Embaixador de Myanmar no Reino Unido impedido de entrar na embaixada

Niklas Halle'n / AFP

O embaixador do Myanmar em Londres acusou uma figura militar, próxima da junta que assumiu o poder em Rangum, de “ocupar” a embaixada e de negar o seu acesso ao edifício.

Questionado sobre a identidade das pessoas que estavam a ocupar o edifício enquanto o embaixador estava do lado de fora, Kyaw Zwar Minn destacou que estas têm “ligação militar”.

“Estão a ocupar a minha embaixada”, apontou, citado pela agência EFE.

A junta militar, no poder no Myanmar desde o golpe militar de 1 de fevereiro, convocou o regresso do embaixador em Londres no mês passado, após este ter emitido uma declaração de apoio ao Governo civil deposto, que era liderado por Aung San Suu Kyi.

“A diplomacia é a única saída e a única resposta para o atual impasse”, frisou Kyaw Zwar Minn através de uma mensagem no Twitter do ministro dos Negócios Estrangeiros britânico, Dominic Raab.

O diplomata já tinha referido ao jornal Daily Telegraph, sobre os ocupantes da embaixada, que estes “receberam instruções da capital” da Birmânia e que não o iam “deixar entrar” no edifício. “Eles não podem fazer isto. O Governo britânico não vai permitir isto”, acrescentou. Um protesto contra o golpe militar ocorreu ao final do dia em frente à embaixada.

O Reino Unido já sancionou vários oficiais da junta militar, incluindo o comandante do exército, Min Aung Hlaing, presidente do Conselho Administrativo de Estado e autoridade máxima em Myanmar, pelo seu papel no golpe militar.

A junta militar que derrubou a chefe de Governo civil Aung San Suu Kyi, a 1 de fevereiro, tem reprimido de forma violenta as manifestações diárias que pedem o regresso da democracia e a libertação de antigos líderes.

Cerca de 600 civis, entre eles cerca de 50 crianças e adolescentes, foram mortos desde o golpe de Estado de 1 de fevereiro em Myanmar (antiga Birmânia), segundo a Associação de Assistência aos Prisioneiros Políticos (AAPP).

O número pode ser mais elevado, ressalvou a AAPP, estimando que cerca de 2.700 pessoas foram detidas, muitas sem acesso a advogados, não existindo contacto com as famílias.

Tanto os observadores internacionais como a comissão eleitoral deposta pela junta militar após a tomada do poder negaram a existência de irregularidades, apesar da insistência de alguns comandantes do Exército, cujo partido detém 25% dos lugares no Parlamento.

Ministro denuncia “intimidação” da junta militar

O ministro dos Negócios Estrangeiros britânico denunciou “a intimidação” efetuada pela junta militar de Myanmar, um dia após esta ter assumido o controlo da embaixada birmanesa em Londres.

“Condenamos as ações intimidatórias do regime militar de Myanmar em Londres”, escreveu Dominic Raab numa mensagem publicada no Twitter.

O governante elogiou o embaixador birmanês, Kyaw Zawar Minn, pela sua “coragem” e reiterou o apelo britânico para o fim da “terrível violência” em Myanmar, bem como para uma “rápida restauração da democracia” após o golpe militar.

ZAP ZAP // Lusa

PARTILHAR

RESPONDER

Cavaco Silva volta a estar ausente das cerimónias do 25 de Abril

O ex-Presidente da República já informou que não vai marcar presença na cerimónia comemorativa dos 47 anos do 25 de Abril, este domingo, no Parlamento, por continuar "a respeitar as regras sanitárias". Fonte oficial do gabinete …

No dia da Terra, os líderes mundiais juntaram-se para "passar à ação"

A Casa Branca organizou uma Cimeira de Líderes sobre o Clima, que decorre de forma virtual e durante dois dias. Começou esta quinta-feira, dia em que se comemora o Dia da Terra, e junta cerca …

Detido em Itália homem que terá fornecido arma ao autor do atentado de Nice em 2016

Um homem que teria fornecido uma arma ao autor do atentado com um caminhão na cidade francesa de Nice, em 14 de julho de 2016, foi detido na Itália, anunciaram na quarta-feira vários veículos de …

"Invisibilidade" do LGBTI nos Censos é alvo de críticas

A Associação ILGA Portugal - Intervenção Lésbica, Gay, Bissexual, Trans e Intersexo e o Bloco de Esquerda estão a criticar os Censos 2021 devido à ausência de perguntas relacionadas com identidade de género, o que …

Rússia vai dar início à retirada de tropas perto da fronteira com a Ucrânia

A Rússia anunciou que vai iniciar, esta sexta-feira, a retirada das suas tropas concentradas perto da fronteira com a Ucrânia e na Crimeia anexada, referindo que os exercícios foram concluídos. "As tropas demonstraram a sua capacidade …

KPMG desconhecia problemas no BESA que justificassem reserva às contas

A KPMG Portugal afirmou, numa carta enviada à comissão de inquérito do Novo Banco, que desconhecia factos no BES Angola que pudessem levar a uma opinião com reservas às contas do BES. A KPMG Portugal desconhecia …

Ferro Rodrigues está "perfeitamente de acordo" com Marcelo sobre enriquecimento ilícito

O presidente da Assembleia da República (AR) concorda com o Presidente quanto à urgência de melhorar a lei contra o enriquecimento ilícito e diz que isso pode ser feito sem pôr em causa princípios constitucionais. Numa …

Índia regista subida drástica de infeções e mortes. EUA com 200 milhões de vacinas tomadas

O número de novas infeções pelo coronavírus dispararam na Índia, com a falta de preparação do Governo e a forma como a pandemia tem sido gerida apontadas como causas para a subida dos casos e …

Técnicos de diagnóstico. Depois de mais uma coligação da oposição, Executivo avalia o que fazer

Depois de mais uma coligação da oposição, o Governo "está a avaliar" o que irá fazer em relação à aprovação das mudanças na carreira de Técnico Superior de Diagnóstico e Terapêutica.  De acordo com o semanário …

Diretor de Finanças de Lisboa está em substituição desde 2015. Já ultrapassa tempo de comissão de serviço

Fernando Lopes, a maior estrutura regional da Autoridade Tributária e Aduaneira (AT), é diretor da Direção de Finanças de Lisboa em regime de substituição desde março de 2015. Quando a então diretora regional, Helena Borges, foi …