Descoberto o caso de canibalismo mais antigo do mundo

As marcas de ferimentos nos fósseis revelam que as trilobites — artrópodes marinhos com mais de 500 milhões de anos — se comiam uns aos outros.

Muito antes de sequer existirem dinossauros na Terra, já existia canibalismo. Um novo estudo publicado na Palaeogeography, Palaeoclimatology, Palaeoecology descobriu o caso de canibalismo mais antigo do mundo conhecido até agora e revelou que as trilobites se comiam umas às outras no fundo do mar no período Cambriano.

As trilobites eram artrópodes marinhos que apareceram pela primeira vez nos registos fósseis há 541 milhões de anos e eram criaturas robustas, com exoesqueletos grossos, o que explica a sua preservação ao longo de milhões de anos.

A pesquisa debruçou-se sobre duas espécies de trilobites — Redlichia takooensis e R. rex — e muitos dos fósseis da R. takooensis tinham marcas de mordidas nas extremidades traseiras. As fezes fossilizadas da espécie R. rex também continham vestígios de outras trilobites, e isto já era conhecido pelos cientistas, que sabiam que esta espécie era predadora.

A surpresa surgiu quando os investigadores encontraram marcas de mordidas também nos R. rex e estes ferimentos provavelmente foram um resultado de canibalismo, revela o Live Science.

Russel Bicknell, paleontólogo e autor do estudo, não acredita que estes ferimentos eram mordidas no sentido tradicional, mas antes que resultavam das espinhas nas pernas dos animais, que eram semelhantes às das lagostas ou caranguejos.

A maioria dos ferimentos eram no abdómen e não na cabeça. Bicknell supõe que este é o caso porque os animais estavam a tentar fugir dos seus predadores, mas sublinha que os fósseis que existem pertencem apenas a animais que conseguiram fugir, não sendo possível analisar os dos animais que foram capturados.

Apesar desta ser a prova mais antiga de canibalismo encontrada até agora, o cientista acredita que o fenómeno já acontecia há muito e que era mais generalizado. “Diria que os artrópodes comiam artrópodes desde o aparecimento dos artrópodes”, atira.

  ZAP //

Deixe o seu comentário

Your email address will not be published.