Empresários espanhóis querem que Pedro Sánchez governe sozinho

socialistasvascos / Flickr

Pedro Sánchez, líder do PSOE e primeiro-ministro de Espanha

A Confederação de Organizações Empresariais apelou ao sentido de Estado e pediu que o Partido Popular (PP) e o Ciudadanos se abstenham para que Pedro Sánchez, do PSOE, governe sozinho.

“O jogo da vida política espanhola será nos próximos tempos uma incógnita e tempo de procurar acordos para formar governo”, depois de o PSOE ter vencido as eleições espanholas deste domingo sem maioria absoluta, avançou o Observador nesta terça-feira.

O futuro político em Espanha demorará, por isso, alguns meses até deixar de estar na indefinição, o que é motivo de preocupação por parte dos empresários, que temem um possível governo de esquerda.

Para a Confederação Espanhola de Organizações Empresariais (CEOE), citada pelo El Confidencial, o cenário ideal para os patrões seria uma coligação de governo entre o socialista Pedro Sánchez e o líder do Ciudadanos, Albert Rivera. Porém, um acordo entre os dois partidos não é suficiente para uma maioria de governo.

Por esse motivo, o presidente da CEOE, Antonio Garamendi, apelou a que o Ciudadanos e o PP se abstenham no Parlamento espanhol, para permitir um governo de uma única cor: a dos socialistas do PSOE. Em troca, o partido vencedor das últimas eleições em Espanha deve comprometer-se com uma legislatura moderada e responsável.

Ao El Confidencial, afirmou que “faz sentido” que o PP e o Ciudadanos permitam que o PSOE governe sozinho — seria, aliás, “o melhor para o país”.

“Exigir a [Albert] Rivera que, sozinho, permita a investidura de [Pedro] Sánchez é demais, seria pedir-lhe para se queimar, por isso faz sentido um ‘pacto à Alemanha’, em que PP e Ciudadanos permitam que o PSOE governe sozinho”, explicou. Esta seria a solução para que Pedro Sánchez governasse sem atender às “contínuas exigências” do Podemos, de Pablo Iglesias.

GUE-NGL / Flickr

Pablo Iglesias, líder do partido espanhol Podemos

O presidente da confederação dos empresários espanhóis apelou, assim, ao sentido de Estado e quer uma legislatura de moderação, idealmente um governo de centro-esquerda.

“Se o Podemos fizer parte do próximo governo, respeitaríamos” esse cenário, admitiu, pese embora tenha reconhecido que seria uma notícia “perigosa” para a “moderação” exigida pelos empresários.

“Moderação” mas também “diálogo social”, pediu Antonio Garamendi. “O diálogo social é importante, mas tem de ser com lealdade institucional e sentido de Estado”, sublinhou.

Depois das eleições espanholas deste domingo, que fizeram do PSOE vencedor, com quase 7,5 milhões de votos e 123 deputados eleitos, os empresários têm vindo a reiterar que é necessário, acima de tudo, um governo estável e com capacidade de realizar as reformas necessárias no país.

Ao El Confidencial, o presidente da Confederação Espanhola de Comércio (CEC), Manuel García-Izquierdo, frisou que “o fundamental é ter um governo estável o mais rápido possível para reativar todas as medidas em que estava a trabalhar”.

De acordo com o diário espanhol, quase todos os empresários consultados estão satisfeitos com o trabalho do PSOE em áreas como o comércio ou a agricultura. Também o setor financeiro apela a “estabilidade” no futuro da política espanhola.

Taísa Pagno TP, ZAP //

PARTILHAR

RESPONDER

Pela primeira vez em 45 anos, uma casa vitoriana "flutuou" pelas ruas de San Francisco

A manhã de 21 de fevereiro em San Francisco, nos Estados Unidos, foi um pouco diferente do normal: uma casa vitoriana passou a "flutuar" pelas ruas da cidade. De acordo com o BuzzFeed News, uma equipa …

Nação Cherokee pede à Jeep que deixe de usar o nome da tribo nos seus carros

"É hora de a Jeep reconsiderar chamar os seus SUVs Cherokee e Grand Cherokee". Pela primeira vez, a tribo norte-americana Nação Cherokee pediu diretamente à Jeep para parar de usar o seu nome nos seus …

PCP quer apoios a 100% para pais "imediatamente e com efeitos retroativos"

O secretário-geral do PCP pediu ao Governo, este sábado, apoios a 100% para os trabalhadores que estão em casa com os filhos, pagos "imediatamente e com efeitos retroativos", e defendeu um plano de desconfinamento "setor …

Naufrágio grego que levava partes do Partenon está a revelar os seus segredos

A última expedição de mergulhadores ao navio grego Mentor, que naufragou perto da ilha Citera em 1802, recuperou várias peças do cordame, moedas, a sola de couro de um sapato, uma fivela de metal, uma …

Chega vai reagir "muito veementemente" na rua à tentativa de ilegalização

O líder do Chega disse, este sábado, que o partido vai responder "muito veementemente" e com "presença na rua", já em março, à tentativa de ilegalização da estrutura promovida por Ana Gomes. "Quero deixar claro aqui, …

Procura-se candidato para dormir. Site oferece 1650 euros e uma noite num resort

Este pode ser, literalmente, um emprego de sonho: fazer dinheiro enquanto se dorme, incluindo uma noite num resort de 5 estrelas. O site Sleep Standards, que se dedica a dar informação sobre pesquisas e produtos relacionados …

Catarina Martins faz apelo a Costa. "Moratórias têm de ser estendidas já"

A coordenadora do Bloco de Esquerda fez um apelo direto ao primeiro-ministro, este sábado, para que não espere que "seja tarde demais" e decida já estender as moratórias, evitando assim uma vaga de despejos e …

Toronto apresenta providência cautelar contra projeto que constrói "casas" para os sem-abrigo

Um carpinteiro canadiano decidiu construir abrigos para as pessoas que vivem nas ruas de Toronto. A autarquia considerou que são perigosos e apresentou uma providência cautelar. De acordo com a empresa de media Vice, Khaleel Seivwright, carpinteiro …

Trinta anos depois, MI6 pede desculpa por ter banido espiões gays

Richard Moore pediu desculpa " pela forma como colegas e concidadãos LGBT+ foram tratados", tendo-lhes sido negada a oportunidade de servir o país no MI6. O chefe do MI6, o serviço secreto de inteligência do Reino …

Já foram administradas 837.887 vacinas em Portugal

Um total de 837.887 vacinas contra a covid-19 foram administradas em Portugal desde 27 de dezembro, quando foi dada a primeira dose, indicou o Ministério da Saúde este sábado. Num comunicado de balanço do processo de …