Doença misteriosa que mata em 24 horas fez 18 vítimas na Nigéria

Uma “doença misteriosa” matou 18 pessoas, que sucumbiram repentinamente, entre 23 casos de infeção registados no sudoeste da Nigéria, na cidade de Ode-Irele, disseram hoje responsáveis sanitários nigerianos citados pela agência noticiosa francesa AFP.

Oficiais de saúde do Estado de Ondo indicaram que foram registadas 23 infeções e 18 mortes por uma “doença misteriosa” que surgiu no “início da semana, na cidade de Ode-Irele”.

Os sintomas desta doença foram confirmados pela Organização Mundial de Saúde e são dor de cabeça, perda de consciência e de peso, distúrbios de visão, seguidos de morte em 24 horas.

Os testes realizados até agora não indicaram se se trata de uma doença viral, nem especificamente do vírus Ébola, disse o porta-voz do Estado nigeriano de Ondo, Kayode Akinmade.

O mesmo responsável referiu que especialistas da Organização Mundial de Saúde e do Ministério da Saúde nigeriano, tal como outros parceiros, encontram-se já em Ode-Irele para investigar a infeção desconhecida.

O Hospital Universitário de Lagos está já a analisar amostras de fluidos corporais das pessoas infetadas, segundo um porta-voz da OMS.

/Lusa

PARTILHAR

2 COMENTÁRIOS

  1. A Organização Mundial de Saúde anda a fazer mais experiências em África. É triste mas sob o pretexto de que vão ajudar, aproveitam-se das populações mais carenciadas para testar medicamentos novos, vírus e vacinas.

RESPONDER

Rocha desafia teoria da escassez de oxigénio na Terra primitiva

Uma rocha sedimentar única rica em carbono, depositada há dois mil milhões de anos, deu aos cientistas novas pistas sobre as concentrações de oxigénio na superfície da Terra nessa época. De acordo com a agência Europa Press, …

As bactérias formam comunidades na nossa língua (e uma imagem revela como)

Cientistas norte-americanos descobriram que as bactérias que vivem na nossa língua têm uma organização complexa e altamente estruturada. Os micro-organismos estão em toda a parte - até no interior da nossa boca. Um novo estudo revela …

Como sobreviver ao isolamento? Astronautas explicam

Em todo o mundo, cidades e até países inteiros estão em quarentena como forma de travar a propagação do novo coronavírus, Covid-19. Alguns astronautas deixaram conselhos sobre como sobreviver ao isolamento. Para alguns, o auto isolamento …

"Indiana Jones do mundo da arte" recupera manuscrito do poeta persa Hafez

Uma das primeiras cópias do reverenciado Divan do autor do século XIV Hafez, iluminado com ouro, será leiloado no início de abril. O famoso poeta persa do século XIV, Hafez, escreveu uma coleção de versos místicos …

O palco onde os Beatles atuaram pela primeira vez está à venda

O palco de madeira onde os Beatles atuaram pela primeira vez está à venda. Agora, alguém poderá replicar o primeiro concerto da famosa banda. A 10 de abril, em comemoração dos 50 anos da separação da …

Células estaminais podem ajudar a proteger os astronautas da radiação espacial

Assim que os astronautas deixam a proteção do campo magnético da Terra, ficam automaticamente expostos a níveis elevados de radiação cósmica. A Agência Espacial Europeia (ESA) está cada vez mais focada em investigações para reduzir …

Pandemia pode trazer nova geração de robôs capazes de realizarem tarefas perigosas

A pandemia de Covid-19 pode trazer uma nova geração de robôs capazes de realizarem tarefas perigosas como limpeza de superfícies infetadas ou vigiar pessoas em quarentena, afirmam esta quarta-feira alguns dos principais investigadores internacionais em …

Multimilionários refugiam-se da Covid-19 a bordo de iates

Vários multimilionários têm procurado refugiar-se da pandemia de Covid-19, que nasceu em dezembro passado na China, em alto mar, a bordo de iates de luxo. Em declarações ao jornal The Telegraph, Jonathan Beckett, executivo da …

Este mamífero consegue sobreviver a quase sete mil metros de altura

Cientistas pensam ter confirmado que um pequeno rato descoberto no vulcão Llullaillaco, nos Andes, é o mamífero que consegue viver à maior altitude já conhecida (6739 metros). Segundo o IFLScience, o Phyllotis xanthopygus rupestris foi descoberto, …

O glaciar Denman recuou quase cinco quilómetros nos últimos 22 anos

O glaciar Denman, na Antártica Oriental, recuou cerca de cinco quilómetros nos últimos 22 anos. Investigadores da Universidade da Califórnia, Irvine e do Laboratório de Propulsão a Jato da NASA estão preocupados coma topografia exclusiva …