Cientistas utilizam cérebro artificial para encontrar estrelas velozes

ESA

Impressão de artista de duas estrelas a viajarem do centro da nossa Galáxia, a Via Láctea, para os seus arredores

Impressão de artista de duas estrelas a viajarem do centro da nossa Galáxia, a Via Láctea, para os seus arredores

Com a ajuda de um software que imita o cérebro humano, o satélite Gaia da ESA avistou seis estrelas que viajaram, a alta velocidade, do centro da nossa Galáxia para os seus arredores. Esta descoberta poderá fornecer informações importantes sobre algumas das regiões mais obscuras da Via Láctea.

A Via Láctea, a Galáxia onde vivemos, abriga mais de cem mil milhões de estrelas, todas mantidas juntas pela gravidade. A maioria está localizada numa estrutura achatada – o disco Galáctico – enquanto as estrelas restantes estão distribuídas num halo esférico mais amplo que se estende até cerca de 650.000 anos-luz do centro.

As estrelas não estão imóveis na Galáxia, movem-se em torno do Centro com uma variedade de velocidades, dependo da sua localização – por exemplo, o Sol orbita a cerca de 220 km/s, enquanto a média no halo ronda os 150 km/s. Ocasionalmente, algumas estrelas excedem essas velocidades já bastante impressionantes.

Algumas são aceleradas por um encontro estelar próximo ou por uma explosão de supernova de uma companheira estelar, resultando em estrelas fugitivas com velocidades até várias centenas de quilómetros por segundo acima da média.

Há pouco mais de uma década, foi descoberta uma nova classe de estrelas de alta velocidade. Viajando pela Galáxia a várias centenas de quilómetros por segundo, são o resultado de interações passadas com o buraco negro supermassivo situado no centro da Via Láctea e que, com uma massa de quatro milhões de sóis, governa as órbitas das estrelas na sua vizinhança.

“Estas estrelas hipervelozes são extremamente importantes no estudo da estrutura geral da nossa Via Láctea,” comenta Elena Maria Rossi da Universidade de Leiden, na Holanda, que apresentou a descoberta das novas seis estrelas pelo Gaia na Semana Europeia da Astronomia e das Ciências Espaciais em Praga, na República Checa.

“Estas são estrelas que viajaram grandes distâncias através da Galáxia, mas que podem ser traçadas até ao núcleo – uma área tão densa e obscurecida pelo gás e poeira interestelar que normalmente é muito difícil de observar – de modo que fornecem informações importantes sobre o campo gravitacional da Via Láctea, desde o centro até aos arredores.”

Infelizmente, as estrelas em rápido movimento são extremamente difíceis de encontrar no “palheiro” estelar da Via Láctea, pois os levantamentos atuais listam a velocidade de, no máximo, algumas centenas de milhares de estrelas.

Para as encontrar, os cientistas têm procurado estrelas jovens e massivas que se destacariam como intrusas na antiga população estelar do halo galáctico. Devido à sua idade “fora de lugar”, estas estrelas provavelmente receberam um impulso extra para alcançar o halo. As medições adicionais das suas velocidades e estimativas dos seus percursos passados podem confirmar se são, de facto, estrelas hipervelozes expulsas do centro da Via Láctea.

Até agora, foram avistadas apenas 20 estrelas deste tipo. Devido à seleção específica deste método, são todas estrelas jovens com uma massa entre 2,5 e 4 vezes a do Sol. No entanto, os cientistas pensam que muitas mais estrelas de outras idades ou massas estão a acelerar pela Galáxia, embora não tenham sido reveladas por este tipo de pesquisa.

O censo de mil milhões de estrelas, realizado pelo Gaia, oferece uma oportunidade única, assim que Elena e colaboradores começaram a perguntar-se como usar um tão vasto conjunto de dados para otimizar a busca por estrelas em rápido movimento.

Depois de testar vários métodos, voltaram-se para software através do qual o computador aprende com base em experiência anterior.

Um software que imita o cérebro humano

“No final, escolhemos usar uma rede neuronal artificial, um software desenhado para imitar o funcionamento do nosso cérebro,” explica Tommaso Marchetti, da Universidade de Leiden e autor principal do artigo publicado na revista Monthly Notices of the Royal Astronomical Society.

“Depois um ‘treino’ adequado, pode aprender a reconhecer certos objetos ou padrões num enorme conjunto de dados. No nosso caso, ensinámo-lo a detetar estrelas hipervelozes num catálogo estelar como o compilado com o Gaia.”

Como parte do projeto de investigação de Elena, para estudar estas estrelas, a equipa começou a desenvolver e a treinar este programa na primeira metade de 2016,de modo a estar pronto para o primeiro lançamento dos dados do Gaia alguns meses depois, no dia 14 de setembro.

Para além de um mapa com mais de mil milhões de posições estelares, este primeiro lançamento inclui um catálogo menor com distâncias e movimentos para dois milhões de estrelas, combinando observações do primeiro ano do Gaia com aquelas da missão Hipparcos da ESA, que catalogou o céu há mais de duas décadas atrás. Referida como a Solução Astrométrica Tycho-Gaia, ou TGAS (Tycho–Gaia Astrometric Solution), este recurso é uma “amostra” dos futuros catálogos baseados unicamente nos dados do Gaia.

