Mais de quatro mil e-mails do PAN apagados: Cristina Rodrigues arguida

7

Antiga deputada, que passou a ser assessora do Chega, foi formalmente acusada de ter eliminado mais de quatro mil mensagens do PAN.

Cristina Rodrigues foi acusada formalmente pelos crimes de acesso ilegítimo e de dano.

O Pessoas-Animais-Natureza (PAN), partido no qual a antiga deputada era militante na altura, emitiu um comunicado sobre o assunto.

Citado pela rádio Renascença, o comunicado explica que, em Agosto de 2020, apresentou uma queixa-crime contra desconhecidos.

Em causa está o que aconteceu há praticamente dois anos, no dia 24 Junho de 2020, quando foram apagados mais de quatro mil e-mails do PAN.

O partido alega que foi Cristina Rodrigues a aceder de forma ilegítima ao correio eletrónico da secretária de acção jurídica do PAN.

Quando alguém acedeu a essa conta, fez uma “eliminação sistemática e maciça de correspondência”, queixa-se o partido de Inês Sousa Real.

“Este apagão, feito em co-autoria com uma outra ex-colaboradora (Sara Fernandes), causou danos absolutamente irreparáveis ao partido, devido ao histórico de anos que foi destruído e que jamais será recuperado”, continua o comunicado, que explica que a investigação apontou para Cristina Rodrigues.

O despacho de acusação, informa a agência Lusa, considera que foi “muito elevada” a “ilicitude da conduta” de Cristina Rodrigues, que é acusada de um “crime de dano relativo a programas ou outros dados informático”.

Como não tem antecedentes criminais, caso seja considerada culpada, a pena não deverá ser superior a cinco anos.

Afastada ficou a acusação de “sabotagem informática”. A procuradora Maria José Magalhães admite a eliminação de dados mas salienta que o sistema informático do PAN não foi afectado.

As duas arguidas agiram de forma “deliberada, livre e consciente” e apagaram “milhares de mensagens de correio electrónico dali constantes, o que sabiam não ter autorização para fazer. Visavam as arguidas – e conseguiram – impedir o partido PAN de prosseguir a sua actividade política”, continua o despacho.

Cristina Rodrigues, que tinha passado a deputada não-inscrita e agora é assessora do Chega, disse à Lusa que não foi notificada.

  Nuno Teixeira da Silva, ZAP //

7 Comments

  1. O PAN que peça ao seu braço armado, o IRA, que faça com esta senhora dputada o que fazem muitas vezes com proprietários de animais … ameaças , perseguições e terror.

  2. Isto é o reflexo do tipo de gente que compõe o partido “Xega”: fanatismo, egocêntrismo, batoteiros, muita mentira nas suas atuações, até o próprio líder, o desandré desventura, faz intervenções baseadas em mentiras, que só os portugueses mais desatentos ou desinformados caem na sua laia…é sem dúvida um partido com muita gente com caso polémicos e casos judiciais!

    • Faz parte dos mencionados desatentos ou desinformados ??? só assim se entende o seu raciocino. Substitua Xega por parlamento ou deputados no geral e aí talvez a sua reflexão se encaixe.

Deixe o seu comentário

Your email address will not be published.