E se as leguminosas acabassem com a fome? É viável e reduz as emissões de gases com efeito de estufa

Um relatório das Nações Unidas, divulgado este mês, descobriu que um quarto das emissões de carbono do mundo são provenientes da indústria alimentar, em particular da criação de carne.

Cerca de um terço dos cereais produzidos a nível mundial são fornecidos aos animais — principalmente na Europa e na América do Norte (mas este número está a sofrer alterações à medida que o consumo de carne aumenta), avança a Inverse.

Converter estas áreas para produção de alimentos ia melhorar de forma significativa a quantidade de proteína vegetal disponível para as pessoas.

Segundo uma pesquisa da Elementa Science, cerca de 16% das culturas comestíveis são desviadas para a produção de biocombustíveis. A redistribuição destas proteínas e calorias para as pessoas podia ser benéfica.

Como os biocombustíveis são renováveis e menos poluidores do que os combustíveis fósseis, esta fonte de energia alternativa tem potencial para regularizar as emissões de gases com efeito de estufa.

Em seguida, deve-se considerar o que plantar nesta terra, para substituir a indústria da carne. Deve existir um aumento na produção de leguminosas, como ervilhas e feijões, que oferecem grãos nutritivos ricos em proteínas.

A Pulse Breeding Australia diz que os vegetais devem representar 25% das culturas globais, quando na realidade só existem 10% destas culturas. O grão de vegetais é de 20 a 30% de proteína, comparado com os 10% do milho — que é a cultura de cereais mais utilizada para a alimentação dos animais.

No entanto, elevar o rendimento de vegetais é um desafio significativo para a melhoria genética destas culturas. É essencial que este crescimento, no futuro do sistema agrícola global, se torne mais produtivo e sustentável.

Ao contrário dos cereais, os vegetais são mais difíceis de cultivar e exigem uma gestão mais qualificada. Os legumes são mais suscetíveis a doenças, como vírus e pragas de insetos e, são afetados por temperaturas extremas e secas. À medida que o aquecimento global se agrava, as dificuldades associadas à produção de vegetais tende a aumentar.

Os rendimentos mais baixos das culturas hortícolas, combinados com o apoio de governos de muitos países ao cultivo de cereais, estrangulam a sua produção. Para aumentar esta cultura, os agricultores vão precisar de incentivos e os governos têm de reavaliar as políticas que favorecem a produção de cultivo de alto rendimento, mas pobre em proteína.

Contudo, a proteína animal não pode ser desprestigiada a 100%. Cerca de metade da superfície do mundo é constituída por pastagens que abrangem climas áridos e secos. Estas áreas são inadequadas para cultivo e muitos bovinos e ovinos são criados lá.

Mas, à medida que o nível de preocupação das pessoas aumenta no que diz respeito à origem dos seus alimentos, também aumenta a curiosidade em saber se são capazes de produzir os seus próprios alimentos de forma sustentável.

Avatar DR, ZAP //

PARTILHAR

RESPONDER

Nova Iorque quer oferecer vacina aos turistas. Miami vai começar a vacinar no aeroporto

Em Nova Iorque os turistas irão receber a vacina da Johnson & Johnson e em Miami a vacina da Pfizer. Com o objetivo de reativar o turismo na cidade, as autoridades de Nova Iorque querem oferecer …

Carta misteriosa escrita por passageira do Titanic está a intrigar os peritos

Uma equipa de investigadores está a tentar desvendar um mistério que envolve uma carta que terá sido escrita por uma jovem a bordo do Titanic na véspera do naufrágio. Uma família encontrou a carta numa garrafa …

Violência na Colômbia preocupa comunidade internacional

Várias cidades colombianas continuam a ser palco de violentas manifestações contra o Governo do país, mas são reprimidas com força pela polícia e por militares. As manifestações começaram em forma de protesto contra uma reforma tributária …

Veterana de Bletchley Park tem um novo código da 2.ª Guerra para decifrar (mas precisa de ajuda)

Um casal que encontrou mensagens codificadas da II Guerra Mundial sob o assoalho está tentar decifrá-las com a ajuda do seu vizinho, um decifrador de códigos de Bletchley Park. John e Val Campbell encontraram um esconderijo …

"Caixas mistério" com animais de estimação geram indignação na China

Uma nova moda conhecida como "caixa mistério" ganhou popularidade na China. O método consiste em fazer uma encomenda através da internet e é enviada, pelo correio, uma caixa com um animal de estimação. Estas encomendas estão …

Arquivos da polícia do Estado Islâmico revelam como era a vida sob o califado

Arquivos da polícia do Estado Islâmico, conhecida como shurta, revelam como era a vida sob o califado. Os polícias eram tão bem pagos que não podiam ser subornados. Não é sempre que os regimes mirram …

Barco português detido por ancorar ilegalmente em águas da Malásia

Um navio mercante registado em Portugal está retido na Malásia por ter alegadamente ancorado em águas territoriais do país sem autorização, avançou esta sexta-feira a Guarda Costeira malaia. Num comunicado, Nurul Hizam Zakaria, diretor da agência …

”Eficácia e qualidade”. OMS aprova vacina chinesa da Sinopharm

A Organização Mundial da Saúde (OMS) aprovou, esta sexta-feira, o uso de emergência da vacina chinesa contra a covid-19 da Sinopharm. Trata-se da primeira vacina desenvolvida pela China a ser aprovada pela organização, lembra a agência …

Sem estado de emergência não pode haver confinamento de pessoas saudáveis

O constitucionalista Jorge Reis Novais defendeu hoje que sem estado de emergência que suspenda a garantia do artigo 27.º da Constituição não pode haver confinamento de pessoas saudáveis, até uma eventual revisão constitucional. Por outro lado, …

"Neuro-direitos". O Chile quer proteger os seus cidadãos do controlo da mente

O Chile quer tornar-se o primeiro país a proteger as pessoas do controlo da mente, à medida que a capacidade de mexer com cérebros se aproxima cada vez mais da realidade. O senador Guido Girardi está …