“No dia do lançamento dos dados, corremos o nosso novo algoritmo nas duas milhões de estrelas do TGAS. Em apenas uma hora, o cérebro artificial já tinha reduzido o conjunto de dados até mais ou menos 20.000 potenciais estrelas de alta velocidade, reduzindo o seu tamanho até cerca de 1%.”, destacou Elena.

“Uma seleção adicional, incluindo apenas medições acima de uma certa precisão em distância e movimento, reduziu o número de candidatas estelares para 80.”

A equipa analisou essas 80 estrelas com mais detalhe. Uma vez que apenas as informações sobre o movimento da estrela, pelo céu, estão incluídas nos dados TGAS, tiveram que encontrar pistas adicionais para inferir a sua velocidade, estudando catálogos estelares anteriores ou realizando novas observações.

“Combinando todos estes dados, descobrimos que seis estrelas podem ser traçadas até ao Centro Galáctico, todas com velocidades acima dos 360 km/s,” explica Tommaso.

Ainda mais importante, os cientistas conseguiram examinar uma população diferente das 20 estrelas já conhecidas: as estrelas recém-identificadas têm todas massas inferiores, semelhantes à massa do nosso Sol.

Uma das seis estrelas parece viajar tão depressa, a mais de 500 km/s, que já não está vinculada gravitacionalmente à Via Láctea, pelo que eventualmente deixará de pertencer à nossa Galáxia. Mas as outras estrelas, ligeiramente mais lentas, são talvez ainda mais fascinantes, pois os cientistas estão ansiosos por aprender o que as desacelerou.

“Este resultado mostra o grande potencial do Gaia, abrindo novas vias para investigar a estrutura e a dinâmica da nossa Galáxia,” comenta Anthony Brown da Universidade de Leiden, coautor do estudo e presidente do Consórcio de Processamento e Análise dos Dados do Gaia.

Os cientistas estão ansiosos por usar os dados do próximo lançamento do Gaia, planeado para abril de 2018 e que vai incluir distâncias e movimentos, no céu, para mais de mil milhões de estrelas, bem como velocidades para um subconjunto.

ZAP // CCVAlg

 

PARTILHAR

RESPONDER

Grande tempestade de areia pode ter ditado o fim de um império da Mesopotâmia

O Império Acádio da Mesopotâmia entrou em colapso devido a uma enorme tempestade de areia, sugeriu uma nova investigação levada a cabo por cientistas da Universidade de Hokkaido, no Japão. Em comunicado, os especialistas explicam …

Encontrado templo milenar usado em rituais pagãos de veneração da água

O local tem 3.000 anos, onde investigadores encontraram 21 sepulturas, bem como várias peças de cerâmica e anéis de cobre. O templo era usado em rituais pagãos de veneração da água. Uma equipa de arqueólogos encontrou …

Elon Musk diz que inovações da Neuralink vão conseguir curar o autismo

Musk disse que a sua empresa Neuralink iria "solucionar uma série de doenças neurológicas", entre as quais o autismo. Contudo, o autismo não é uma doença relacionada com o cérebro, mas sim uma perturbação do …

"Indivíduos desconhecidos" terão obrigado Marinha a apagar vídeo do incidente do USS Nimitz com um OVNI

Vários membros da Marinha que testemunharam o famoso Incidente do USS Nimitiz, em 2004, disseram que "indivíduos desconhecidos" apareceram depois do acontecimento e obrigaram-nos a apagar as gravações de vídeo. Em novembro de 2004, um porta-aviões …

Coreia do Norte detonou bomba atómica equivalente a 17 "Hiroshimas"

Dados de um satélite japonês revelam que a explosão de um teste nuclear na Coreia do Norte, em 2017, terá sido 17 vezes mais poderosa do que a bomba de Hiroshima. A Coreia do Norte estimou que …

Invenção financiada por Bill Gates pode invisivelmente resolver a malnutrição

Uma invenção financiada por Bill e Melinda Gates pode ser a solução para resolver o problema da malnutrição a nível mundial. O próximo passo é conseguir o apoio dos Governos locais. A malnutrição é um problema …

Com a ajuda de um radar, cientistas revelaram pegadas de mamutes e humanos pré-históricos

Espalhados pelo Monumento Nacional de White Sands, nos Estados Unidos, encontram-se os "rastos fantasma" de mamutes mortos há milhares de anos. Agora, investigadores conseguiram revelar pegadas de humanos. De acordo com o Science Alert, esta descoberta, …

A desertificação está progredir na Índia. Mas a solução pode estar no conhecimento tradicional

Quase 45% da área de Maharashtra está a transformar-se em deserto, assim como uma grande parte da Índia. De acordo com a Organização das Nações Unidas (ONU), o ritmo da desertificação no país é agora …

Um dos videojogos mais famosos do mundo é acusado de propaganda anti-Rússia

Call of Duty é uma das franquias de maior sucesso na história dos videojogos, mas atualmente existem pedidos para boicotar o seu último lançamento devido à descrição de conflitos militares do jogo. Call of Duty: Modern …

Nova aplicação rastreia todos os seus passos em troca de descontos

Todas as pessoas gostam de aproveitar descontos, negócios e saldos. A Miles é uma nova aplicação que lhe oferece isso em troca de algo: a sua privacidade. A app rastreia todos os seus movimentos, disponibilizando descontos …