A cor da sua roupa pode afetar a vida selvagem

Um estudo da Universidade de Birghamton, em Nova Iorque, concluiu que a nossa escolha de roupa pode afetar os hábitos comportamentais da vida selvagem em nosso redor.

Lindsey Swierk, professora assistente de pesquisa em ciências biológicas da Universidade de Binghamton, colaborou num estudo com o objetivo de perceber a forma como os ecoturistas poderiam, sem intenção, ter um efeito sobre a vida selvagem nativa da região. Para isso, Swierk e a sua equipa foram à Costa Rica para conduzir o estudo sobre anolis aquáticos (Anolis aquaticus), uma variedade de lagarto.

“Estudo anolis aquáticos há cinco anos e ainda me surpreendo com a sua história e comportamento naturais únicos”, disse Lindsey Swierk, citada pelo EurekAlert. “Um dos motivos pelos quais os anolis aquáticos foram escolhidos é porque são restritos a uma faixa bastante pequena e podemos ter certeza de que estas populações em particular não tinham visto muitos seres humanos nas suas vidas. Portanto, tínhamos muita confiança de que as populações não eram tendenciosas por interações humanas anteriores”.

Os cientistas foram ao Centro Biológico Las Cruces, na Costa Rica. Para colher dados, visitaram três locais diferentes do rio, vestindo uma camisola colorida: laranja, verde ou azul. O foco do estudo foi ver como os anolis aquáticos reagiam às diferentes cores.

O laranja foi escolhido porque o animal apresenta sinais sexuais alaranjados. O azul foi escolhido como contraste, uma vez que o corpo desta espécie não possui a cor azul. Já o verde foi selecionado como uma cor semelhante ao ambiente da floresta tropical do local de teste.

Lindsey Swierk

-

Anolis aquático

“Com base em trabalhos anteriores sobre a forma como os animais respondem a estímulos de cores, desenvolvemos uma hipótese de que usar cores que são ‘usadas’ pelos anolis aquáticos seria menos assustador para esses lagartos”, disse Swierk.

De acordo com o estudo publicado em dezembro na revista científica Biotropica, os resultados apoiaram essa hipótese. Os investigadores vestidos de laranja relataram um maior número de anolis vistos por hora e uma maior percentagem de captura de lagartos. “Foi muito surpreendente ver que a cor verde, que nos camuflava bem na floresta, era menos eficaz do que usar uma laranja muito brilhante!”, disse Swierk.

Para a investigadora, uma das maiores conclusões deste estudo é que ainda não conseguimos entender a forma como os animais veem o mundo. Swierk espera que os resultados possam ser usados ​​dentro da comunidade de ecoturismo para reduzir os impactos sobre a vida selvagem que desejam ver.

ZAP //

PARTILHAR

RESPONDER

Braga 0-1 Rangers | "Guerreiros" eliminados por pé Kent

O Sporting de Braga caiu nos 16 avos-de-final da Liga Europa. Após a derrota por 3-2 na visita ao Rangers na semana passada, após estar a vencer por 2-0, os “arsenalistas” foram donos e senhores …

Violada, drogada e raptada. Cantora Duffy explica o seu desaparecimento da cena musical

A cantora galesa Duffy que fez sucesso, em 2008, com a música "Mercy", esteve vários anos afastada dos holofotes do mundo da música e explica, agora, que isso se deveu ao facto de ter sido …

Neeleman continua na TAP, mesmo com a entrada da Lufthansa

David Neeleman vai manter-se como acionista da companhia aérea portuguesa, mesmo que a Lufthansa venha a entrar no capital da TAP. Sabe-se que a Lufthansa está a estudar, juntamente com a United Airlines, a aquisição dos …

Escócia aprova plano para dar tampões e pensos grátis a todas as mulheres

O Parlamento escocês aprovou, esta terça-feira, um projeto de lei para disponibilizar gratuitamente produtos de higiene feminina a todas as mulheres. A Escócia será o primeiro país a avançar com uma medida deste tipo. O plano …

Bruxelas regista lentidão no desenvolvimento da ferrovia e dos portos portugueses

A Comissão Europeia fez hoje várias observações sobre a lentidão do desenvolvimento de projetos na ferrovia e nos portos portugueses, num relatório elaborado no âmbito do pacote de inverno do semestre europeu. Abordando os setores ferroviário …

Há dois anos, o Governo deu luz verde a doutoramentos nos politécnicos (mas ainda não mudou a lei)

O Governo deu luz verde aos doutoramentos nos politécnicos e, por isso, criou em 2018 uma lei para mudar o panorama. Contudo, esta só funciona se a Lei de Bases mudar. Em 2018, o Conselho de …

Neymar recusa treinar depois de não ser convocado

O futebolista brasileiro Neymar, que joga atualmente no PSG, recusou-se a treinar no dia seguinte a não ter sido convocado para o jogo frente ao Dijon, para a Taça de França, revelou esta quarta-feira o …

"Poesia de emergência". Espanhóis criam número de telefone para quem quiser ouvir poemas

O projeto "Poesia de Emergência" nasceu no início de 2018 e tem mais de uma centena de voluntários que recitam poemas próprios autores conhecidos. Basta ligar para um número.   A ideia, que já tem voluntários em …

Vitalino Canas: "Andei 40 anos a preparar-me para ser juiz do Tribunal Constitucional"

O ex-secretário de Estado Vitalino Canas assumiu hoje, no parlamento, que esteve nos últimos “40 anos” a preparar-se para “ser juiz do Tribunal Constitucional”, e salientou que se for eleito não será porta-voz “de nenhum …

Lei que proíbe eutanásia "comercial" considerada inconstitucional por tribunal alemão

O Tribunal Constitucional da Alemanha considerou esta quarta-feira inconstitucional uma lei de 2015 que proíbe o suicídio assistido "organizado" por médicos ou associações. A lei privou doentes em fase terminal do "direito de escolher [a sua] …