Equador. Presidente foge da capital após manifestantes invadirem o Parlamento

Archivo Medios Públicos EP / Flickr

O Presidente do Equador, Lenín Moreno

O Presidente do Equador, Lenín Moreno, impôs na terça-feira um recolher obrigatório noturno depois de manifestantes, alguns com escudos de madeira, terem rompido um cordão de segurança em torno da Assembleia Nacional.

Lá dentro, os manifestantes agitaram bandeiras e entoaram cânticos antes de serem obrigados a sair pelas forças de segurança. Não havia funcionários no edifício no momento da invasão, noticiou a BBC, citada pelo Expresso esta quarta-feira.

Lenín Moreno viu-se forçado a mudar temporariamente a sede do Governo da capital, Quito, para a cidade portuária de Guayaquil.

O anúncio na semana passada do fim dos subsídios que mantinham os preços dos combustíveis baixos desencadeou uma greve dos sindicatos de transporte. Os sindicatos acabaram por suspender a paralisação mas os protestos continuaram.

Manifestantes indígenas têm bloqueado estradas um pouco por todo o país e milhares viajaram até à capital para se juntarem à contestação.

O balanço feito pelas autoridades locais aponta para dois mortos, dezenas de feridos e quase 600 detenções nos últimos dias. Alguns dos bloqueios de estradas afetaram a distribuição de gasolina, levando à escassez de combustível nalgumas partes do país.

Outros edifícios governamentais, além da Assembleia Nacional, foram atacados e danificados, relata a imprensa local.

Lenín Moreno declarou uma emergência nacional de dois meses devido à instabilidade mas sublinhou que “sob nenhuma circunstância” irá demitir-se. “Não percebo por que motivo deveria fazê-lo se estou a tomar as decisões certas”, disse.

O Presidente afirmou que os subsídios, que custam ao Governo cerca 1,2 mil milhões de euros por ano, já não são suportáveis. A eliminação dos subsídios, introduzidos nos anos 1970, fazem parte do plano de Lenín Moreno para reforçar a debilitada economia equatoriana e aliviar o peso da dívida.

O Governo concordou em cortar os gastos públicos como parte de um acordo de empréstimo com o Fundo Monetário Internacional.

Os confrontos atuais são os mais graves dos últimos anos, tendo os protestos liderados por indígenas derrubado três Presidentes nas últimas décadas. Lenín Moreno já se mostrou aberto à mediação internacional, nomeadamente através das Nações Unidas ou da Igreja Católica.

ZAP // //

PARTILHAR

RESPONDER

"Não sou condicionável por coisa nenhuma". Tomás Correia diz que não sai do Montepio

O presidente da Associação Mutualista Montepio Geral (AMMG), António Tomás Correia, afirmou esta quinta-feira que não é “condicionável por coisa nenhuma”, recusou estar a ser afastado da mutualista e reiterou que não sairá no dia …

Ministra da Saúde quer enfermeiro de família para todos os portugueses

A ministra da Saúde, Marta Temido, quer que todos os portugueses tenham um enfermeiro de família atribuído até ao final da próxima legislatura, à semelhança da meta traçada para os médicos de família. Na abertura do …

Rei de Marrocos indulta jornalista marroquina condenada por aborto

O rei de Marrocos, Mohamed VI, indultou a jornalista Hajar Raissouni, recentemente condenada a um ano de prisão por "aborto ilegal" e "relações sexuais fora do casamento", segundo um comunicado oficial. A mulher, de 28 anos, …

Morreu Elijah Cummings, um dos democratas que investigava Trump

O congressista norte-americano Elijah Cummings, uma das figuras do Partido Democrata mais respeitadas na oposição pela sua frontalidade e por acalmar protestos violentos e desentendimentos entre adversários, morreu esta quinta-feira, aos 68 anos. A notícia da …

Risco de pobreza em Portugal é o mais baixo de sempre. Mas há 330 mil menores em risco

O ano de 2017 trouxe melhorias às condições de vida da população, com o risco da pobreza a atingir 17,3% dos residentes em Portugal. É a taxa mais baixa desde que este indicador é tratado, …

Maria Martins conquista bronze nos Europeus de ciclismo de pista

Maria Martins venceu nesta quarta-feira a medalha de bronze no “scratch” feminino dos Europeus de ciclismo de pista, que nesta quarta-feira arrancaram em Apeldoorn, na Holanda. Depois de várias medalhas em Europeus sub-23, a ciclista de …

Carlos César: Firmar um acordo com o Bloco descriminaria os restantes partidos de esquerda

O dirigente socialista Carlos César mostrou-se esta quarta-feira confiante que o novo Governo será para quatro anos, considerando ainda que firmar um acordo com o Bloco de Esquerda seria discriminar os restantes partidos de esquerda. …

Médico que deixou bebé nascer sem rosto tem quatro processos na Ordem

O obstetra que não detetou malformações graves num bebé que acabou por nascer sem rosto no início deste mês, em Setúbal, tem quatro processos em curso no conselho disciplinar da Ordem dos Médicos. A informação foi …

Tensão na Catalunha afeta realização do Barcelona-Real Madrid

A violência dos protestos na Catalunha está a fazer com que a Liga e a Federação de futebol espanholas repensem a ideia de o clássico entre Barcelona e Real Madrid se realizar em Camp Nou. O …

Assis critica novo Governo do PS. É "muito António Costa" e feito só para dois anos

O ex-eurodeputado do Partido Socialista (PS) Francisco Assis não poupou nas críticas ao novo Governo, que António Costa apresentou ao Presidente da República na terça-feira ao final do dia, considerando que este é um executivo …