Cientistas descobrem finalmente mistério do som de pato do fundo do mar

Ari S. Friedlander / BBC

Cientistas acoplaram gravadores às baleias-de-minke para investigar o som

Cientistas acoplaram gravadores às baleias-de-minke para investigar o som

O mistério do estranho som de um grasnar de pato que é emitido do fundo do oceano foi finalmente resolvido, segundo um artigo científico publicado esta semana.

O barulho, apelidado de “bio-pato“, surge sempre no inverno e na primavera, no Oceano Antártico.

No entanto, a sua origem é um mistério para os investigadores desde a década de 1960, há 50 anos.

Recentemente, gravadores acústicos revelaram que o som na verdade é uma espécie de “conversa” entre baleias-de-minke, um mamífero típico da região.

As descobertas foram publicadas na revista científica Biology Letters.

“Foi muito difícil encontrar a origem do sinal”, disse a investigadora Denise Risch, da NOAA, a National Oceanic Atmospheric Administration dos EUA, que liderou o estudo.

NOAA

Denise Risch, investigadora em bio-acústica do NOAA

Denise Risch, investigadora em bio-acústica da NOAA

“Ao longo dos anos, houve várias hipóteses, mas até agora ninguém conseguiu mostrar  que era realmente esta espécie que estava a produzir o som.”

Sons e migrações

O bizarro som foi detectado pela primeira vez por submarinos, há 50 anos.

Na altura, as pessoas que o ouviram ficaram surpreendidas ao descobrir que o som era muito parecido com o grasnar de patos.

Desde então, a baixa frequência foi gravada muitas vezes em águas da Antártida e do oeste da Austrália.

Várias explicações surgiram para o fenómeno – como a de que os sons seriam emitidos por peixes ou embarcações.

Os cientistas dizem agora possuir “provas conclusivas” de que o som é produzido pela baleia-de-minke.

Em 2013, gravadores de som foram colocados em duas baleias da espécie.

“Descobrimos que o som era produzido pelo próprio animal que levava o gravador, ou por outro animal da mesma espécie que estava perto”, diz Denise Risch.

Os investigadores não sabem ainda exactamente como as baleias-de-minke emitem estes sons.

O que se sabe é que os sons gravados foram produzidos quando os animais estavam próximos da superfície – antes de fazerem mergulhos profundos.

O objectivo dos cientistas é agora estudar mais estes animais, que são pouco conhecidos pela ciência, a partir dos sons captados.

“Isso vai permitir-nos identificar os seus padrões migratórios – o momento exacto em que aparecem nas águas da Antártida, e quando saem novamente.”

A equipa vai analisar dados de uma estação do Instituto Alfred Wegener, na Antártida, que há anos que grava sons na região.

Mas este não é o único mistério sonoro decifrado pelos cientistas nos últimos tempos.

Outro som estranho – uma baixa frequência conhecida como The Bloop, em inglês – também foi revelado: era o barulho do gelo na Antártida a partir-se.

 

ZAP / BBC

PARTILHAR

RESPONDER

Já pode "adotar" um pedaço de Notre-Dame para ajudar na sua reconstrução

Uma organização está a dar a oportunidade de o público ajudar na reconstrução de artefactos específicos da catedral de Notre-Dame, em França, que foi parcialmente destruída por um incêndio em 2019. De acordo com a cadeia …

Proporção divina identificada na gerbera

Descobrir como se formam os padrões distintos e omnipresentes das cabeças das flores tem intrigado os cientistas há séculos. Quando se pede a alguém que desenhe um girassol, quase todas as pessoas desenham um grande círculo …

Audi apresenta o novo Q4 e-tron que traz uma autonomia até 520 km

Ainda antes do verão, a Audi vai colocar no mercado o seu primeiro SUV elétrico concebido de raiz e não adaptado a partir de uma plataforma concebida para motores a combustão. O Q4 e-tron destaca-se pela …

Vanuatu em alerta depois de um corpo com covid-19 ter dado à costa

Vanuatu proibiu viagens de e para a sua principal ilha três dias depois de ter dado à costa um corpo de um pescador filipino, que testou positivo à covid-19. De acordo com a Radio New Zealand, …

Cientistas russos querem criar a primeira vacina comestível contra a covid-19

O Instituto de Medicina Experimental de São Petersburgo, na Rússia, anunciou o seu plano de concluir dentro de um ano os testes pré-clínicos da primeira vacina comestível do mundo contra o novo coronavírus. Em entrevista à …

Em plena crise política, o país mais pobre das Américas ainda não recebeu nenhuma vacina

Numa altura em que a maior parte dos países já têm o processo de vacinação a decorrer, o governo do Haiti ainda não garantiu uma única dose da vacina contra o coronavírus. O país mais pobre …

Afinal, Leonardo da Vinci não esculpiu o busto de Flora

Está terminada a controvérsia que durou mais de cem anos após a aquisição do Busto de Flora em 1909, por Wilhelm von Bode. A datação por radiocarbono revelou, recentemente, que a obra não foi …

Crise climática "implacável" intensificou-se em 2020, diz relatório da ONU

Houve uma intensificação "implacável" da crise climática em 2020, com a queda temporária nas emissões de carbono devido ao confinamento a ter um impacto pouco significativo nas concentrações de gases de efeito de estufa, revelou …

Já se sabe o que causou a misteriosa "tempestade de asma", que vitimou dez pessoas em 2016

Em 2016, na cidade de Melbourne, aconteceu o evento de "tempestade de asma" mais grave do mundo. Os cientistas descobriram agora o culpado. No dia 21 de novembro de 2016, as urgências de um hospital em …

Carlos César reivindica papel do PS na construção da democracia e no combate à corrupção

O presidente do PS defendeu, esta segunda-feira, que se deveu ao seu partido o aprofundamento da democracia e os avanços no combate à corrupção, embora admitindo desvios", "erros" e "omissões num ou outro momento da …