Detido em 2011, fundador dos LulzSec libertado por ajudar o FBI

d.r. securityaffairs.co

Sabu: Héctor Xavier Monsegur

O pirata informático norte-americano Héctor Xavier Monsegur, conhecido como Sabu, foi esta terça-feira colocado em liberdade condicional, anunciou o Ministério Público do distrito sul de Nova Iorque. O hacker tinha sido acusado de atacar o Governo e grandes empresas mas que cooperou com as autoridades para evitar outros ataques.

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE

Seguindo uma recomendação do Ministério Público, uma juíza federal condenou Héctor Xavier Monsegur a uma pena leve – sete meses de prisão e 1.200 dólares de multa -, que já foi cumprida pelo arguido enquanto aguardava julgamento.

Monsegur foi detido em 2011 por ser o co-fundador e líder do LulzSec, um grupo de hackers ligado ao Anonymous, responsável por ataques contra centrais informáticas do Governo norte-americano e empresas como a Visa, Mastercard e PayPal, empresas visadas pelos hackers por não terem processado donativos para o portal de divulgação de documentos secretos Wikileaks.

Adam Brown / Flickr

Héctor Xavier Monsegur

Héctor Xavier Monsegur, já foi Sabu

Imediatamente depois da sua detenção, o pirata informático começou a cooperar com as autoridades e ajudou a “deter ou mitigar” 300 ataques informáticos, entre os quais às páginas na Internet do Exército, do Congresso, dos tribunais federais e da NASA (Agência Norte-Americana do Espaço e da Aeronáutica), bem como a várias empresas privadas.

O hacker nova-iorquino, transformado em informador pelo FBI, a polícia federal norte-americana, ajudou também a desmantelar o Anonymous e a deter o ciber-criminoso mais procurado do mundo, Jeremy Hammond, condenado a 10 anos de prisão, e ainda outros sete piratas.

Nascido em 1983, Monsegur começou em finais dos anos 90 a sua relação com delitos informáticos, quase todos relacionados com ações contra o Governo, normalmente com o pseudónimo de Sabu.

/Lusa

Deixe o seu comentário

Your email address will not be published.