Crianças religiosas são menos generosas que as ateias

Pessoas não religiosas (agnósticas ou ateias) são muitas vezes vistas como moralmente suspeitas, não confiáveis ou até mesmo imorais. No entanto, um novo estudo sugere exatamente o oposto.

Enquanto os pais religiosos têm muitas razões para querer educar os filhos dentro da sua fé, incluindo o desejo de assegurar que a criança se torne uma pessoa justa e generosa, o novo estudo conclui que essa vontade não se traduz em realidade.

De acordo com os resultados da pesquisa internacional que analisou o comportamento de crianças de seis países diferentes, publicada na Current Biology, as crianças com educação religiosa demonstram muito menos altruísmo do que os colegas não religiosos.

“Os resultados contradizem o senso comum de que as crianças de famílias religiosas são mais altruístas e gentis com os outros”, afirma Jean Decety, professor de Psicologia e Psiquiatria na Universidade de Chicago, nos EUA. “No nosso estudo, as crianças de famílias de ateus e não religiosos eram, de fato, mais generosas“.

O método

Uma equipa de psicólogos estudou o comportamento de mais de 1.100 crianças entre idades de 5 e 12 anos no Canadá, China, Jordânia, África do Sul, Turquia e EUA.

Eles queriam analisar a tendência das crianças para partilhar – uma medida do seu altruísmo e generosidade – e quão propensas eram a julgar os outros ou puni-los por comportamentos percebidos como maus.

Para medir o sentido de altruísmo das crianças, os investigadores pediram que jogassem um jogo no qual podiam, se quisessem, partilhar cromos.

Para avaliar a sua sensibilidade moral, as crianças assistiram a desenhos animados em que as personagens esbarravam umas nas outras, acidentalmente ou de propósito, e foi-lhes pedido que comentassem sobre o que viram e determinar o nível de punição necessária.

Além dos testes, os pais das crianças preencheram questionários detalhando as suas práticas e crenças religiosas. As famílias foram classificadas em três grupos: cristãos, muçulmanos ou não religiosas. Outros grupos religiosos também estavam presentes, mas não em proporções estatisticamente significativas.

Descobertas

As crianças religiosas eram significativamente menos propensas a partilhar os seus cromos do que as crianças de origem não religiosa.

O comportamento não altruísta foi mais pronunciado nas crianças que tinham sido expostas à religião por um longo tempo, embora todas as crianças no estudo, em geral, mostrassem mais inclinação para partilhar à medida que cresciam.

As crianças religiosas também foram mais propensas a favorecer punições mais fortes para o comportamento antissocial que testemunharam nas animações. Além disso, foram mais duras no julgamento do que as crianças não religiosas quando se tratava de avaliar a os personagens que esbarraram um no outro.

“No conjunto, estes resultados revelam a semelhança entre os países na forma como a religião influencia negativamente o altruísmo nas crianças”, afirma Decety. “Eles desafiam a visão de que a religiosidade facilita um comportamento pró-social e põem em causa se a religião é vital para o desenvolvimento moral“.

HypeScience

PARTILHAR

6 COMENTÁRIOS

  1. É por mais evidente que a religião nada tem a ver com o desenvolvimento moral e principalmente para o desenvolvimento ético e de cidadania. Nos países mais religiosos do Mundo, principalmente cristão e muçulmanos, todas as estatisticas apontam para percentagens enormes de criminalidade hiper violenta (paises árabes /africanos e américa do sul por exemplo) enquanto na Europa desenvolvida que é bastante menos ligada ás religiões essa criminalidade é residual.

  2. O nível de desenvolvimento moral/cívico nada tem a ver com religião mas com educação! Tem tudo mais a ver com o nível académico dos pais independentemente se são religiosos ou não. Evidentemente que o número de pessoas não religiosas aumenta proporcionalmente conforme aumenta o seu nível de formação intelectual. Logo, a probabilidade de uma criança ateia estar inserida numa família com níveis de formação intelectual/académico superior é mais elevado do que estar inserida numa família religiosa. Não estou a dizer que as pessoas religiosas são menos ou mais formados que as ateias, estou a dizer que existem muito mais ateus em estratos sociais de elevado nível académico, apenas isso.

