Desvendado mistério da formação da nuvem de Oort

Pablo Carlos Budassi / Wikimedia

Impressão de artista da nuvem de Oort

Uma equipa de astrónomos conseguiu calcular os primeiros 100 milhões de anos da história da nuvem de Oort na sua totalidade. Até agora, apenas partes da história tinham sido estudadas separadamente.

A nuvem, com cerca de 100 mil milhões de objetos semelhantes a cometas, forma uma enorme concha na orla do nosso Sistema Solar. Os astrónomos publicarão em breve a sua simulação compreensiva e consequências na Astronomy & Astrophysics, mas o artigo científico está disponível no arXiv.

A nuvem de Oort foi descoberta em 1950 pelo astrónomo holandês Jan Hendrik Oort para explicar porque é que continuam a existir novos cometas com órbitas alongadas no nosso Sistema Solar. A nuvem, que começa a mais de 3.000 vezes a distância entre a Terra e o Sol, não deve ser confundida com a cintura de Kuiper.

A formação da nuvem de Oort tem permanecido um mistério até agora. Isto porque deve ter existido uma série de eventos que um computador dificilmente consegue reproduzir na sua totalidade.

Alguns processos duraram apenas alguns anos e ocorreram a distâncias relativamente curtas, comparáveis à distância entre a Terra e o Sol. Outros processos duraram milhares de milhões de anos e ocorreram ao longo de vários anos-luz, comparáveis às distâncias entre estrelas.

O astrónomo e especialista em simulações Simon Portegies Zwart, da Universidade de Leiden, nos Países Baixos, explica: “Se quisermos calcular a sequência inteira num computador, vamos irrevogavelmente ficar encalhados. É por isso que, até agora, apenas foram simulados eventos separados”.

Os investigadores de Leiden partiram de eventos separados, como nos estudos anteriores, mas a novidade é que foram capazes de ligar os eventos. Por exemplo, usaram o resultado final do primeiro cálculo como ponto de partida para o próximo cálculo. Desta forma, foram capazes de mapear toda a génese da nuvem de Oort.

Cometas de dentro e de fora do Sistema Solar

A nuvem de Oort, confirmam as simulações de Leiden, é um remanescente do disco protoplanetário de gás e detritos a partir do qual o Sistema Solar emergiu há 4,6 mil milhões de anos.

Os objetos semelhantes a cometas na nuvem de Oort vêm de aproximadamente dois lugares do Universo. A primeira parte destes objetos vem de perto, do Sistema Solar. Estes detritos e asteroides foram lançados pelos planetas gigantes. No entanto, parte dos detritos não tiveram sucesso e ainda estão na cintura de asteroides entre Marte e Júpiter.

Uma segunda população de objetos vem de outras estrelas. Quando o Sol tinha acabado de nascer, havia cerca de mil outras estrelas nas proximidades. A nuvem de Oort pode ter capturado cometas que originalmente pertenciam a essas outras estrelas.

Além disso, os astrónomos de Leiden puderam descartar imediatamente uma série de eventos. Por exemplo, argumentam que a nuvem de Oort foi formada relativamente tarde, isto é, depois do Sol ter sido ejetado do grupo de estrelas em que nasceu.

Com as suas simulações, os astrónomos também rejeitam a hipótese levantada em 2005 de que a nuvem de Oort foi consequência da migração dos planetas gigantes do Sistema Solar. Esta hipótese, que acabou sendo refutada, teria que explicar o excesso de crateras antigas na Lua.

Complexa, mas não única

“Com os nossos novos cálculos, mostramos que a nuvem de Oort surgiu de uma espécie de conspiração cósmica, na qual as estrelas próximas, os planetas e a Via Láctea desempenham o seu papel”, diz Portegies Zwart.

