/

Cientistas criaram o som mais alto de sempre

O som foi produzido debaixo de água ao fazer colidir minúsculos jatos de água com pulsos de raio-X. O barulho gerado é superior ao do lançamento de um foguete.

A experiência foi realizada como parte de um estudo conduzido por cientistas da Universidade de Stanford e do SLAC National Accelerator Laboratory, e publicado no mês passado na Physical Review Fluids.

As ondas de pressão formaram-se através de reflexões e “desenharam” um padrão geométrico característico que é relacionado, mas diferente, daquele causado por jatos supersónicos.

A intensidade do som gerado era alta o suficiente para potencialmente direcionar a eletricidade de uma cidade inteira. O laser de raios-X do SLAC proporcionou pressões sonoras acima dos 270 decibéis. Como método de comparação, a descolagem de um avião a jato ronda os 120 decibéis.

A experiência mostrou que quando o laser de raios-X atingiu o jato, vaporizou a água ao redor e produziu uma enorme onda de choque. A propagação dessa onde alternava entre altas e baixas pressões e criou cópias de si mesma.

Claudiu Stan / Rutgers University Newark

Onda de choque produzida ao colidir minúsculos jatos de água com pulsos de raio-X.

O Tech Explorist explica que, ao atravessar um certo limiar, a intensidade do som subaquático fez com que a água se transformasse em pequenas bolhas cheias de vapor que imediatamente colapsam.

Ao contrário da temperatura, em que há um mínimo e um máximo absoluto até que se pode levar um objeto, o som não tem ondas de pressão a zero decibéis. Contudo, o meio pelo qual o som se propaga começa a falhar, não permitindo que o som ultrapasse um certo limite.

Isto foi o que se verificou nesta experiência. A pressão criada pelas ondas de choque estava imediatamente abaixo do limiar, sugerindo que estava no limite máximo que um som subaquático pode chegar.

Uma melhor compreensão deste fenómeno pode permitir novas investigações nas áreas da biologia e da ciência dos materiais, levando a medicamentos mais eficazes e materiais mais eficientes.

  ZAP //

Deixe o seu comentário

Your email address will not be published.