Cinco erros em cadeia podem ter permitido contágio do Ébola em Espanha

Aisha Faquir/World Bank

-

Cinco erros em cadeia podem ter sido responsáveis pelo primeiro caso de contágio pelo vírus do Ébola fora de África, incluindo a aplicação inadequada dos protocolos vigentes, de acordo com a imprensa espanhola.

O jornal ABC refere na sua edição desta quarta-feira que o contágio da auxiliar de enfermagem pode ter ocorrido quando a mulher tocou a cara depois de passar com a mão no seu uniforme.

Poderá igualmente não ter sido seguida a diretriz que define que a necessidade de haver sempre uma pessoa a observar quando qualquer funcionário de saúde sai do quarto do paciente.

Fontes citadas pelo jornal referem ainda a insuficiente formação como outro dos erros cometidos no âmbito deste caso, já que os funcionários médicos apenas receberam uma palestra informativa de 20 minutos, sem nunca terem realizado qualquer simulacro.

Outros erros terão sido cometidos posteriormente com a auxiliar de enfermagem Maria Teresa Romero, de 44 anos, que terá, por três vezes, ido a centros médicos – com febre – sem que lhe tenha sido realizada qualquer exame de saúde para deteção da doença.

A funcionária fez vida normal nos seis dias depois da morte do missionário espanhol com Ébola, com quem esteve em contacto pelo menos duas vezes, chegando mesmo a realizar um exame de admissão público.

O jornal refere ainda que a ambulância que transportou a auxiliar de enfermagem de casa para o hospital de Alcorcon na segunda-feira continua a trabalhar sem que se tenham ainda sido adotadas medidas preventivas ou de isolamento.

Esta cadeia de erros, alguns dos quais nos procedimentos e protocolos, é um dos motivos de maior queixa dos funcionários do setor da Saúde madrilena, que hoje convocaram uma concentração de protesto no Hospital Carlos III.

Contactos isolados

Fontes médicas referem que a mulher contagiada continua a receber tratamento experimental naquela unidade hospitalar, nomeadamente soro hiper-imune procedente da religiosa Paciência Melgar, que sobreviveu à doença em agosto.

Esse soro já lhe foi aplicado pelo menos duas vezes e fontes hospitalares explicaram que se registaram melhorias ligeiras no estado de saúde da mulher.

Uma outra pessoa foi admitida na noite de terça-feira no hospital Carlos III de Madrid, após a descoberta na segunda-feira, em Espanha, deste primeiro caso de contágio com o Ébola fora de África.

Trata-se de uma enfermeira que esteve em contacto com a auxiliar de enfermagem infetada pelo vírus e que foi admitida por precaução, com sintomas de febre muito ligeira.

No hospital Carlos III estão ainda isolados o marido da auxiliar de enfermagem, considerado “de alto risco” devido à sua proximidade à paciente, um homem que viajou para o estrangeiro e uma outra auxiliar de enfermagem que já teve um teste negativo.

Cerca de 50 pessoas que poderão ter estado em contacto com os doentes com sintomas mais graves já estão sob vigilância e foi iniciado um inquérito para identificar todos os habitantes da região que possam ter sido expostos, pelo facto de a auxiliar de enfermagem ter apresentado sintomas a partir de 30 de setembro e apenas ter sido hospitalizada na segunda-feira, dia 6 de outubro.

As autoridades sanitárias de Madrid querem abater o cão do casal e mantêm vigilância restrita no apartamento onde vivem, devendo hoje proceder a uma desinfeção das zonas comuns.

/Lusa

PARTILHAR

1 COMENTÁRIO

RESPONDER

O Ciclo Solar 25 vai afetar a vida na Terra (e a NASA explica como)

A cada 11 anos, o Sol inicia um novo ciclo solar, marcado por períodos de violentas erupções e explosões magnéticas. Em dezembro de 2019, teve início um novo ciclo solar. Na semana passada, a NASA e …

Criada para prevenir a guerra, a ONU enfrenta um mundo profundamente polarizado

Criada após a Segunda Guerra Mundial para evitar novos conflitos, a Organização das Nações Unidas (ONU) comemora esta segunda-feira o 75.º aniversário, num mundo polarizado que enfrenta uma pandemia, conflitos regionais, uma economia em declínio …

Mulher cai de carro em movimento enquanto grava vídeo para o Snapchat

Uma mulher, que ocupava o lugar do passageiro de um carro em movimento, caiu numa auto-estrada enquanto filmava um vídeo para a rede social Snapchat, no Reino Unido. Segundo a CNN, a mulher estava pendurada na …

Nos Estados Unidos, a venda de discos em vinil ultrapassou a de CD pela primeira vez desde 1986

Pela primeira vez desde 1986, as vendas de discos de vinil ultrapassaram as vendas de CD nos Estados Unidos em 2020. Os números foram apresentados na semana passada pela Associação Americana da Indústria de Gravação, …

Mourinho espera ganhar sem jogar

Tottenham iria defrontar o Leyton Orient mas também no Reino Unido há jogos de futebol em causa por causa do coronavírus. O encontro entre Leyton Orient e Tottenham, relativo à terceira eliminatória da Taça da Liga …

A máfia italiana tem uma nova arma de recrutamento: o TikTok

Os jovens membros da Camorra, organização criminosa aliada à máfia siciliana, estão a recorrer ao TikTok para divulgar o seu estilo de vida e recrutar novos membros. Em maio, um vídeo foi publicado no TikTok que …

Os três segredos para ter um bom sistema imunológico são gratuitos, avisa Fauci

Manter o sistema imunológico saudável é um dos fatores-chave para lidar com a covid-19, o que não implica necessariamente a toma de suplementos vitamínicos. Há uns tempos, quando confrontado com o facto de a atriz Jennifer …

Pinguim encontrado morto no Brasil com uma máscara inteira no estômago

Um espécime de pinguim-de-Magalhães (Spheniscus magellanicus) foi encontrado morto numa popular praia brasileira e a autópsia ao corpo revelou que o animal tinha no seu estômago uma máscara de proteção facial N95. O animal foi …

Trump quer restabelecer sanções ao Irão. ONU rejeita apoiar posição norte-americana

O secretário-geral da Organização das Nações Unidas (ONU), António Guterres, disse que somente apoiará a restituição de sanções ao Irão, exigidas pelos Estados Unidos (EUA), se receber luz verde do Conselho de Segurança. Numa carta dirigida …

Designer holandês desenvolve "caixão vivo" feito com fibras de fungos

Um corpo humano pode demorar cerca de uma década a decompor-se dentro de um caixão. Com o Living Cocoon, o tempo é reduzido para dois ou três anos. Bob Hendrikx, biodesigner fundador da Loop, desenvolveu e …