Cientistas criam cola sintética que pode ajudar a tratar intolerância à lactose

(dr) Junwei Li / MIT

Tecido intestinal de porcos sem (esquerda) e com (direita) esta cola sintética

Uma cola sintética que adere ao intestino delgado pode ser a base de um tratamento para vários problemas de saúde, como a intolerância à lactose, a diabetes e a obesidade.

O intestino delgado absorve nutrientes dos alimentos, mas nem sempre funciona com todo o seu potencial. Por exemplo, pode não produzir quantidade suficiente de uma enzima chamada lactase, necessária para digerir a lactose.

Por isso, para ajudar a tratar este e outros distúrbios digestivos, uma equipa de investigadores do Instituto de Tecnologia de Massachusetts (MIT), nos Estados Unidos, desenvolveu uma cola sintética que pode revestir o intestino delgado e regular a absorção de vários nutrientes, avança o site New Scientist.

Este revestimento é introduzido no corpo humano através de uma bebida que contém produtos químicos que se unem quando encontram uma determinada enzima no intestino delgado. A substância resultante, chamada polidopamina, é semelhante à cola que os mexilhões usam para se agarrarem as rochas húmidas à beira-mar.

Nos testes com porcos, os cientistas descobriram que podiam controlar a absorção de diferentes nutrientes no intestino delgado ao adicionar várias substâncias na sua invenção. Foram capazes, por exemplo, de aumentar a digestão da lactose em 20 vezes ao incorporar lactase na sua cola sintética.

A equipa também conseguiu reduzir a absorção de glicose, misturando um tipo específico de nanopartícula neste revestimento, o que poderá representar um novo tratamento para doenças como a diabetes e a obesidade.

O revestimento sintético aderiu ao intestino delgado durante cerca de 24 horas antes de ser naturalmente lavado e expelido do corpo dos cobaias. Isto significa que a bebida teria de ser consumida diariamente para continuar a ter resultados.

Não foram observados efeitos colaterais nos porcos, mas vão ser precisos mais estudos noutros animais, possivelmente primatas, antes de a equipa poder avançar para os testes em pessoas.

“Prevemos que os primeiros estudos em humanos aconteçam nos próximos três a cinco anos”, afirma o investigador Giovanni Traverso, um dos autores do estudo publicado, a 26 de agosto, na revista científica Science Translational Medicine.

ZAP //

PARTILHAR

RESPONDER

Tempestade de areia "engoliu" cidade na China

Uma forte tempestade de areia "engoliu" a cidade de Dunhuang, no noroeste da China, no passado domingo. De acordo com o South China Morning Post, a forte tempestade de areia, que provocou nuvens de poeira com …

Raíssa faz bolachas com o lema "Fora Bolsonaro". Já se tornaram virais

Uma brasileira começou a fazer bolachas com o lema "Fora Bolsonaro" em jeito de brincadeira, mas agora já vende centenas todos os dias. Aquilo que começou como uma simples brincadeira, acabou por tornar-se viral. A ideia …

Zara, 19 anos, quer ser a mulher mais nova de sempre a voar sozinha à volta do mundo

Uma jovem, de 19 anos, pôs mãos à obra para levar a cabo um "gap year" (o chamado ano sabático) com um propósito muito fora do comum: tornar-se a mulher mais nova de sempre a …

Francês diz ter usado método matemático para ganhar o Euromilhões

O francês, que não quis revelar a sua fórmula à imprensa, ganhou, no dia 11 de junho, 30 milhões de euros com a combinação com a qual jogava há um mês. A história foi contada, esta …

Mais de metade da população portuguesa já tem a vacinação completa

Mais de metade da população residente em Portugal (52%) já tem a vacinação completa contra a covid-19, revela o relatório semanal de vacinação divulgado esta terça-feira pela Direção-Geral da Saúde (DGS). Segundo o último relatório semanal …

Campeão olímpico criou problemas no seu país natal

Richard Carapaz, medalha de ouro no ciclismo, foi direto: "O país nunca acreditou em mim". Presidente do Equador, ministro e Comité Olímpico reagiram. Poucos dias depois de ter subido ao pódio final da Volta a França …

Jovens preocupados com fertilidade e efeitos secundários das vacinas contra a covid-19

Com o avanço das campanhas de vacinação, um grande número de pessoas das faixas etárias baixo dos 30 anos mostra-se relutante em tomar a vacina contra a covid-19. Os jovens falam de preocupações com fertilidade …

Dois gestos de Cla(ri)sse que ficam para a memória olímpica

Clarisse Agbégnénou foi campeã olímpica no judo, pela primeira vez - mas a atitude que demonstrou, mal venceu a final, ficará também nos registos. Campeã mundial cinco vezes, mais duas medalhas de prata. Cinco medalhas em …

Sindicatos avançam com ações legais para travar despedimento coletivo na TAP

Os sindicatos que representam os trabalhadores da TAP vão avançar com ações legais para travar o despedimento coletivo que a empresa iniciou na segunda-feira, que abrange 124 profissionais. "Até agora houve conversa, a partir de agora …

Ginastas alemãs usam fato integral para combater sexualização da modalidade

Ao contrário do que acontece com os ginastas masculinos, que podem optar por calções ou calças, as mulheres competem, desde o início da modalidade, de bodies que expõem grande parte do seu corpo. Quando, no último …