Dentes pré-históricos ajudam a explicar porque desapareceram os neandertais

d.r. Daniele Panetta

Modelos digitais dos dentes de leite pré-históricos encontrados em Riparo Bombrini e na Gruta de Fumane, em Itália

Modelos digitais dos dentes de leite pré-históricos encontrados em Riparo Bombrini e na Gruta de Fumane, em Itália

Uma investigação que contou com a colaboração de várias instituições europeias permitiu concluir que dentes de leite pré-históricos, encontrados entre achados arqueológicos em Itália, pertencem a humanos modernos que datam de há cerca de 40 mil anos. Provas físicas que demonstram que os nossos antepassados mais directos estão directamente associados ao desaparecimento dos Neandertais.

Os dentes de leite em causa foram descobertos em 1976 em Riparo Bombrini e em 1992 na Gruta de Fumane, dois locais com achados arqueológicos pré-históricos no norte de Itália. Mas só as técnicas modernas, desenvolvidas nos últimos anos, é que permitiram concluir que se trata de dentes de humanos anatomicamente modernos.

Estas análises foram feitas por investigadores da Universidade de Bolonha, do Instituto Max Planck de Antropologia Evolutiva e do Instituto de Fisiología Clínica CNR de Pisa, numa pesquisa colaborativa que permitiu constatar que “estes dentes representam o humano moderno mais antigo encontrado num contexto arqueológico relacionado com o Aurignacense, sobrepondo-se no tempo com os últimos Neandertais”, relata o Europapress.es.

A cultura Proto-Aurignacense existiu há cerca de 42 mil anos antes de Cristo na Europa.

Esta descoberta tem assim implicações importantes para o entendimento da “interacção entre os humanos modernos e os Neandertais” e para os estudos sobre o que levou à extinção dos segundos, sublinha a mesma publicação.

“A associação de restos modernos com o contexto arqueológico relacionado com o Aurignacense proporciona logo evidência física de que a chegada da nossa espécie ao Continente provocou o desaparecimento dos Neandertais um par de milénios mais tarde”, explica o director do Departamento de Evolução Humana do Instituto Max Planck de Antropologia Evolutiva, Jean Jacques Hublin, citado pelo Europapress.es.

Outro dos autores do estudo, Stefano Benazzi, da Universidade de Bolonha, salienta que “só graças à colaboração de várias instituições europeias é que os restos fósseis puderam ser investigados completamente” e que tudo isto “só foi possível graças às inovações técnicas desenvolvidas na última década”, de acordo com declarações divulgadas pela mesma publicação.

ZAP

PARTILHAR

RESPONDER

Paços 0-2 Sporting | “Leão” competente estreia-se com triunfo

Após o adiamento do jogo da primeira jornada ante o Gil Vicente, devido a vários casos de Covid-19 nas duas equipas, o Sporting estreou-se na Liga NOS 2020/21 e não vacilou. Na visita ao Paços de …

Medicamentos para a tensão arterial diminuem mortalidade em doentes com covid-19

Um estudo de meta-análise concluiu que medicamentos para a tensão arterial, ao contrário do que se pensava, reduzem a mortalidade em pacientes com covid-19. No início da pandemia, havia a preocupação de que certos medicamentos para …

A ilha mais povoada do Hawai pode perder 40% das suas praias até 2050

A subida do nível das águas do mar pode fazer com que a ilha mais povoada do Havai perca 40% das suas praias, alerta uma nova investigação. Em causa está a ilha de Oahu, a …

Pela primeira vez em 10 anos, a Wikipédia vai mudar de aparência

A icónica Wikipédia vai, pela primeira vez em 10 anos, ser modificada para tornar o site mais acessível - e menos "assustador" - para novos utilizadores. A Wikipédia tem sido parte integrante da cultura da web …

Encontrados medicamentos ilegais em suplementos para o cérebro

Cientistas encontraram medicamentos ilegais, não aprovados nos Estados Unidos, em suplementos que alegadamente melhoram o desempenho cognitivo. Clareza mental, criatividade aprimorada e uma memória extremamente nítida são algumas das promessas feitas a quem compra suplementos de …

Voluntários oferecem-se para cumprir pena de jovem acusado de blasfémia

Num ato de solidariedade, 120 voluntários pediram para cumprir a pena de um jovem nigeriano condenado a 12 anos de prisão por blasfémia. Entre os voluntários está o diretor do Memorial de Auschwitz. Ao todo, 120 …

ADN ajuda a identificar assassino em série num dos mais infames casos da Austrália

Uma amostra de ADN ajudou a justiça australiana a considerar um homem como culpado pelo assassinato de duas mulheres na década de 1990, encerrando um caso que permaneceu sem solução durante quase 25 anos. Durante quase …

Mais 665 casos e nove mortes por covid-19 em Portugal

Portugal regista, este domingo, mais 665 novos casos positivos e nove mortes por covid-19, segundo boletim epidemiológico da Direção-Geral da Saúde (DGS). Assim, desde o início da pandemia, Portugal conta com 73.604 infetados e 1.953 …

De guerreiros a anciões. Grupo étnico no Quénia faz cerimónia única de "transformação"

Milhares de homens Maasai vestidos com xales vermelhos e roxos e com as suas cabeças revestidas de ocre vermelho reuniram-se esta semana para uma cerimónia que os transforma de Moran (guerreiros) em Mzee (anciãos). De acordo …

Há 60 anos, Richard Nixon tricou uma sanduíche (e este homem guardou-a desde então)

Há 60 anos, o então vice-Presidente dos Estados Unidos, Richard Nixon, trincou uma sanduíche - e Steve Jenne, um homem que vive em Illinois, guardou-a os restos desde então. De acordo com o The New York …