/

Efeito estatueta dourada? Os vencedores dos Óscares vivem mais tempo que os seus colegas de profissão

1

Paul Buck / EPA

Mahershala Ali, Emma Stone, Viola Davis e Casey Affleck

Atores foram comparados com colegas de elenco e com outros atores da mesma idade que também receberam uma nomeação.

Os atores que venceram prémios da Academia Cinematográfica norte-americana vivem, em média, mais cinco anos do que aqueles que foram apenas nomeados. A análise destes dados foi feita por Donald Redelmeier, da Universidade de Toronto, no Canadá, que notou a diferença entre a vivacidade dos indivíduos que subiam ao palco e os que acompanhava no seu trabalho diário, com a mesma idade.

Juntamente com o seu colega Sheldon Singh, Redelmeier analisou os 934 actores que foram nomeados para um Óscar, desde o início do prémio em 1929 até 2020, dos quais 305 ganharam pelo menos um Óscar da Academia. Entre os nomeados que morreram, a equipa destacou a sua idade de no momento da morte.

Os nomeados falecidos foram comparados com atores do mesmo sexo e de uma idade semelhante na altura da sua nomeação. Os que integram o segundo protagonizaram o mesmo filme que os nomeados, mas não foram eles próprios nomeados. Em média, os vencedores do Óscar morreram aos 77,1 anos, comparados com a idade de 73,7 para os nomeados e 73,6 para os restantes atores não nomeados.

Hollywood à parte, é de notar que a esperança de vida aumentou desde o início dos Óscares. Os vencedores dos Óscares que hoje estão vivos podem, portanto, esperar morrer numa idade mais avançada do que os seus antecessores. A modelação estatística dos investigadores sugere que os vencedores dos Óscares hoje vivos morrerão com 81,3 anos, em média, em comparação com 76,4 para os nomeados e 76,2 para outros co-atores.

Um Óscar não é “um encanto mágico que melhore diretamente a saúde de um recetor”, ressalva Redelmeier à New Scientist. No entanto, os vencedores podem ser motivados a seguir um estilo de vida saudável para manter a sua reputação, diz ele. Podem também ter uma certa paz de espírito depois de alcançarem a maior honra da sua carreira, aponta.

Há ainda o caso dos atores que morrem numa idade mais avançada podem ser mais propensos a ganhar um Óscar simplesmente porque estiveram vivos durante mais tempo. Dá que os investigadores só foram responsáveis por isto comparando os vencedores com os colegas de elenco vivos.

A esperança de vida projetada de um vencedor vivo do Óscar, 81,3 anos, é semelhante à da “pessoa média na rua” em países de alto rendimento, aponta James Hanley da Universidade McGill em Montreal, Canadá. Talvez a questão mais importante seja porque é que os atores que não ganham Óscares parecem morrer mais jovens, diz ele.

Outros estudos sugerem que subir ao nível mais elevado de uma área melhora a saúde de uma pessoa. Por exemplo, os vencedores do Prémio Nobel vivem, em média, mais dois anos do que as pessoas que acabaram por ser apenas nomeadas. Isto não pode ser facilmente atribuído à genética, condições ambientais ou cuidados de saúde, diz Redelmeier. Em vez disso, assinala “a importância de fatores comportamentais ou psicológicos na saúde”, diz ele.

  ZAP //

1 Comment

Deixe o seu comentário

Your email address will not be published.