Violência doméstica e divórcio “tumultuoso”. Designer suspeito de matar o filho ameaçou a ex

DR

Clemens Weisshaar

O designer alemão Clemens Weisshaar.

O designer alemão Clemens Weisshaar, de 44 anos, é suspeito de ter morto o filho, de 3 anos, tendo-se suicidado depois num caso de aparente vingança contra a mulher, a estilista inglesa Phoebe Arnold, que se estava a divorciar dele. Nos dias que antecederam as mortes, terá feito várias ameaças à mãe da criança.

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE

Weisshaar e Arnold, ambos profissionais reconhecidos nas suas áreas de trabalho, estavam separados. A estilista entregou ao designer o filho de ambos, Tasso, de 3 anos, no passado dia 29 de Outubro, para passarem o fim-de-semana juntos.

Mas, a 1 de Novembro, quando Weisshaar devia entregar a criança à mãe, não o fez. O menino foi dado como desaparecido e Arnold apresentou queixa na GNR de Grândola. Mas não foi possível evitar a tragédia.

Os corpos do pai e do filho acabaram por ser encontrados por caçadores, no domingo de manhã, 7 de Novembro, numa zona de mato em Santa Margarida da Serra, Grândola. A criança estava no interior do carro carbonizado e o pai no exterior, alegadamente com um tiro na cabeça.

A autópsia vai, agora, apurar a causa de morte do menino. Vão ser feitos, nomeadamente, exames toxicológicos para despistar se terá sido drogado pelo pai antes de o carro ter sido incendiado.

“Começou agora o teu inferno”

As autoridades continuam a investigar o caso, mas parece não haver dúvidas de que Weisshaar matou o filho como uma forma de se “vingar” de Arnold.

O Correio da Manhã (CM) revela que o designer enviou várias ameaças à estilista nos dias que terão antecedido a tragédia. “Começou agora o teu inferno”, terá escrito Weisshaar numa mensagem enviada à ex-companheira, conforme avança o jornal.

O designer queria que ela desistisse do divórcio depois de se terem separado em Julho passado, ainda segundo a mesma publicação.

O diário fala de uma relação “tumultuosa” e de um “conflito parental” pela guarda de Tasso.

“Situações de violência doméstica”

Weisshaar e Arnold tinham ido viver para Grândola durante o confinamento devido à pandemia de covid-19. Mas, em Julho passado, separaram-se e a estilista foi viver para Lisboa com o filho. Estavam em processo de divórcio.

O CM refere que o casal tinha uma ama portuguesa que terá “presenciado algumas das situações de violência doméstica” do designer para com a estilista e que terão motivado a separação.

A advogada da estilista refere ao The Times que Phoebe “ainda não acordou para a realidade” de que o filho morreu.

A estilista é conhecida no mundo da moda. Fundou a revista Ponystep e trabalhou em outras publicações da área da moda, como a Garage e a Elle, além de criar roupas para celebridades como a cantora Paloma Faith.

Weisshaar também era um designer famoso com trabalhos expostos no Museu de Arte Moderna de Nova Iorque e no Centro Pompidou em Paris.

  ZAP //

Deixe o seu comentário

Your email address will not be published.