Cientistas descobrem a galáxia com oxigénio mais distante do Universo

NAOJ

Esta galáxia alberga muitas estrelas jovens brilhantes, que ionizam o gás existente tanto no interior da galáxia como à sua volta.

Esta galáxia alberga muitas estrelas jovens brilhantes, que ionizam o gás existente tanto no interior da galáxia como à sua volta.

Uma equipa de astrónomos conseguiu detetar oxigénio brilhante numa galáxia distante – a porção de oxigénio mais distante do Universo já encontrada até hoje.

A galáxia SXDF-NB1006-2 está localizada a 13,1 mil milhões de anos-luz do planeta Terra, uma distância tão grande que permite aos cientistas verem a galáxia como ela era apenas 700 milhões de anos após o Big Bang, com um desvio para o vermelho de 7,2.

A descoberta da SXDF-NB1006-2 foi realizada por uma equipa formada por cientistas japoneses, suecos e britânicos, com o auxílio do ALMA (Atacama Large Millimeter/submillimeter Array), e pode ser útil nos estudos sobre a chamada fase de reionização cósmica do Universo.

Antes de começarem a formar-se objetos no Universo, este era repleto de energia de gás neutro.

Contudo, entre 200 e 400 milhões de anos após o Big Bang, esses objetos começaram a emitir luz através de radiação, o que começou a ionizar os gases – a referida fase de reionização cósmica, visto que a ionização original aconteceu até cerca de 380 mil anos depois da grande explosão.

No entanto, pouco se sabe sobre o período de reionização, que durou até o Universo ter cerca de mil milhões de anos. A observação desta nova galáxia pode trazer algumas respostas.

“Procurar por elementos pesados no Universo jovem é uma abordagem essencial para explorar a atividade de formação de estrelas daquele período”, afirma Akio Inoue, da Universidade Osaka Sangyo, do Japão, principal autor do estudo publicado na revista científica Science.

“Estes elementos também nos dão pistas para compreender como as galáxias foram formadas e o que causou a reionização cósmica”, conclui o investigador.

A pesquisa

Os investigadores usaram o observatório Atacama Large Millimeter/submillimeter Array (ALMA), localizado no Chile, para realizar simulações computadorizadas a fim de descobrir se seria possível observar indícios de oxigénio ionizado.

Os cientistas observaram também algumas galáxias mais próximas da Terra e concluíram que essas emissões de oxigénio poderiam ser detetadas mesmo a distâncias muito maiores.

Foi assim que descobriram a SXDF-NB1006-2 e encontraram evidências da presença de oxigénio mesmo em fases muito jovens do Universo.

Segundo os investigadores, o gás encontrado na galáxia distante é cerca de 10 vezes menos abundante do que no Sol.

“A pequena quantidade é esperada porque o Universo ainda era jovem e tinha um breve histórico de formação de estrelas naquela altura”, afirma Naoki Yoshida, da Universidade de Tóquio. “Algo pouco comum pode ter acontecido com esta galáxia. Suspeito que quase todo aquele gás é altamente ionizado”, conclui

Como a SXDF-NB1006-2 tem pouca poeira, a sua intensa luz ultravioleta pode escapar e ionizar uma quantidade considerável de gás do lado de fora da galáxia.

Akio Inoue acredita que a recém-descoberta “poderia ser um protótipo das fontes de luz responsáveis pela reionização cósmica”.

Canal Tech

PARTILHAR

RESPONDER

Cientistas investigam estranho gelo cor-de-rosa num glaciar dos Alpes italianos

Uma equipa de cientistas anunciou esta segunda-feira estar a tentar averiguar a origem de gelo cor-de-rosa num glaciar nos Alpes italianos. O fenómeno deverá ser provocada por algas que aceleram os efeitos das mudanças climáticas. A origem …

Especialistas de 32 países alertam OMS: covid-19 também se transmite pelo ar

Numa carta aberta à Organização Mundial de Saúde, 239 cientistas pedem que a organização reveja as recomendações que tem emitido, alertando para o facto de a covid-19 poder transmitir-se pelo ar. Numa carta dirigida à Organização …

Moreirense 0-0 Sporting | Nulo em jogo de pólvora seca

A 30ª jornada fechou no Minho com um nulo entre Moreirense e Sporting, que continua sem derrotas sob o comando de Rúben Amorim. A formação leonina poderia muito bem ter vencido em Moreira de Cónegos, pois …

Armazém flutuante. A China está a guardar petróleo no mar (e já se sabe porquê)

A China está a guardar uma quantidade épica de petróleo no mar. De acordo com a CNN, o país comprou tanto petróleo estrangeiro a preços baratos que formou um congestionamento maciço de navios-tanque no mar, …

Peregrinos em Meca proibidos de tocar ou beijar a Caaba por causa da covid-19

Os muçulmanos que vão participar na peregrinação a Meca não poderão tocar ou beijar a Caaba nem a "pedra negra", presentes na Grande Mesquita, local considerado como um dos mais sagrados pelo Islão, informaram as …

Países Baixos continuam a abater milhares de martas. 20 quintas afetadas pela pandemia

Esta segunda-feira, as autoridades holandesas abateram milhares de martas em mais duas fazendas onde foram detetados surtos de covid-19. Esta segunda-feira, as autoridades abateram milhares de martas em mais duas fazendas, sendo agora 20 as quintas …

Cientistas criam robô para fazer testes à covid-19 (e proteger os profissionais de saúde)

O Korea Institute of Machinery & Materials (KIMM) desenvolveu um novo robô de coleta remota de amostras que elimina o contacto direto entre os profissionais de saúde e os pacientes, potencialmente infetados com o novo …

"Não use desodorizante". A peculiar estratégia de Berlim para promover o uso de máscaras nos transportes públicos

"Não use desodorizante". Esta é a peculiar campanha adotada pela empresa que controla os transportes públicos em Berlim, na Alemanha, para promover o uso correto de máscaras, evitando assim novos casos de covid-19.  Tal como escreve …

Vírus pode ter estado adormecido antes de surgir na China, diz investigador de Oxford

O novo coronavírus pode ter estado adormecido algures no mundo antes de ter surgido na China, defendeu o investigador da Universidade de Oxford, Tom Jefferson, apontando para várias descobertas de amostras do vírus em Espanha, …

Federer sente falta de Wimbledon. "Deu-me tudo"

Roger Federer admitiu sentir a falta de Wimbledon, o torneio do "Grand Slam" que, se não tivesse sido cancelado devido à pandemia de covid-19, estaria a decorrer em Londres. O tenista suíço Roger Federer admitiu, esta …