Rússia não está em guerra só com a Ucrânia. Há uma nova guerra entre os russos

2

Jonathan Mallard / Flickr

População local dispara mais em todo o país. Neste ano, crimes com armas de fogo subiram 675%, só em Kursk. CIA procura russos “aliados”.

A Rússia invadiu a Ucrânia no início de 2022, ainda em Fevereiro, e assim iniciou uma guerra.

Mas em 2022 há outro tipo de guerra, interna, a subir como nunca dentro do país: os crimes com armas de fogo.

A estação televisiva russa RBC destacou nesta quarta-feira que, entre Janeiro e Outubro deste ano, houve um aumento de 29,7% de crimes com recurso a armas de fogo, munições, artefactos explosivos

A RBC cita dados do ministério da Admnistração Interna da Rússia, que também divide os dados por regiões.

A cidade que se destaca, de longe, é Kursk, onde os crimes com armas de fogo subiram 675% nos primeiros 10 meses deste ano. Segue-se Belgorod, com uma subida de 213% destes crimes.

Refira-se que estas duas cidades ficam perto da Ucrânia, junto à fronteira. Zonas onde há diversos bombardeamentos, por isso seria natural os números subirem.

No entanto, destaca-se a cidade que está no terceiro lugar: Moscovo. A capital fica a mais de 500 quilómetros da Ucrânia e registou um aumento de 203% de crimes com armas de fogo. Ou seja, mais do que triplicaram, em relação a 2021.

Também subiu o número de roubo e extorsão de armas, munições e explosivos (12,6%) e de crimes graves cometidos por grupos organizados aumentaram (21,5%).

Também de acordo com o ministério da Admnistração Interna da Rússia, diminuiu (7,3%) o número de crimes relacionados com tráfico ilegal de armas.

CIA procura russos insatisfeitos

A Agência Central de Inteligência (CIA) está à procura de russos insatisfeitos com a guerra na Ucrânia.

David Marlowe, director de operações da CIA, anunciou: “Estamos à procura, em todo o mundo, de russos que estão tão insatisfeitos com isto quanto nós. Estamos abertos a negociar“.

Citado pelo The Wall Street Journal, David Marlowe comentou que a guerra é um fracasso para Vladimir Putin, presidente da Rússia.

“Putin estava no seu auge até ao dia em que invadiu a Ucrânia. Conseguia coagir a Ucrânia, influenciar a NATO e demonstrar que a Rússia é uma nação poderosa. Deitou tudo isso fora, cada pedacinho disso”.

  Nuno Teixeira da Silva, ZAP //

2 Comments

  1. Putin é poderoso, conseguiu colocar o Mundo Livre todo contra a Rússia, na Assembleia da ONU só é apoiado por 4 países, conseguiu alargar a NATO a mais 2 países, Suécia e Filandia, conseguiu que a candidatura da Ucrânia à União Europeia fosse aceite, conseguiu matar 100.000 russos na Guerra, conseguiu que a Rússia ficasse isolada economicamente com um pacote de sanções nunca antes visto. Conseguiu que uma Operação Militar Especial projetada para durar menos de uma semana se transformasse numa Guerra que já dura há nove meses. Conseguiu que a Ucrânia recebesse ajuda militar dos países da NATO, conseguiu virar um pária mundial.

Deixe o seu comentário

Your email address will not be published.