  3. Como não têm a muleta da religião os pais ateus preocupam-se a instilar valores morais aos filhos. Os religiosos ficam satisfeitos com o que as religiões lhes ensinam, além de que todas as religiões são baseadas no conceito do pecado e respectivo castigo, por vezes eternos, razão pela qual provavelmente muitas dessas crianças achem que as punições devam ser mais severas. A religião separa as pessoas que não sejam do mesmo credo enquanto que os ateus medem todos por igual e não vêm qualquer restrição em compartilhar com quem quer que seja.

  4. Uma amostra de 1100 crianças de seis países dá cerca de 200 crianças por país. Tirar alguma conclusão de uma amostra destas é uma autêntica crendice. Paciência… é a «ciência» que temos. Se quem divulga notícias deste género fosse mais exigente, toda a sociedade teria a ganhar.

RESPONDER

Há uma nova linha temporal do passado cataclísmico da Terra

Bem-vindos ao Sistema Solar primitivo. Logo após a formação dos planetas há mais de 4,5 mil milhões de anos, a nossa vizinhança cósmica era um lugar caótico. Ondas de cometas, asteroides e até protoplanetas seguiram …

Belenenses 0-2 Benfica | Rafa Silva destrói resistência azul

O Benfica foi ao Jamor vencer o Belenenses por 2-0, num jogo muito complicado para as “águias”, em especial no primeiro tempo, mas que acabou resolvido na etapa complementar. Rafa Silva foi o “abre-latas” de …

Cofundador do Alibaba paga 3,5 mil milhões para ser o único dono dos Brooklyn Nets

O cofundador do Grupo Alibaba, Joseph Tsai, vai pagar mais 3,5 milhões de dólares para ser o único dono da equipa de basquetebol norte-americana Brooklyn Nets, avança esta sexta-feira a Bloomberg. O multimilionário já detinha 49% da equipa, …

Instagram, Facebook e Whatsapp prejudicam saúde mental das crianças

Um estudo de investigadores da University College London demonstra que a utilização de redes sociais como o Instagram, o Facebook e o Whatsapp estão a causar danos ao bem-estar das crianças e jovens. A investigação, cujos …

Clínica da Opus Dei diz que homossexualidade causa gastroenterite

A Clínica Universitária de Navarra, que pertence à prelatura da Opus Dei, defende que a homossexualidade e a promiscuidade são causadoras de gastroenterite. No guia de atuação de urgência sobre esta condição médica, a Clínica Universitária …

Sporting anuncia saída de Bas Dost para o Eintracht de Frankfurt

O goleador holandês Bas Dost está de saída para o Eintracht Frankfurt, anunciou este sábado o Sporting. O clube alemão também já confirmou a transferência. O Sporting anunciou ter chegado a um princípio de acordo com …

Há centenas de esquilos pretos a invadir os Estados Unidos (e já se sabe porquê)

Biólogos do Reino Unido decifraram o mistério de todos os esquilos cinzentos (Sciurus carolinensis) que correm pelos Estados Unidos com pêlo preto. O pouco do código genético que faz com que as espécies de esquilo cinza …

Morreu Marium, o mais famoso dugongo da Tailândia. Comeu plástico

Quando foi resgatado, em abril, tornou-se uma estrela na Tailândia. O dugongo órfão, chamado Marium, acabou por morrer este sábado, devido a uma infeção causada pela ingestão de plástico, de acordo com os veterinários que …

Afinal, "cura milagrosa" para o cancro pode matar

O jornal britânico The Guardian denuncia o esquema do autoproclamado "Genesis II Church of Health and Healing" - que na verdade não é nem uma igreja nem uma instituição de saúde. Este sábado terá lugar em …

Há uma cidade na Venezuela que é "invisível"

Guanta está lá, embora não seja fácil vê-la. Vistas a partir de El Morro, do outro lado da baía, as suas luzes piscam sob uma nuvem baixa. É uma nuvem diferente das outras, mais espessa, mais …