Costa alerta para risco de fuga de cérebros (e pede acordo de rendimentos)

O primeiro-ministro alertou esta quinta-feira para o risco de fuga de cérebros das gerações mais jovens e qualificadas, e insistiu na importância de se alcançar na concertação social um acordo sobre a política de rendimentos.

Numa intervenção na sessão de abertura da conferência dos 30 anos do jornal Público, em Lisboa, com o tema “Portugal… e agora?”, António Costa fez uma longa exposição sobre os desafios que se apresentam ao país e as metas traçadas pelo Governo para a década.

“Temos de ter a noção que, apesar da queda do desemprego e da melhoria dos rendimentos, o peso dos salários no Produto Interno Bruto (PIB) continua significativamente abaixo da média europeia, e muito abaixo do início do século”.

Por essa razão, explicou, o Governo tem insistido muito junto dos parceiros sociais na necessidade de um acordo de rendimentos de longo prazo “que tenha como meta a convergência com a Europa no peso dos salários no PIB”, alertando que tal é “vital para manter as novas gerações motivadas” e em Portugal.

“Das duas uma: ou somos capazes de responder a essa expectativa, ou corremos o risco de sofrer efetivamente um fenómeno muito significativo de ‘brain drain’ [fuga de cérebros], é um risco que não podemos correr. Não nos podemos dar ao luxo de perder a geração mais qualificada que o país alguma vez teve”, disse.

Alertando que “não há empresas viáveis se não forem competitivas a contratar”, o líder  reiterou esperar que seja dada uma resposta em sede de concertação social, que tem debatido, até agora sem resultados, este acordo de longo prazo sobre os rendimentos.

Numa exposição de mais de 40 minutos, o primeiro-ministro apontou a dinâmica demográfica como um dos desafios que se colocam ao país, mas alertou que não se combate apenas com estímulos à natalidade.

“As políticas focadas na natalidade são muito importantes, mas uma política ativa de imigração é fundamental (…) Faz-me sempre uma enorme impressão que a Europa olhe de forma bastante disfuncional para a necessidade de repor o equilíbrio demográfico e a forma defensiva como olha para a política migratória”, criticou.

Dinâmica demográfica

António Costa salientou os desafios que a dinâmica demográfica – com mais pessoas mais velhas – vão colocar quer no Serviço Nacional de Saúde, quer na Segurança Social, setor em que defendeu “novas formas de financiamento”, além das já existentes, como o adicional do IMI ou a consignação de parte da receita do IRC.

“Sabemos que a Segurança Social estará sob pressão crescente até à década de 40 e essa pressão tem de ser respondida (…) Temos de alocar outras formas de financiamento, que não exclusivamente assentes na massa salarial, para robustecer a Segurança Social”.

Respondendo à pergunta colocada pela conferência – “Portugal…e agora?” -, o primeiro-ministro defendeu que a primeira resposta “é algo monótona”. “Nós não cumprimos ainda o nosso destino, a primeira coisa que temos de fazer é algo bastante monótono, que é continuar o caminho, continuar o que temos vindo a fazer“, defendeu.

Para o primeiro-ministro, esse caminho passa por manter, na próxima década, a convergência com a União Europeia, “continuar a melhorar o rendimento das famílias e a reduzir as desigualdades”, e simultaneamente vencer os desafios demográfico, climático ou da transição digital.

A este propósito, Costa apontou que o papel liderante da Europa na transição climática e digital será tema central do Conselho Europeu informal e da cimeira social que Portugal organizará na presidência Portuguesa da União Europeia, em maio de 2021, no Porto.

Nas metas que enumerou para o país na próxima década – e que constam do programa do Governo -, o primeiro-ministro incluiu tornar o rácio da dívida pública no PIB inferior a 100% até 2023, aumentar do peso das exportações até 50% do PIB até meados da década, aumentar salário mínimo para 750 euros no final da legislatura, conseguir erradicar a pobreza entre os idosos, garantir que em 2030 seis em cada dez jovens frequentam o ensino superior ou, nesse mesmo ano, alcançar a neutralidade carbónica.

“Há uma outra meta que desejo: que é mais 30 anos para o jornal Público“, desejou, salientando que este jornal marcou a sua geração.

// Lusa

PARTILHAR

2 COMENTÁRIOS

  1. Com a carrada de impostos que ele próprio criou e continua a criar, é normal que os “cerebros”, que geralmente ganham bem acima dos salários mínimos e que pagam 40% para irs mais 11% de segurança social, 21% pago pelo patrão e ainda 23% de iva se vão embora.

