Uma epidemia de coronavírus pode ter atingido a Ásia há 25 mil anos

Um novo estudo sugere que um antigo coronavírus, ou um patógeno intimamente relacionado, desencadeou uma epidemia no leste asiático há cerca de 25 mil anos.

David Enard, geneticista evolucionário da Universidade do Arizona, em Tucson, analisou o ADN de mais de 2 mil pessoas e os resultados mostraram que mudanças genéticas em resposta a essa epidemia se acumularam ao longo dos cerca de 20 mil anos seguintes.

A descoberta levanta a possibilidade de que alguns habitantes do leste asiático de hoje tenham herdado adaptações biológicas aos coronavírus ou vírus intimamente relacionados, escreve o portal Science News.

A descoberta abre a caixa de pandora para explorar como é que os genes associados a antigas epidemias podem contribuir para os surtos de doenças modernas, como a pandemia de covid-19. Adicionalmente, podem fornecer pistas para melhores medicamentos antivirais.

Os dados genéticos, analisados por Enard, pertenciam a indivíduos de 26 populações étnicas e a equipa de investigadores focou-se em 420 proteínas conhecidas por interagirem com coronavírus.

A produção substancialmente aumentada de todas as 420 proteínas, um sinal de exposições anteriores a epidemias semelhantes ao coronavírus, apareceu apenas em asiáticos orientais. Do total, 42 proteínas remetem para há cerca de 25 mil anos.

Os investigadores detetaram um padrão consistente com uma resposta genética a um vírus que diminuiu com o tempo, seja quando os asiáticos de leste se adaptaram ao vírus ou quando o vírus perdeu a sua capacidade de causar doenças.

Os resultados do estudo foram publicados no portal bioRxiv e ainda não foram revistos por pares.

As descobertas “mostram que os asiáticos orientais foram expostos a epidemias semelhantes ao coronavírus por muito tempo e estão mais [geneticamente] adaptados a epidemias desses vírus”, diz o geneticista evolucionista Lluis Quintana-Murci, do Instituto Pasteur, em Paris, que não esteve envolvido no novo estudo.

Quintana-Murci especula que é possível que os ajustes de ADN para epidemias de coronavírus ao longo de muitos milhares de anos possam contribuir para reduzir a infeção por covid-19 e as taxas de mortalidade relatadas em nações do leste asiático, em comparação com os países europeus e os Estados Unidos.

Daniel Costa Daniel Costa, ZAP //

PARTILHAR

1 COMENTÁRIO

  1. Nada disto iliba a China!
    Pois esta perseguiu e fez desaparecer os que denunciaram os primeiros casos da epidemia, e depois, enganou os investigadores da OMS, limitando as suas acções no terreno e tentado desviar as atenções inventando as conhecidas histórias, como a da pretensa origem no Mercado local, quando os casos de hospitalização e denuncias foram anteriores a esse surto!

RESPONDER

Almofada de prevenção contra a pandemia. Câmara de Lisboa quer pedir 20 milhões à banca

A Câmara Municipal de Lisboa quer contrair um empréstimo de 20 milhões de euros junto do BPI, uma almofada de prevenção para fazer face às despesas correntes emergentes do combate à pandemia de covid-19. O Público …

Deputado do Bloco acusado de violência doméstica avança com queixa em tribunal

Catarina Alves, ex-namorada do deputado Luís Monteiro, acusa-o de violência doméstica. O bloquista nega as acusações e diz que vai apresentar queixa no tribunal. Luís Monteiro vai apresentar queixa contra a ex-namorada que o acusou de …

Gestão do Novo Banco vai receber bónus de 3,9 milhões em 2022

A equipa de administração do Novo Banco tem à sua espera um bónus de 3,9 milhões de euros no próximo ano. O banco registou prejuízos de 1.329 milhões de euros no ano passado. O Novo Banco …

Ainda não há planos para vacinar voluntários com AstraZeneca e Johnson & Johnson (nem dados sobre combinação de vacinas)

A vacinação de voluntários com menos de 60 ou 50 anos que aceitem receber as vacinas da AstraZeneca ou da Johnson & Johnson ainda não tem planos ou datas para arrancar. A Comissão de vacinação …

Celebrar ou cancelar Napoleão? 200.º aniversário da morte do imperador desperta debate em França

No 200.º aniversário da morte de Napoleão Bonaparte, o presidente francês Emmanuel Macron optou por fazer o que os seus antecessores evitaram. Ao escolher colocar uma coroa de flores esta quarta-feira no túmulo de Napoleão sob …

Costa começa a namorar a esquerda. Negociações do Orçamento arrancam em julho

O Governo está a preparar-se para arrancar com as reuniões preliminares de negociação do Orçamento do Estado para 2022. O Público avança, esta quinta-feira, que os encontros formais vão ser realizados com os partidos de esquerda …

O orgulho, os milhões da Champions e (talvez) um título estão em jogo neste Clássico

O FC Porto não desiste da corrida pelo título, mas o segundo lugar é a principal luta deste Clássico. A posição dá acesso direto à Liga dos Campeões. Benfica e FC Porto defrontam-se hoje na Luz, …

"Crise de saúde global". Biden apoia levantamento das patentes das vacinas (e UE segue o exemplo)

O presidente dos Estados Unidos, Joe Biden, apoiou a proposta da Organização Mundial do Comércio (OMC) para renunciar às proteções de propriedade intelectual para as vacinas contra a covid-19. "Esta é uma crise de saúde global …

-

Confrontos entre polícia e adeptos em Alvalade. PSP avança com participação ao MP

A chegada da equipa do Sporting ao estádio de Alvalade ficou marcada por confrontos entre vários adeptos e a polícia. A PSP já anunciou que vai fazer uma participação ao Ministério Público. Depois da vitória por …

Centeno pressiona Costa: 6 mil milhões de medidas temporárias devem ser revertidos

Esta quinta-feira, o governador do Banco de Portugal, Mário Centeno, avisou que "não podemos querer manter no futuro medidas que foram criadas para serem temporárias". As medidas cíclicas e temporárias adotadas no ano passado para responder …