Entrámos mesmo numa nova era geológica: o Antropoceno

Um homem e uma estrada no deserto

A actividade humana está a deixar uma marca invasiva e persistente na Terra. E este impacto do Homem – que os cientistas dizem que marca a entrada do planeta no Antropoceno – será visível em sedimentos e rochas daqui a milhões de anos.

O termo Antropoceno, da palavra grega anthropos para “homem”, foi cunhado na década de 1980 pelo ecólogista americano Eugene Stoermer para ilustrar o impacto das populações humanas no ambiente.

Agora, porém, parece já merecer ser oficialmente incorporado no vocabulário dos geólogos, e a proposta é apresentada num estudo publicado esta quinta-feira na revista Science.

Liderado pelo geólogo Colin Waters, investigador do Serviço Geológico Britânico, o estudo demonstra que o Antropoceno começou a mostrar a maior parte dos seus sinais distintivos a partir de 1950, e encerra a época do Holoceno, que começou há 11.700 anos.

“Os depósitos antropogénicos recentes apresentam novos tipos de rochas e minerais, reflectindo uma rápida disseminação global de alumínio puro, cimento e plástico“, afirma o estudo.

“A queima de combustíveis fósseis disseminou também fuligem, esferas de cinza inorgânica e partículas carbonáceas esféricas por todo o mundo.”

Materiais ‘tecnofósseis’

Waters e os seus colaboradores chamaram “tecnofósseis” a estes materiais propensos a sobreviver no futuro.

Segundo os investigadores das 21 instituições científicas que assinam o estudo, o Antropoceno já tem uma “estratigrafia” – a identificação de épocas geológicas pela deposição de camadas no solo – distinta da Holoceno, o período mais recente da Era Quaternária.

Além das mudanças nas camadas geológicas, num futuro distante os paleontólogos serão capazes de identificar um evento de extinção em massa de espécies, ocorrido na nossa época, porque o planeta está no vias de perder 75% das espécies nos próximos séculos.

Aquecimento global

O Antropoceno também é distinto do ponto de vista das alterações climáticas globais, causadas pelo aumento da concentração de gases do efeito estufa, dizem os investigadores.

“As concentrações atmosféricas de CO2 e metano começam a distanciar-se do Holoceno a partir de 1850, e a diferença acentua-se a partir de 1950”, conclui o estudo.

As mudanças são visíveis na análise das camadas sedimentares depositados mais recentemente e no gelo que se tem formado nas regiões polares.

Algumas das mudanças detectadas são mais subtis, mas também distintivas.

Duas destas mudanças são a subida das temperaturas, que chega a uma média global de 0,9°C acima do natural, e o aumento no nível do mar, numa média de 3,2 mm por ano após a década de 1990. Os números podem parecer pequenos, mas não há registro de que tenham sido assim nos últimos 14 mil anos.

E se o aquecimento global continuar desenfreado, dizem os investigadores, a acção do Homem sobre o planeta acabará por virar a página não apenas à época geológica do Holoceno, mas também ao próprio período geológico do Quaternário – iniciado há 2,6 milhões de anos atrás.

ZAP / EcoD

PARTILHAR

RESPONDER

Depois de um conselho nacional tenso, líder do CDS reúne-se com a bancada parlamentar

O líder do CDS vai reunir-se, esta quinta-feira, com os cinco deputados centristas para dialogarem sobre a articulação entre a direção e a bancada parlamentar. Tal como recorda o jornal Público, esta reunião de trabalho acontece depois …

Enquanto Flamengo afasta regresso de Jorge Jesus, o "Galo" vem ao ataque

O treinador benfiquista afasta o cenário de uma saída precoce do Estádio da Luz. O Flamengo rejeita o regresso de Jorge Jesus, enquanto o Atlético Mineiro manifesta o seu interesse. Jorge Jesus foi categórico: "Não vou …

"Ihor gritava como um cão atropelado". Seguranças contam nova versão em tribunal

O segurança Manuel Correia testemunhou esta quarta-feira que “ouviu gritos” de Ihor Homeniuk vindos de uma sala do SEF no aeroporto de Lisboa e que encontrou um dos inspetores com um pé em cima da …

Dos pés de Cancelo para a cabeça de Bernardo Silva. City ganha na Champions com um golo 100% português

Os internacionais portugueses João Cancelo e Bernardo Silva foram fundamentais para a vitória do Manchester City sobre o Borussia Monchengladbach (2-0), na primeira mão dos oitavos da Liga dos Campeões, com ação direta nos dois …

"População não interiorizou a gravidade da situação". Depois de Siza, Cabrita aponta o dedo aos portugueses

Num relatório sobre a aplicação do decreto do estado de emergência na segunda quinzena de janeiro, Eduardo Cabrita justifica o fecho das escolas e o fim das vendas ao postigo, culpando a população pelas decisões …

Esta época há menos 500 clubes. "É o drama absoluto", diz presidente da FPF

Esta época há menos 500 clubes em comparação com a temporada transata. O presidente da FPF, Fernando Gomes, classifica a situação de "drama absoluto". A pandemia de covid-19 e a consequente interrupção das competições foi um …

Psicólogos no recrutamento e mudanças na formação. IGAI quer acabar com discriminação na polícia

A Inspeção-Geral da Administração Interna (IGAI) quer envolver psicólogos no processo de recrutamento de novos polícias e rever os currículos de formação para acabar com práticas discriminatórias nas forças de segurança. As alterações no processo de …

Coleção de joias da era Viking é encontrada na Ilha de Man. É "excecionalmente rara"

Uma coleção de joias da era Viking foi encontrada na Ilha de Man, entre Inglaterra e a Irlanda, em novembro de 2020 e foi agora classificada como tesouro. Os especialistas acreditam que os artefactos, descobertos …

“As brasileiras são mercadoria". Professor da UP suspenso por comentários machistas e xenófobos nas aulas

Após uma denúncia que reuniu assinaturas de mais de uma centena de alunas, o professor auxiliar Pedro Cosme da Costa Vieira foi suspenso pelo período máximo de 90 dias, da Faculdade de Economia da Universidade …

Houve buzinão na Luz (mas sem "carinho"). Jesus culpa covid-19 pela crise do Benfica

Algumas dezenas de adeptos protestaram junto ao Estádio da Luz com um buzinão, entre gritos de "Rua Vieira" devido aos maus resultados do Benfica. Antes disso, Jorge Jesus tinha apelado a um "buzinão de carinho" …