Cofina dá sete dias à Prisa para renegociar contrato. E rejeita pagar os 10 milhões

A Cofina dá sete dias à Prisa para evitar que o negócio falhe e alega que esta não pode ficar com os dez milhões de euros entregues como caução.

“A Cofina SGPS, S.A. informa, no âmbito da operação de aquisição da participação detida pela Promotora de Informaciones, S.A. (Prisa) na Grupo Media Capital, SGPS, S.A. através do contrato de compra e venda de ações representativas de 100% do capital social e dos direitos de voto da Vertix, SGPS, S.A., celebrado no dia 20 de setembro de 2019, que, no seu entendimento, o contrato não caducou por efeito insucesso do aumento de capital da Cofina, cujo prospeto foi objeto de divulgação no passado dia 17 de fevereiro, razão pela qual não são devidos os 10 milhões de euros”, referiu a empresa no comunicado colocado, hoje, no site oficial da Comissão do Mercado de Valores Mobiliários (CMVM).

“Não obstante, a Cofina enviou à Prisa, em 12 de março, uma notificação de resolução do contrato (na base de fundamentos que oportunamente serão objeto de divulgação pública), condicionada a que, no prazo de sete dias, a Cofina e a Prisa não venham a acordar numa modificação do contrato de forma a restabelecer um equilíbrio das prestações recíprocas conforme com os princípios da boa-fé”, lê-se na mesma nota.

Esta semana, a Cofina desistiu da compra da Media Capital alegadamente por falha no aumento de capital de 85 milhões de euros. Porém, de acordo com o semanário Expresso, a dona do CM pretende, agora, com este comunicado afirmar que não foi o falhanço do aumento de capital que ditou a quebra do negócio.

E, portanto, a empresa dá agora sete dias à Prisa para evitar que o negócio falhe. Para que tal não aconteça, pede que se negoceiem mudanças no contrato.

O grupo liderado por Paulo Fernandes não revela quais são as alterações necessárias para manter o negócio, mas, segundo o Observador, em causa estará mais uma correção no preço da aquisição para refletir os prejuízos extraordinários de 55 milhões de euros anunciados pela Media Capital para 2019.

Caso as duas partes não cheguem a acordo, a Cofina avança então para a resolução do contrato e ameaça revelar os fundamentos que estarão na base dessa resolução contratual.

Não tendo sido a falha do aumento de capital a razão para a compra não ter sido efetuada, a Cofina entende ainda que a Prisa não pode ficar com os 10 milhões de euros que foram entregues como caução na operação.

Hoje, a Cofina anunciou ainda que registou, em 2019, um resultado líquido de 7,2 milhões de euros, um valor 15,3% acima do obtido em 2018, numa base comparável, “excluindo operações descontinuadas”.

ZAP //

PARTILHAR

RESPONDER

Na África do Sul, há uma associação entre violência sexual e gravidez indesejada

Na África do Sul, as meninas que sofreram violência sexual têm maior probabilidade de relatar uma gravidez indesejada em comparação com aquelas que nunca sofreram violência sexual. Na África do Sul, a taxa de gravidez na …

Hackers russos associados ao ataque em hospital alemão que resultou na morte de uma paciente

O ataque informático num hospital alemão na semana passada, que resultou na morte de uma paciente em estado crítico, pode ter sido causado por um grupo russo com ligações ao crime cibernético. A informação é …

Paços 0-2 Sporting | “Leão” competente estreia-se com triunfo

Após o adiamento do jogo da primeira jornada ante o Gil Vicente, devido a vários casos de Covid-19 nas duas equipas, o Sporting estreou-se na Liga NOS 2020/21 e não vacilou. Na visita ao Paços de …

Medicamentos para a tensão arterial diminuem mortalidade em doentes com covid-19

Um estudo de meta-análise concluiu que medicamentos para a tensão arterial, ao contrário do que se pensava, reduzem a mortalidade em pacientes com covid-19. No início da pandemia, havia a preocupação de que certos medicamentos para …

A ilha mais povoada do Hawai pode perder 40% das suas praias até 2050

A subida do nível das águas do mar pode fazer com que a ilha mais povoada do Havai perca 40% das suas praias, alerta uma nova investigação. Em causa está a ilha de Oahu, a …

Pela primeira vez em 10 anos, a Wikipédia vai mudar de aparência

A icónica Wikipédia vai, pela primeira vez em 10 anos, ser modificada para tornar o site mais acessível - e menos "assustador" - para novos utilizadores. A Wikipédia tem sido parte integrante da cultura da web …

Encontrados medicamentos ilegais em suplementos para o cérebro

Cientistas encontraram medicamentos ilegais, não aprovados nos Estados Unidos, em suplementos que alegadamente melhoram o desempenho cognitivo. Clareza mental, criatividade aprimorada e uma memória extremamente nítida são algumas das promessas feitas a quem compra suplementos de …

Voluntários oferecem-se para cumprir pena de jovem acusado de blasfémia

Num ato de solidariedade, 120 voluntários pediram para cumprir a pena de um jovem nigeriano condenado a 12 anos de prisão por blasfémia. Entre os voluntários está o diretor do Memorial de Auschwitz. Ao todo, 120 …

ADN ajuda a identificar assassino em série num dos mais infames casos da Austrália

Uma amostra de ADN ajudou a justiça australiana a considerar um homem como culpado pelo assassinato de duas mulheres na década de 1990, encerrando um caso que permaneceu sem solução durante quase 25 anos. Durante quase …

Mais 665 casos e nove mortes por covid-19 em Portugal

Portugal regista, este domingo, mais 665 novos casos positivos e nove mortes por covid-19, segundo boletim epidemiológico da Direção-Geral da Saúde (DGS). Assim, desde o início da pandemia, Portugal conta com 73.604 infetados e 1.953 …