Crocodilo apedrejado até à morte por visitantes de um Zoo na Tunísia

7

-

Um crocodilo de um Zoo da Tunísia morreu após ter sido atingido por pedras, alegadamente arremessadas por um grupo de visitantes. O caso está a chocar o país, depois de El Salvador ter vivido uma situação semelhante com um hipopótamo.

No fim de Fevereiro, foi notícia que um hipopótamo do Jardim Zoológico nacional de El Salvador foi morto à facada, dentro da sua jaula – um caso de extrema brutalidade, que terá sido cometido por visitantes do Zoo, e que parece agora ter-se repetido também na Tunísia, mas com um crocodilo.

A denúncia foi feita pela Câmara Municipal de Tunes, a capital da Tunísia, que publicou no seu perfil do Facebook fotos do incidente, mostrando o crocodilo ensanguentado e morto, junto das pedras com que lhe terão tirado a vida.

Falando num “acto bárbaro”, o Município refere que “um grupo de visitantes” atingiu o crocodilo no Jardim Zoológico de Belvedère, em Tunes, com pedras na cabeça, causando-lhe uma “hemorragia interna” que levou à sua morte no local.

O incidente terá ocorrido na passada quarta-feira, 1 de Março, a meio da tarde, e foi confirmado à Agência France Presse pelo responsável do Zoo e veterinário Amor Ennaifer, conforme cita a Fox News.

“É terrível, não pode imaginar o que os animais aguentam de alguns visitantes”, queixa-se Ennaifer, notando que também é habitual atirarem pedras aos leões e aos hipopótamos.

No site de jornalismo do cidadão Tunis Tribune, o veterinário também denuncia que há visitantes que deixam atrás de si “dejectos” e “sacos de plástico”, lamentando que as barreiras de protecção e os guardas existentes no Zoo não sejam suficientes, “sobretudo neste período do ano, de férias e visitas escolares”.

  SV, ZAP //

7 Comments

  1. Mas nao ha camaras e pedidos de identificaçao à entrada? Hà pessoas a quem a maxima de olho por olho,dente por dente se aplicava às mil maravilhas…

  2. E eu a pensar que isto aqui em Portugal estava mal de educação e respeito…
    Se fosse o diretor do zoo resolvia o problema num instante. FREEDOM

  3. Era fazer-lhes o mesmo a ver se gostavam, já dizia o Einstein ” 2 coisas são infinitas, o universo e a estupidez humana”

Deixe o seu comentário

Your email address will not be published.