  2. A Politica Marxista, do tudo por Decreto-Lei.
    Faltam só 20 Anos para a Comunada Socialista / Marxista atingir o seu obejctivo: Portugal o pais mais Pobre da UE. De um dos mais ricos em 1974, até ao mais Pobre é o resultado das Politicas das Comunada Socialista / Marxista dos ultimos 45 Anos.
    E, é seguindo essa Politica da perseguição aos Patroes, aos Ricos, ao Capital que atingem esse objectivo.
    Dizia o PCP no tempo do PREC os “Ricos que paguem a Crise”. E, agora os Patroes que PAGUEM, mesmo que não Recebam para isso.
    Temos aqui os trafulhas das esquerdas, “pegar” num indicador qualquer e fazer comparações saloais para atingir um fim.
    Se o Trabalhador só produz 1 não se pode Pagar 2!!!!
    É simples e Trivial a situação dos Salarios! Mas, pelos visto o Costa e os outros Marxistas / Socialistas não conseguem compreender, nem fazendo um Desenho, confirmando-se assim que são Burros. Mas querem MANDAR e tem os Decretos-Leis para “Obrigar” ou seja, uma Ditadura de Burros do Estado

RESPONDER

Polícias em protesto abandonaram parlamento (mas voltaram para trás)

A manifestação de elementos das forças de segurança pertencentes ao Movimento Zero abandonou esta segunda-feira, cerca das 15h30, o parlamento, alegadamente em direção ao Ministério da Administração Interna, mas a meio do percurso voltou para …

Sobrevivência da TAP depende da “implementação rigorosa” da reestruturação

O presidente executivo interino da TAP, Ramiro Sequeira, despediu-se esta segunda-feira dos trabalhadores sublinhando que a sobrevivência da companhia aérea dependerá da "implementação rigorosa" do plano de reestruturação. Num email enviado aos trabalhadores, a que a …

Novo (e nono) caso positivo de covid-19 no Euro 2020

Billy Gilmour não vai participar no último jogo da Escócia na fase de grupos, que pode terminar com uma qualificação inédita. Há mais um futebolista infetado pelo novo coronavírus, entre os que foram convocados para a …

Governo britânico estuda isenção de quarentena para vacinados

O primeiro-ministro britânico, Boris Johnson, admitiu esta segunda-feira estar a avaliar a possibilidade de isentar de quarentena pessoas totalmente vacinadas contra a covid-19 que cheguem do estrangeiro, mas evitou falar sobre a expansão da “lista …

Temido quer “ganhar tempo” para conter variante Delta. Em julho, serão administradas 130 mil doses por dia

A ministra da Saúde admitiu esta segunda-feira que a variante Delta do coronavírus SARS-Cov-2 se tornará dominante em Portugal e disse que a estratégia é acelerar a vacinação contra a covid-19. “O que estamos a assistir …

Pais de bombeiro que morreu relatam vegetação lastimável na EN 236-1

Os pais do bombeiro Gonçalo Conceição, que morreu na sequência de queimaduras nos incêndios de Pedrógão Grande, relataram esta segunda-feira, no Tribunal Judicial de Leiria, que a vegetação junto à Estrada Nacional (EN) 236-1 estava …

Em 2020, nasceram em casa o dobro dos bebés do ano anterior. Mas não existe regulamentação

No último ano, os partos em casa aumentaram para quase o dobro em Portugal. No entanto, esta é uma realidade ainda sem regulamentação e que as seguradoras recusam financiar. Mais de 1100 mulheres optaram por …

Noah brincou e "comportou-se de forma muito normal". Alta hospitalar já foi autorizada

A criança de dois anos e meio que esteve desaparecida mais de 30 horas em Proença-a-Velha, concelho de Idanha-a-Nova, teve esta segunda-feira alta do Hospital Amato Lusitano, disse a diretora clínica daquela unidade hospitalar de …

Espanha. Indultos aos líderes catalães serão aprovados na terça-feira, anuncia Sánchez

O primeiro-ministro espanhol, Pedro Sánchez, informou que o conselho de ministros vai aprovar na terça-feira a concessão de indultos aos líderes independentistas catalães, anúncio feito esta segunda-feira, no Grande Teatro do Liceu, em Barcelona. "Amanhã [terça-feira], …

Número de desempregados inscritos nos centros de emprego recua em maio

O número de desempregados inscritos nos centros de emprego recuou 1,7% em maio em termos homólogos e 5,1% face a abril, segundo dados divulgados hoje pelo Instituto do Emprego e Formação Profissional (IEFP). De acordo com …