Um dos maiores predadores do Cretáceo era um “monstro” do rio

A descoberta de um enorme conjunto de registros dentários mostra que um dos maiores predadores do Cretáceo era habitante do rio – e não um caçador terrestre.

Uma equipa de investigadores da Universidade de Portsmouth, no Reino Unido, examinou uma coleção de mais de mil dentes e concluiu que os gigantes espinossauros eram enormes “monstros do rio”.

Estudos no início deste ano já tinham trazido peso à teoria de que podiam ser dinossauros que viviam na água, uma vez que foi descoberto que as suas caudas eram perfeitamente adaptadas para a locomoção aquática.

O gigante nadador Spinosaurus aegyptiacus podia atingir comprimentos de 15 metros do focinho à cauda, ​​pesando cerca de seis toneladas.

Esta última investigação analisou 1.261 dentes e fragmentos de dentes recuperados de um antigo leito de rio chamado Kem Kem, em Marrocos, que, no seu apogeu, atravessava o Deserto do Saara há cerca de 100 milhões de anos.

Enquanto vasculhavam as suas descobertas, ficou claro que os espinossauros, cujos dentes são fáceis de localizar graças à sua superfície distinta com secções transversais arredondadas que brilham na luz, contribuiu para a maioria da colheita.

“O grande número de dentes que colhemos no leito do rio pré-histórico revela que os espinossauros estavam lá em grandes números, respondendo por 45% do total de restos dentários”, disse David Martill, professor de paleobiologia da Universidade de Portsmouth, em comunicado divulgado pelo EurekAlert. “Não conhecemos nenhum outro local onde tal massa de dentes de dinossauro tenha sido encontrada em rochas com ossos”.

“A maior abundância de dentes de espinossauros, em relação a outros dinossauros, é um reflexo do seu estilo de vida aquático. Um animal que vive grande parte da sua vida na água tem muito mais probabilidade de contribuir com dentes para o depósito do rio do que aqueles dinossauros que talvez só visitavam o rio para beber e se alimentar ao longo das suas margens”, explicou.

O leito do rio Kem Kem é um local popular para os restos mortais de espinossauros em geral, que são frequentemente encontrados entre um elenco diversificado de criaturas do Cretáceo, incluindo peixes-serra, celacantos, crocodilos, répteis voadores e dinossauros terrestres.

Os cientistas afirmam que, embora alguns restos de dinossauros que vivem na terra sejam encontrados dentro do Kem Kem, o grande volume dos dentes de espinossauro prova que viveram e morreram no rio – em vez de ao longo das margens.

Este estudo será publicado em janeiro de 2021 na revista científica Cretaceous Research.

ZAP //

 

PARTILHAR

RESPONDER

Curados da covid-19 continuam com sintomas meses depois de terem contraído o vírus

Um estudo da Universidade de Oxford indica que 64% dos pacientes hospitalizados com o novo coronavírus apresenta falta de ar 2 a 3 meses depois de serem infetados. E quase 40% tem sintomas de depressão. Já …

Portugal vai estar no Mundial sub-20 (sem jogar o apuramento)

Todas as fases do Europeu sub-19 foram canceladas e a seleção portuguesa foi uma das eleitas para participar no Mundial do próximo ano. Portugal já sabe que vai estar na fase final do Mundial sub-20 (se …

Novos implantes cardíacos podem salvar 10 mil vidas por ano

O chamado envelope antibiótico envolve o implante cardíaco e previne infeções no paciente. Por ano, morrem cerca de 10 mil pessoas devido a infeções geradas pelo implante. O pacemaker é um pequeno aparelho que é colocado …

Banda dá concerto com músicos e público envoltos em bolhas de plástico para evitar contágio

A banda norte-americana Flaming Lips utilizou bolhas insufláveis ​​de tamanho humano num concerto em Oklahoma, uma solução para proteger os músicos e o público do novo coronavírus, enquanto tenta encontrar uma forma segura para atuar …

EUA. Especialista diz que as próximas semanas "vão ser as mais negras de toda a pandemia"

Um especialista em doenças infecciosas disse que no caso dos Estados Unidos, as próximas seis a 12 semanas vão ser as mais negras de toda a pandemia de covid-19. Michael Osterholm, diretor do Centro de Investigação …

Chelsea inscreve... Petr Cech

Antigo guarda-redes poderá voltar aos relvados nesta época, embora seja pouco provável, para já. Petr Čech entrou em campo pela última vez em maio de 2019, há quase um ano e meio. Já tinha anunciado a …

Disparos de satélites e naves do Star Trek? Relatório revela como seria uma guerra no Espaço

A criação da Força Espacial dos Estados Unidos evocou todos os tipos de noções fantasiosas sobre o combate no Espaço. Assim, um novo relatório explica o que é física e praticamente possível quando se trata …

Japão prepara-se para lançar água tratada de Fukushima no mar

O Japão vai libertar mais de um milhão de toneladas de água tratada da usina nuclear de Fukushima no mar, numa operação que levará cerca de 30 anos para ficar concluída. Ambientalistas e pescadores locais …

Turismo de mergulho? Submarino da "frota perdida" de Hitler aguarda o seu destino no fundo do Mar Negro

Coberto por “redes fantasmas” deixadas por pescadores, os destroços de um submarino U-20 enviado para o Mar Negro pela Alemanha nazi tornou-se recentemente tema de um documentário produzido na Turquia. Localizado a uma profundidade de 20 …

Novo estudo diz que Remdesivir não tem "impacto significativo" nos doentes com covid-19

Ao contrário do que se pensava, o medicamento antiviral remdesivir não reduz as mortes entre os pacientes com covid-19, sobretudo quando comparado com o tratamento padrão, de acordo com os resultados de um estudo internacional. Em …