Uma epidemia de coronavírus pode ter atingido a Ásia há 25 mil anos

Um novo estudo sugere que um antigo coronavírus, ou um patógeno intimamente relacionado, desencadeou uma epidemia no leste asiático há cerca de 25 mil anos.

David Enard, geneticista evolucionário da Universidade do Arizona, em Tucson, analisou o ADN de mais de 2 mil pessoas e os resultados mostraram que mudanças genéticas em resposta a essa epidemia se acumularam ao longo dos cerca de 20 mil anos seguintes.

A descoberta levanta a possibilidade de que alguns habitantes do leste asiático de hoje tenham herdado adaptações biológicas aos coronavírus ou vírus intimamente relacionados, escreve o portal Science News.

A descoberta abre a caixa de pandora para explorar como é que os genes associados a antigas epidemias podem contribuir para os surtos de doenças modernas, como a pandemia de covid-19. Adicionalmente, podem fornecer pistas para melhores medicamentos antivirais.

Os dados genéticos, analisados por Enard, pertenciam a indivíduos de 26 populações étnicas e a equipa de investigadores focou-se em 420 proteínas conhecidas por interagirem com coronavírus.

A produção substancialmente aumentada de todas as 420 proteínas, um sinal de exposições anteriores a epidemias semelhantes ao coronavírus, apareceu apenas em asiáticos orientais. Do total, 42 proteínas remetem para há cerca de 25 mil anos.

Os investigadores detetaram um padrão consistente com uma resposta genética a um vírus que diminuiu com o tempo, seja quando os asiáticos de leste se adaptaram ao vírus ou quando o vírus perdeu a sua capacidade de causar doenças.

Os resultados do estudo foram publicados no portal bioRxiv e ainda não foram revistos por pares.

As descobertas “mostram que os asiáticos orientais foram expostos a epidemias semelhantes ao coronavírus por muito tempo e estão mais [geneticamente] adaptados a epidemias desses vírus”, diz o geneticista evolucionista Lluis Quintana-Murci, do Instituto Pasteur, em Paris, que não esteve envolvido no novo estudo.

Quintana-Murci especula que é possível que os ajustes de ADN para epidemias de coronavírus ao longo de muitos milhares de anos possam contribuir para reduzir a infeção por covid-19 e as taxas de mortalidade relatadas em nações do leste asiático, em comparação com os países europeus e os Estados Unidos.

Daniel Costa, ZAP //

PARTILHAR

1 COMENTÁRIO

  1. Nada disto iliba a China!
    Pois esta perseguiu e fez desaparecer os que denunciaram os primeiros casos da epidemia, e depois, enganou os investigadores da OMS, limitando as suas acções no terreno e tentado desviar as atenções inventando as conhecidas histórias, como a da pretensa origem no Mercado local, quando os casos de hospitalização e denuncias foram anteriores a esse surto!

RESPONDER

Vulcão, La Palma

O Cumbre Vieja também tem negacionistas. "É tudo orquestrado"

Nos últimos dias, as redes sociais têm-se tornado o palco dos "negacionistas dos vulcões" que defendem que, por trás da erupção do Cumbre Vieja, há mão humana. Nas redes sociais já há negacionistas do vulcão Cumbre …

Selecção da Lituânia falhou os Mundiais porque...chegou atrasada

Per Strand venceu, António Morgado ficou em sexto, mas os ciclistas da Lituânia acabaram por marcar a prova de estrada de juniores, nos Mundiais em Flandres. Per Strand Hagenes é o novo campeão mundial júnior de …

Gil Vicente 1-2 Porto | Dragão canta de galo com dois golaços

Foi sofrer até ao fim. Sérgio Conceição tinha alertado que não seria fácil bater o Gil Vicente e foi isso que ocorreu na noite desta sexta-feira em Barcelos. O FC Porto apenas a um minuto dos …

Na II Guerra Mundial, um erro "humilhante" destruiu dois imponentes navios de guerra da Marinha Real

No dia 10 de dezembro de 1941, os japoneses afundaram os imponentes Prince of Wales e Repulse. A culpa foi do almirante Thomas Phillips que, na sequência de um "erro humilhante", acabou também por falecer. Winston …

O robô Atlas, da Boston Dynamics, faz parkour (e até dá um mortal para trás)

O Atlas é, sobretudo, um projeto de investigação: um robô que ajuda os engenheiros da Boston Dynamics a trabalhar em melhores sistemas de controlo e perceção. O parkour é um verdadeiro desafio para os seres humanos, …

Na Tailândia, um "cemitério" de táxis foi transformado numa horta sobre rodas

Desde pimentos a pepinos, beringelas e até mangericão. Num parque de estacionamento ao ar livre em Banguecoque, os táxis abandonados transformam-se em hortas para alimentar os trabalhadores. A pandemia de covid-19 obrigou os táxis de Banguecoque …

Morreu o "último nazi" canadiano, aos 97 anos

Um ucraniano que serviu como tradutor no regime nazi morreu na quinta-feira na sua casa, em Ontário, no Canadá, encerrando uma luta de décadas para deportá-lo e acusá-lo de cúmplice no assassinato de dezenas de …

No Sri Lanka, elefantes traficados foram resgatados. Mas voltaram às pessoas que os compraram ilegalmente

Um tribunal do Sri Lanka devolveu elefantes resgatados a pessoas influentes que foram acusadas de os terem comprado ilegalmente. Durante alguns anos, elefantes selvagens permaneceram na corda bamba de uma intensa batalha de custódia judicial entre …

Sporting 1-0 Marítimo | Porro volta a decidir de penálti

Que sofrimento! É normal ver os “grandes” dominarem por completo os seus adversários, mas nesta partida entre Sporting e Marítimo, em Alvalade, praticamente só houve uma equipa a atacar e a procurar o golo. Ainda assim, …

A falhar pagamentos e com 260 mil milhões de dívida - como é que a Evergrande chegou até aqui?

A situação da imobiliária chinesa Evergrande, que tem uma dívida maior do que a economia portuguesa, está a deixar o mundo ansioso sobre uma eventual repetição da história da crise de 2008, que começou com …