da próxima geração. Se o ambiente estiver a mudar, os machos geneticamente mais adequados para o novo ambiente provavelmente estarão nas melhores condições.

Se esses machos terminarem como vencedores da competição pelo acasalamento, os seus genes vão espalhar-se mais rapidamente. Uma seleção sexual tão forte poderia fazer com que as populações de animais se adaptassem mais rapidamente a novos ambientes, tornando-os mais resilientes a mudanças.

Uma série de estudos constatou que a seleção sexual forte melhora os resultados para as espécies animais quando o ambiente ideal muda. No entanto, outros estudos de animais no terreno não encontraram nenhum efeito da seleção sexual. Por exemplo, quando aves foram introduzidas em ilhas como a Nova Zelândia, as espécies que são mais sexualmente aptas têm menor probabilidade de se estabelecerem.

Escaravelhos

O necessário era um estudo de campo sobre a seleção sexual e persistência em populações maiores. Para esse fim, Rob Knell e os seus colegas conduziram um estudo sobre como os escaravelhos-sagrados respondem às mudanças ambientais na floresta tropical de Sabah, na Malásia.

Os escaravelhos-sagrados são animais fascinantes por várias razões, sendo uma das quais a diversidade das suas vidas sexuais. Enquanto alguns competem por acasalamentos, outros enterram estrume diretamente sob o local onde o encontram, e são esses mesmo que mostram uma variabilidade muito maior.

Usando um estudo de grande escala existente chamado Projeto SAFE, os cientistas seguiram 34 espécies de escaravelhos encontrados em florestas “antigas” intactas. Verificaram que as espécies com chifres eram mais propensas a sobreviver em todos os casos. Surpreendentemente, todas as 11 espécies restantes no ambiente mais perturbado tinham chifres.

Os investigadores também compararam espécies com chifres relativamente pequenos com aqueles com chifres maiores. Consequentemente, descobriram que as espécies de escaravelho com chifres grandes não só são as mais propensas a sobreviver em ambientes hostis, como também tendem a ter tamanhos populacionais maiores.

Isto mostra que em alguns casos particulares, pelo menos, devemos pensar sobre a seleção sexual, assim como outros aspetos da biologia de um animal, se quisermos prever ou controlar o tamanho das populações diante das mudanças ambientais.

PARTILHAR

RESPONDER

Encontradas ruínas de uma cidade chinesa construída há 5.300 anos

As ruínas de uma antiga cidade chinesa com 5.300 anos foram encontradas por uma equipa de investigadores. A descoberta revela um planeamento urbano sem precedentes. Uma equipa de investigadores encontrou as ruínas de uma antiga cidade …

Twitter coloca alerta de "verificação de factos" em publicações de Donald Trump

O Presidente dos Estados Unidos rejeitou na terça-feira a interferência do Twitter na "liberdade de expressão" que a rede social exerceu diretamente contra um texto publicado, através do novo processo de verificação de mensagens. "O Twitter …

PSP detém dois polícias suspeitos de integrar grupo criminoso violento

Dois polícias foram detidos numa operação que a PSP está a realizar, esta quarta-feira, em várias zonas do país, em particular em Lisboa e em Setúbal, no âmbito de uma investigação sobre um grupo criminoso …

Queda de 7% do PIB e desemprego nos 10%. As previsões do Governo divulgadas aos partidos

Queda de 7% no PIB, défice de 6,5% e taxa de desemprego a atingir os 10%. Estas são as previsões macroeconómicas do Governo, que continuou esta terça-feira a ronda com os partidos com assento Parlamentar. …

Proteína "antienvelhecimento" que atrasa crescimento celular é fundamental na longevidade

Uma equipa de cientistas identificou uma nova proteína antienvelhecimento, que controla o metabolismo das outras proteínas, um processo implicado no envelhecimento e na doença. Os seres humanos estão a viver mais do que nunca. No entanto, …

Em protesto, as farmácias vão fechar 23 minutos. Infarmed avisa que podem sofrer sanções

As farmácias estão vinculadas a obrigações legais e incorrem em sanções, avisou terça-feira a Infarmed, em resposta à Associação Nacional das Farmácias (ANF) que anunciou para esta quarta-feira uma paragem simbólica dos serviços farmacêuticos. “Inerente ao …

"Falta de confiança". Pedro Rodrigues demite-se de coordenador da bancada do PSD em rutura com Rio

O deputado do PSD Pedro Rodrigues demitiu-se esta terça-feira do cargo de coordenador da bancada na Comissão de Trabalho e Segurança Social, invocando "falta de confiança" do presidente do partido e do grupo parlamentar, Rui …

Morreu o antigo jogador do Sporting Maurício Hanuch. Tinha 43 anos

O argentino Maurício Hanuch, ex-futebolista do Sporting, morreu esta terça-feira, aos 43 anos, vítima de doença prolongada. Numa nota divulgada no seu site site, os leões manifestam o seu pesar pela morte do antigo jogador, Maurício …

Cientistas conseguiram controlar as decisões de macacos através de estimulação cerebral

Ondas ultrassónicas de alta frequência, destinadas a regiões cerebrais específicas, podem mesmo influenciar o comportamento dos macacos. O cérebro é um órgão muito difícil de tratar. Além de a grande maioria dos medicamentos ter vários efeitos …

Raios cósmicos podem ter desempenhado um papel fundamental na origem da vida

A influência dos raios cósmicos no início da vida na Terra pode explicar a preferência da natureza pela estrutura das moléculas biológicas. Dois investigadores da Universidade de Stanford, nos EUA, sugerem que a interação entre proto-organismos …