“Cada um dos processos individuais por si só não seria capaz de explicar a nuvem de Oort. É graças precisamente à interação e à coreografia certa de todos os processos juntos. E isso, aliás, pode ser explicado de forma bastante natural a partir do ambiente natal do Sol. Portanto, embora a nuvem de Oort tenha uma formação complexa, provavelmente não é única”, acrescentou.

Durante os cálculos, os investigadores regularmente se perguntaram como um processo tão complicado poderia realmente emergir. “O desespero costuma levar a melhor. Somente quando os cálculos ficaram concluídos é que todas as peças do quebra-cabeças de repente encaixaram e tudo parecia bastante natural e evidente”, afirma Portegies Zwart.

“Este é, acho, um dos aspetos mais bonitos de ser cientista. Subitamente, percebemos como o nosso pensamento estava distorcido em relação ao problema, até que realmente se torna bastante natural”, remata o especialista.

// CCVAlg

PARTILHAR

RESPONDER

Vieira continua em domiciliária. MP vai pedir reforço de garantias de caução

O Ministério Público (MP) vai pedir reforço de garantias de caução por entender que o uso das ações da SAD do Benfica não é a forma apropriada. O Correio da Manhã avança, esta manhã, que o …

Investigadores suecos pagam 23 dólares a quem se vacinar contra a covid-19

Recompensa surge no âmbito de uma pesquisa que pretende avaliar o nível de eficácia de diferentes incentivos à vacinação contra a Covid-19. O estudo conta com a participação de 8.200 voluntários com menos de 60 …

Costa diz que Estado se curva "perante a memória" de Otelo. Mas BE condena ausência de luto nacional

O primeiro ministro, António Costa, e o presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, decidiram não declarar luto nacional pela morte de Otelo Saraiva de Carvalho, Capitão de Abril. A líder do BE e o …

Catarina Martins volta a bater o pé e Jerónimo sublinha: "Ainda não há Orçamento"

Marcelo Rebelo de Sousa recebeu, esta terça-feira, o Bloco de Esquerda, o PCP e o CDS, em mais uma ronda de reuniões com os partidos com assento parlamentar. Se o objetivo do Presidente da República era …

Simone Biles, Jogos Olímpicos de Tóquio 2020

Simone Biles. O ouro olímpico não é sinónimo de paz, muito menos interior

Na sequência do escândalo Nassar, a opinião pública dos EUA concordou que não valia tudo no caminho até ao ouro olímpico — principalmente quando está em causa a dignidade humana. Com a sua principal estrela …

"Sinto que desci ao inferno". Polícias recordam ataque ao Capitólio

"É assim que vou morrer", "sinto que desci ao inferno" e "corri o risco de ser morto" são alguns dos relatos de polícias que presenciaram a invasão ao Capitólio. Começaram as audiências na comissão da Câmara …

Pandemia aumentou o preço dos carros usados. Venda de veículos novos caiu a pique

A procura por usados aumentou com a pandemia. Com menos carros novos a saírem dos concessionários, também por causa da crise dos chips, a oferta de usados é escassa, levando os preços a subirem. Um choque …

Jogos Olímpicos: três polémicas de arbitragem em 24 horas

Depois da pontuação controversa no surf, uma decisão que quase ninguém entendeu, no basquetebol, e uma revisão discutível no judo. A arbitragem não é, ou não é suposto ser, o foco de qualquer edição dos Jogos …

Rui Vitória quer levar Manafá para o Spartak Moscovo

O Spartak Moscovo, treinado por Rui Vitória, desistiu da contratação de Gabriel e apresentou agora uma proposta por Wilson Manafá. Desde que chegou a Moscovo para treinar o Spartak, Rui Vitória tem sondado alguns jogadores que …

Centro de Migrantes de Caxias seria pago pelo SEF com carros apreendidos e obras eram feitas por presos

As obras feitas para a construção de um Centro de Migrantes no complexo prisional de Caxias terão sido pagas pelo SEF com carros apreendidos. O Centro de Instalação Temporária de migrantes no complexo prisional de Caxias …