Eriksen: “Só não me lembro de como foi estar no céu”

1

Friedemann Vogel / POOL / EPA

Internacional dinamarquês nunca mais jogou desde a paragem cardíaca durante o Europeu 2020, mas quer jogar no Mundial deste ano.

É a entrevista da semana, provavelmente já do ano, no desporto dinamarquês: Christian Eriksen aceitou falar com a estação televisiva DR e, como seria de esperar, o ponto central da conversa foi a paragem cardíaca que o médio sofreu durante um jogo do Europeu 2020.

Logo na primeira jornada da fase de grupos, perto do intervalo do Dinamarca-Finlândia, o jogador caiu e causou o pânico em todas as pessoas no estádio. Sobreviveu e agora partilhou as suas memórias. As suas primeiras palavras foram sobre a sua idade real.

“Lembro-me de receber a bola, de passar a bola e depois senti uma caibrã na perna e desmaiei. Ficou tudo escuro e, quando acordei da reanimação, foi como se tivesse tido um sonho. Estava muito longo daquele local e não me lembrava de nada. Aos poucos fui-me apercebendo de que estava rodeado de médicos, comecei a ouvir vozes e, quando ouço dizerem que tenho 30 anos, recuperei a consciência e disse que só tinha 29″, contou.

“Estava de costas quando despertei. Senti os médicos a pressionarem-me. Fiz esforço para respirar e foi aí que comecei a ouvir as vozes dos médicos. Naqueles momentos fiquei a pensar: mas porque é que estou deitado? Estou saudável. Os meus primeiros pensamentos foram: «Parti as costas. Ou será que consigo mexer as pernas? Olha, consigo mexer os meus dedos dos pés». Lembro-me de pequenas coisas como estas. Lembro-me de tudo, excepto dos minutos em que estive no céu“.

Depois deste incidente foi implantado um desfibrilador para controlar o seu ritmo cardíaco. O dinamarquês não receia uma repetição daquela quebra: “Não tenho receio de que aquilo volte a acontecer. E, caso aconteça, é muito reconfortante saber que tenho alguma coisa que me ajuda”.

Por isso, sobretudo por ter um desfibrilador, Eriksen assegurou que não está preocupado. E pediu algo: “As pessoas podem parar de se preocupar porque eu não tenciono ter outra paragem cardíaca. Tive alta médica. Fui testado, monitorizado tanto quanto é possível”.

Christian Eriksen não voltou a jogar. Durante estes sete meses, primeiro repousou. Depois ainda tentou regressar ao Inter Milão mas em Itália não é permitida a presença em campo de futebolistas com um desfibrilador. E voltou a treinar, num clube dinamarquês.

Naqueles minutos após a paragem cardíaca, o próprio disse que nunca mais iria jogar futebol. Mas agora assegura que quer jogar no Mundial 2022: “O meu objectivo é ir ao Mundial, eu quero continuar a jogar. Agora se vai acontecer…isso é outra conversa, que não depende só de mim”.

“Fisicamente estou em boa forma e ainda tenho algum tempo para voltar a jogar e encontrar o nível necessário para ser chamado. O meu coração não é um obstáculo“, assegurou o médio.

  Nuno Teixeira da Silva, ZAP //

1 Comment

Deixe o seu comentário

Your email address will not be published.

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE