Cientistas dão enorme passo na cura da diabetes tipo 1 com células estaminais

Os esforços pela descoberta da cura para a diabetes tipo 1 deram recentemente “um tremendo passo”, afirmaram cientistas da Universidade de Harvard.

A doença ocorre quando o sistema imunológico do corpo humano destrói as células que controlam o nível de açúcar no sangue. Uma equipa da Universidade de Harvard usou células estaminais para produzir centenas de milhares dessas células em laboratório.

Testes em ratos mostraram que estas células podem tratar a doença, procedimento que os especialistas descreveram como “potencialmente um grande avanço médico“.

As células beta produzem no pâncreas insulina, usada pelo organismo para baixar os níveis de açúcar no sangue.

Mas o próprio sistema imunológico do organismo pode voltar-se contra as células beta, as destruindo e deixando a pessoa com uma doença potencialmente fatal, pois o corpo passa a não conseguir regular o nível de açúcar no sangue.

A doença tipo 1 é bastante diferente da diabetes tipo 2, que é de incidência mais comum por ser causada por um estilo de vida pouco saudável.

Cocktail perfeito

harvard.edu

O investigador Doug Melton, da Universidade de Harvard

O investigador Doug Melton, da Universidade de Harvard

A equipa de cientistas de Harvard foi liderada por Doug Melton, que começou a sua busca pela cura da doença quando o seu filho foi diagnosticado, há 23 anos.

Mais tarde, outra filha de Melton foi também diagnosticada com a doença.

Melton está a tentar substituir cerca de 150 milhões de células beta usando células estaminais.

O professor descobriu o cocktail perfeito de agentes químicos para transformar células estaminais de embriões em células beta funcionais.

Testes feitos com ratos – cujos resultados foram publicados na revista científica Cell – mostrou que as células beta produzidas em laboratório podiam produzir insulina e controlar os níveis de açúcar no sangue durante muitos meses.

“Foi gratificante saber que podemos fazer algo que sempre acreditámos ser possível”, diz Melton.

“Estamos actualmente a um passo pré-clínico de cruzar a linha de chegada“.

Os seus filhos, porém, não se mostraram nada impressionados. “Quando eram crianças,  eu disse que ia conseguir uma cura, então eles sempre acharam que eu conseguiria”.

Mudança de rumo

Sarah Johnson, da organização beneficente JDRF, que financiou o estudo, diz à BBC que esta descoberta “não é uma cura, é um grande passo nesse caminho. É um tremendo passo em frente”.

“Substituir as células que produzem insulina e desligar a resposta imunológica que causa a diabetes é um objectivo de longo prazo”.

O professor Chris Mason, um cientista especializado em células estaminais da University College London, diz que “esta tecnologia tem que mostrar que funciona tanto na clínica quando em escala de fabrico”.

“Se isso acontecer, o impacto no tratamento da diabetes será o de uma descoberta revolucionária semelhante aos antibióticos em relação às infecções bacterianas”, diz Mason.

ZAP / BBC

PARTILHAR

RESPONDER

Juventus é campeã pela oitava vez consecutiva. E Ronaldo estava lá

A Juventus conquistou este sábado a Serie A pela oitava vez consecutiva, depois de vencer em casa a Fiorentina por 2-1, em jogo da 33ª jornada. Poucos dias após a eliminação nos quartos de final da …

Coletes Amarelos: novo sábado de violência em Paris

Mobilizados há mais de cinco meses, os "coletes amarelos" voltaram este sábado às ruas para o seu "acto XXIII" marcado por uma nova escalada da tensão entre manifestantes e forças de autoridade. Tiros de gás lacrimogéneo, …

Porto vs Santa Clara | Dragão suficiente assume liderança

O FC Porto venceu hoje o Santa Clara por 1-0, em partida da 30.ª jornada da I Liga portuguesa de futebol, que permite aos ‘dragões' regressarem, à condição, ao comando do campeonato. O FC Porto cumpriu …

Notre-Dame pode não ser a única. Vários monumentos em todo o mundo estão em risco

O incêndio na catedral de Notre-Dame, em Paris, levantou questões sobre a forma como os órgãos responsáveis pelo património cultural realizam políticas de conservação e detetam possíveis problemas. Além disso, a Unesco indicou que vários locais de …

Hubble espreita aglomerado cósmico azul

Os enxames globulares são objetos inerentemente belos, mas o alvo desta imagem do Telescópio Espacial Hubble da NASA/ESA, Messier 3, é frequentemente reconhecido como um dos mais esplêndidos de todos. Contendo, incrivelmente, meio milhão de estrelas, …

Comer carne vermelha (mesmo moderadamente) aumenta risco de cancro do intestino

O maior estudo alguma vez realizado no Reino Unido sugere que devemos reduzir (ainda mais) o consumo de carne vermelha. Um estudo financiado pela Cancer Research UK e desenvolvido pela Universidade de Oxford, no Reino Unido, …

Gémeas alemãs nascem com 3 meses de diferença (e em anos distintos)

Um hospital alemão anunciou na segunda-feira o caso de duas meninas que, apesar de serem gémeas, nasceram com três meses de diferença e em anos distintos. Com apenas 26 semanas de gravidez, a 17 de novembro …

Avião hospital da Luftwaffe levou doze feridos da Madeira para a Alemanha

Doze feridos do acidente com um autocarro turístico partiram hoje do Aeroporto da Madeira, cerca das 12:00, a bordo de um avião alemão equipado com meios hospitalares, com destino a Colónia, após operação de transferência …

Família desalojada e nove casas atingidas em queda de grua no Porto

Uma grua caiu hoje em cima de várias habitações na rua da Corticeira, na zona das Fontainhas, na cidade do Porto, mas não há feridos a registar, disse fonte dos Bombeiros Sapadores do Porto. A grua …

Mulheres são quase metade dos “100 mais influentes” da Time

Há 48 mulheres na lista das 100 personalidades mais influentes do mundo publicada esta quarta-feira pela revista norte-americana Time. A lista, publicada anualmente desde 2004, junta personalidades das mais diferentes áreas distribuídas por cinco categorias: “Pioneiros”, …