Eis o “Dragão Frio dos Ventos do Norte”, o maior pterossauro que voava pelos céus do Canadá

David Maas

Ilustração artística de um Cryodrakon boreas

Há milhões de anos, um réptil tão grande como um avião voava sobre o que é hoje o Canadá. Esta espécie gigante – parte do grupo dos azhdarchidae – tem, finalmente, um nome: Cryodrakon boreas, que significa “dragão frio dos ventos do norte”.

Acreditava-se que os fósseis do Cryodrakon boreas, encontrados há décadas, pertencessem a outro azhdarchidae da América do Norte: Quetzalcoatlus, um dos maiores animais voadores conhecidos.

Porém, a descoberta de mais fósseis nos últimos anos levou à descoberta de que representavam, na verdade, uma nova espécie – e a primeira nova espécie de pterossauro gigante encontrada no Canadá.

Com base no tamanho de um enorme osso do pescoço que se acredita pertencer a um animal adulto, o pterossauro rterá tido uma envergadura que se estende por cerca de dez metros de ponta a ponta, tornando-o comparável em tamanho ao seu monstruoso primo azhdarchid Quetzalcoatlus.

Todos os fósseis do Cryodrakon vieram do Parque Provincial de Dinosaur, em Alberta, e datam de há aproximadamente 77 a 74 milhões de anos, durante o período Cretáceo, segundo o estudo, que foi publicado este mês na revista especializada Journal of the Vertebrate Paleontology.

Os azhdarchids viviam em todos os continentes, exceto na Antártica e na Austrália, e são conhecidos por terem cabeças superdimensionadas, pescoços longos, pernas longas e pés grandes, segundo disse o principal autor do estudo, David Hone, diretor do programa de biologia da Universidade Queen Mary. Mas, apesar do tamanho maciço deste grupo, restam poucos fósseis dos gigantes voadores, disse Hone ao portal Live Science.

Os fósseis são tipicamente preservados quando restos de animais são enterrados em camadas de sedimentos e “trancados” longe de bactérias que decompõem a matéria orgânica. Muitos dos restos mais bem preservados de há milhões de anos pertenciam a animais que viviam perto de mares ou rios – e os pterossauros da época viviam principalmente no interior.

“Os seus ossos são incrivelmente finos, por isso são muito raros”, acrescentou. “Temos sorte de termos tanto material bom”.

O paleoartista David Maas ilustrou o pterossauro com um padrão distinto de vermelho e branco que provavelmente será imediatamente reconhecido por qualquer canadiano. Visto de cima com as asas abertas, as marcas nas costas e nas pontas das asas de Cryodrakon assemelham-se à bandeira do Canadá. “Foi uma escolha artística divertida, porque não há evidências fossilizadas sobre as cores e padrões do animal”, explicou Hone.

David Maas

Em termos de habitat e estilo de vida, o Cryodrakon terá vivido num ambiente tropical, deliciando-se com pequenos dinossauros, lagartos e mamíferos. Grandes tiranossauros e até crocodilos podem ter caçado Cryodrakon, mas não há evidências diretas disso, sublinha o Gizmodo.

  ZAP //

PARTILHAR

RESPONDER

Implante cerebral permite que paciente totalmente cega consiga ver formas e letras

Os cientistas da Universidade Miguel Hernández de Elche (UMH), em Espanha, fizeram com que uma mulher completamente cega conseguisse ver formas simples e letras, através da colocação de um implante no seu córtex visual. Os investigadores …

Teoria dos primatas pedrados. Podem os cogumelos mágicos ter sido a chave para a nossa evolução?

A teoria já era conhecida desde os anos 90, mas um novo estudo veio trazê-la à baila novamente. O argumento é de que os cogumelos com efeitos psicadélicos podem ter ajudado a tornar os nossos …

Ainda sem fumo branco para o OE, Bloco e PCP reúnem órgãos máximos

O PCP e o Bloco de Esquerda reúnem hoje os respetivos órgãos máximos entre congressos com a proposta orçamental para 2022 no centro do debate. As conclusões da reunião da Mesa Nacional do BE serão apresentadas …

Sismo de 4,9 em La Palma e novo colapso do cone do Cumbre Vieja

A ilha espanhola de La Palma registou hoje um sismo de 4,8 de magnitude, no dia em que o vulcão voltou a sofrer um colapso no cone principal, causando grandes derrames de lava. O sismo foi …

Algas vivas sensíveis à luz (um tipo de cianobactérias chamado Synechocystis) injetadas num girino

Podia ser ficção científica, mas não é. Injetar algas no sangue dos sapos pode ajudá-los a respirar

Os sapos adotam várias técnicas de respiração ao longo da sua vida. Agora, uma equipa de cientistas alemães desenvolveu um novo método que permite que os girinos "respirem" graças à introdução de algas na sua …

As misteriosas auroras de Úrano foram finalmente detalhadas ao pormenor pelos cientistas

Auroras de Úrano foram captadas pela primeira vez em 2011 através do telescópio Hubble Space, mas as suas origens representam ainda mistérios que os cientistas não conseguem esclarecer. Pela primeira vez, os cientistas conseguiram moldar a …

Domingo invulgar: 17 grandes jogos para ver, em poucas horas

A ementa começa em França, ao meio-dia, e acaba no Chile, já depois das oito da noite. Não estamos perto do Carnaval mas vem aí um "domingo gordo" no futebol. Vários jogos grandes, uns mais mediáticos …

Sporting 1-0 Moreirense | Capitão Coates embala leão

O Sporting igualou hoje o FC Porto na liderança provisória da I Liga portuguesa de futebol, ao vencer em casa o Moreirense, por 1-0, em jogo da nona jornada. O capitão Sebastián Coates marcou, aos …

Relatório médico indica que jovem chinês morreu após beber uma garrafa de Coca-Cola em dez minutos

Um homem chinês morreu depois de beber uma garrafa de 1,5 litros de Coca-Cola em dez minutos, informaram os médicos num relatório. O jovem de 22 anos, que não tinha doenças subjacentes, dirigiu às urgências do …

Universidade no Reino Unido tem arquivo de "casas assombradas"

A Universidade de Sheffield, no Reino Unido, tem um arquivo aberto ao público com quase 80 mil fotografias de "casas assombradas" de várias feiras populares. Para muitos, o medo é parte integrante da experiência de uma …