Cofina dá sete dias à Prisa para renegociar contrato. E rejeita pagar os 10 milhões

A Cofina dá sete dias à Prisa para evitar que o negócio falhe e alega que esta não pode ficar com os dez milhões de euros entregues como caução.

“A Cofina SGPS, S.A. informa, no âmbito da operação de aquisição da participação detida pela Promotora de Informaciones, S.A. (Prisa) na Grupo Media Capital, SGPS, S.A. através do contrato de compra e venda de ações representativas de 100% do capital social e dos direitos de voto da Vertix, SGPS, S.A., celebrado no dia 20 de setembro de 2019, que, no seu entendimento, o contrato não caducou por efeito insucesso do aumento de capital da Cofina, cujo prospeto foi objeto de divulgação no passado dia 17 de fevereiro, razão pela qual não são devidos os 10 milhões de euros”, referiu a empresa no comunicado colocado, hoje, no site oficial da Comissão do Mercado de Valores Mobiliários (CMVM).

“Não obstante, a Cofina enviou à Prisa, em 12 de março, uma notificação de resolução do contrato (na base de fundamentos que oportunamente serão objeto de divulgação pública), condicionada a que, no prazo de sete dias, a Cofina e a Prisa não venham a acordar numa modificação do contrato de forma a restabelecer um equilíbrio das prestações recíprocas conforme com os princípios da boa-fé”, lê-se na mesma nota.

Esta semana, a Cofina desistiu da compra da Media Capital alegadamente por falha no aumento de capital de 85 milhões de euros. Porém, de acordo com o semanário Expresso, a dona do CM pretende, agora, com este comunicado afirmar que não foi o falhanço do aumento de capital que ditou a quebra do negócio.

E, portanto, a empresa dá agora sete dias à Prisa para evitar que o negócio falhe. Para que tal não aconteça, pede que se negoceiem mudanças no contrato.

O grupo liderado por Paulo Fernandes não revela quais são as alterações necessárias para manter o negócio, mas, segundo o Observador, em causa estará mais uma correção no preço da aquisição para refletir os prejuízos extraordinários de 55 milhões de euros anunciados pela Media Capital para 2019.

Caso as duas partes não cheguem a acordo, a Cofina avança então para a resolução do contrato e ameaça revelar os fundamentos que estarão na base dessa resolução contratual.

Não tendo sido a falha do aumento de capital a razão para a compra não ter sido efetuada, a Cofina entende ainda que a Prisa não pode ficar com os 10 milhões de euros que foram entregues como caução na operação.

Hoje, a Cofina anunciou ainda que registou, em 2019, um resultado líquido de 7,2 milhões de euros, um valor 15,3% acima do obtido em 2018, numa base comparável, “excluindo operações descontinuadas”.

ZAP //

PARTILHAR

RESPONDER

Governo quer reabrir ensino secundário a 4 de maio. Telescola deve arrancar depois da Páscoa

O Governo está a preparar a reabertura das escolas apenas para o ensino secundário para 4 de maio. Ainda falta ouvir a Direção-geral da Saúde, os especialistas, o Conselho Nacional de Educação e o Conselho …

“Não há razão para alarme”. Governo quer perdoar penas até dois anos e antecipar liberdade condicional

A proposta de lei do Governo que estabelece um regime excecional para as prisões, no âmbito da pandemia covid-19, já deu entrada na Assembleia da República, podendo ser consultada na página oficial do Parlamento. No diploma, …

O nosso cérebro evoluiu para acumular mantimentos (e julgar os outros por fazer o mesmo)

O nosso cérebro evoluiu de uma forma que, em situações de stress, acumulamos mantimentos e julgamos os outros por fazer exatamente o mesmo. Os media estão repletos de histórias – e a condenação – de pessoas que …

Autarca de Vieira do Minho denuncia: testes estão a ser desviados para Lisboa

O Agrupamento de Centros de Saúde (ACES) Gerês/Cabreira, Vieira do Minho, detetou 77 infetados pelo novo coronavírus, com os autarcas da área a reclamarem contra a demora na distribuição de testes, disse esta sexta-feira à …

Trump recomenda uso de máscaras (mas recusa-se a usá-las)

Esta sexta-feira, os Estados Unidos tiveram, pelo quarto dia consecutivo, o maior número de mortes em 24 horas, num total de 1.094, e contam com quase 30 mil novos casos. No seu briefing diário, de acordo …

A Antártida já foi uma floresta tropical

A Antártida pode ter sido o lar de ecossistemas quentes e pantanosos cercados por fetos e árvores coníferas há 90 milhões de anos, altura marcada pelo auge dos dinossauros. Uma análise do solo antigo extraído da …

Algumas estrelas têm "veneno" dentro de si (e é por isso que explodem)

Algumas estrelas têm um "veneno" dentro de si: o elemento néon no núcleo das estrelas pode desencadear uma reação química que leva a uma morte definitiva e explosiva. Estrelas menos massivas, como o nosso Sol, expandem-se …

Criada tecnologia que traduz pensamentos diretamente em texto

Uma equipa de investigadores diz ter criado um sistema capaz de traduzir sinais cerebrais diretamente em texto escrito. Este é um passo promissor para que no futuro seja possível escrever num computador apenas com o …

Desaparecimentos, mistérios e lendas. O Triângulo do Alasca pode ser mais perigoso do que o das Bermudas

Milhares de pessoas desaparecem todos os anos no estado norte-americano do Alasca, fazendo lembrar as histórias do Triângulo das Bermudas, onde aviões e navios desapareceram sem deixar rastro. De acordo com a revista The Atlantic, três …

Descobertas sete novas aranhas-pavão. E uma parece um quadro de Van Gogh

Foram encontradas sete novas espécies de aranha do género Maratus. E há uma que se destaca por se parecer com "A Noite Estrelada", famoso quadro de Vincent Van Gogh. Nos últimos anos, as aranhas-pavão (do género Maratus) …