Dados da Cassini podem explicar mistério atmosférico de Saturno

NASA / /JPL-Caltech

A sonda Cassini da NASA

As camadas superiores nas atmosferas dos gigantes gasosos – Saturno, Júpiter, Úrano e Neptuno – são quentes, assim como as da Terra. Mas, ao contrário da Terra, o Sol está demasiado longe para explicar as altas temperaturas. A sua fonte de calor tem sido um dos grandes mistérios da ciência planetária.

Uma nova análise de dados da sonda Cassini da NASA encontrou uma explicação viável para o que mantém as camadas superiores de Saturno e, possivelmente, dos outros gigantes gasosos, tão quentes: auroras nos polos norte e sul do planeta.

Correntes elétricas, desencadeadas por interações entre ventos solares e partículas carregadas das luas de Saturno, formam auroras e aquecem a atmosfera superior (tal como com as auroras da Terra, o seu estudo informa os cientistas do que está a acontecer na atmosfera do planeta).



O trabalho, publicado no dia 6 de abril na revista Nature Astronomy, é o mapeamento mais completo da temperatura e da densidade da atmosfera superior de um gigante gasoso – uma região que, em geral, tem sido pouco compreendida.

Ao construir uma imagem completa de como o calor circula na atmosfera, os cientistas conseguem entender melhor como as correntes elétricas aurorais aquecem as camadas superiores da atmosfera de Saturno e impulsionam os ventos.

O sistema eólico global pode distribuir esta energia, que é inicialmente depositada perto dos polos em direção às regiões equatoriais, aquecendo-as para o dobro da temperatura esperada apenas do aquecimento solar.

Os resultados são vitais para a nossa compreensão geral das atmosferas superiores planetárias e são uma parte importante do legado da Cassini,” disse o autor Tommi Koskinen, membro da equipa UVIS (Ultraviolet Imaging Spectograph) da Cassini. “Ajudam a resolver a questão de porque é que a parte mais alta da atmosfera é tão quente enquanto o resto da atmosfera – devido à grande distância do Sol – é fria.”

Gerida pelo JPL da NASA no sul da Califórnia, a Cassini foi uma sonda que observou Saturno por mais de 13 anos antes de esgotar o seu combustível. A missão mergulhou na atmosfera do planeta em setembro de 2017, em parte para proteger a lua Encélado, que a Cassini descobriu ter condições adequadas para a vida. Mas antes da sua queda, a Cassini realizou 22 órbitas ultrapróximas de Saturno, uma etapa chamada Grande Final.

Foi durante o Grande Final que os principais dados foram recolhidos para o novo mapa de temperatura da atmosfera de Saturno. Durante seis semanas, a Cassini teve como alvo várias estrelas brilhantes nas constelações de Orionte e Cão Maior, enquanto passavam por trás de Saturno. À medida que a sonda observava as estrelas a nascer e a porem-se através do planeta gigante, os cientistas analisavam como a luz estelar mudava à medida que passava pela atmosfera.

A medição da densidade da atmosfera deu aos cientistas a informação que precisavam para descobrir as temperaturas (a densidade diminui com a altitude, e a taxa de diminuição depende da temperatura). Descobriram que as temperaturas atingem um pico perto das auroras, indicando que as correntes elétricas aurorais aquecem a atmosfera superior.

E tanto as medições de densidade como de temperatura ajudaram os cientistas a descobrir as velocidades dos ventos.

Entender a atmosfera superior de Saturno, onde o planeta encontra o espaço, é fundamental para entender o clima espacial e o seu impacto noutros planetas do nosso Sistema Solar, bem como em exoplanetas em torno de outras estrelas.

  // CCVAlg

PARTILHAR

RESPONDER

Espanha propõe "solução revolucionária" para baixar preço da luz (e pode beneficiar Portugal)

"Tempos excepcionais exigem medidas excepcionais". É desta forma que Espanha vai propor à Comissão Europeia, na reunião extraordinária desta terça-feira, uma "solução revolucionária" para acabar com a escalada de preços na energia. E os portugueses …

Só há um país a cumprir as metas do Acordo de Paris

A poucos dias da cimeira do clima de Glasgow, onde é esperado que os países anunciem cortes nas emissões de gases com efeito de estufa, apenas um, a Gâmbia, cumpre o acordo de Paris sobre …

Há investidores interessados em entrar no FC Porto. Venda só deve avançar na próxima época

O FC Porto está "a considerar a venda" de uma parte "minoritária" da SAD a investidores estrangeiros que estão interessados em comprar. A SAD portista desmente a venda imediata, mas admite que o negócio pode …

Filipa Roseta pede suspensão do mandato de deputada por 180 dias

Filipa Roseta, deputada do PSD, pediu a suspensão do mandato na Assembleia da República por 180 dias. Depois de ter tomado posse como vereadora na Câmara Municipal de Lisboa, a deputada pediu a suspensão temporária …

Há destino para Solskjaer

Quando for despedido do Manchester United, Ole Gunnar Solskjær será seleccionador da Noruega (após uma pausa). A continuidade de Ole Gunnar Solskjær no Manchester United não está garantida. Há algum tempo que a capacidade do norueguês …

Há três anos que chove nos corredores da urgência do hospital de Setúbal

Há três anos que chove nos corredores da urgência do hospital de Setúbal. Sindicalistas alertam para a situação precária vivida pelos profissionais de saúde sadinos. O "estado de calamidade" em vários hospitais pelo país inteiro não …

O dono do Boavista, Gerárd Lopez.

Dono do Boavista investiu 15 milhões e desabafa: "podiam chegar aqui 11 Messis..."

Gerárd Lopez, dono do Boavista, diz que investiu 15 milhões de euros no clube e explica os maus resultados da equipa na época passada, em que por pouco não desceu de divisão. O Boavista estará a …

O Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa

Os dados estão lançados e o calendário traçado. Eis os próximos passos da crise política até às (possíveis) eleições antecipadas

De acordo com as declarações recentes do Presidente da República e da própria lei eleitoral para a Assembleia da República, e caso se confirme a dissolução do Parlamento, o país deve ir a votos logo …

Dyego Souza, lembra-se? Um hat-trick após mais de 2 anos em branco

Internacional português foi fundamental na vitória do Almería. Não marcava qualquer golo desde Setembro de 2019, incluindo a sua passagem pelo Benfica. Dyego Sousa, 32 anos, avançado brasileiro que chegou a Portugal ainda adolescente, voltou aos …

Na Roménia, quem não foi vacinado é sujeito a recolher obrigatório durante a noite

A Roménia proibiu as pessoas que não foram ainda vacinadas contra a covid-19 de saírem de casa entre as 22h e as cinco da manhã. Durante este horário, os habitantes que não apresentarem um certificado de …