/

Mão de Deus: camisola de Maradona vendida por 8.5 milhões (e pode nem ser a correcta)

Piyal Adhikary / EPA

Recorde em leilões da Sotheby’s. A camisola pertencia à colecção de Steve Hodge – o inglês que lhe passou a bola involuntariamente, em 1986.

22 de Junho de 1986. Em Portugal assinalava-se o 23.º aniversário da inauguração da Ponte da Arrábida, entre Porto e Vila Nova de Gaia. Mas os olhos de milhões de pessoas estavam no México.

Na capital Cidade do México, no Estádio Azteca, quase 115 mil pessoas assistiram ao vivo ao muito aguardado Argentina-Inglaterra. Um dos duelos dos quartos-de-final do Mundial 1986 de futebol.

A rivalidade entre as duas selecções foi reforçada com motivos políticos (Guerra nas Malvinas). Antes do apito inicial houve confrontos entre adeptos argentinos e ingleses, com alguns a seguirem para o hospital.

Em campo estavam Gary Lineker e…Diego Armando Maradona. O número 10 da Argentina marcou o “golo do século”, ao percorrer metade do campo, fintando cinco futebolistas ingleses nessa jogada, incluindo o guarda-redes Peter Shilton.

No entanto, ainda hoje fala-se mais do outro golo de Maradona nesse jogo, que terminou com a vitória argentina por 2-1.

Quatro minutos antes dessa “obra de arte”, Maradona marcou um golo com a mão. A “mão de Deus”, como ficou conhecido. Não havia vídeo-árbitro, na altura.

Quase 36 anos depois, a camisola que Maradona utilizou nesse jogo histórico foi vendida por quase 8.5 milhões de euros, num leilão da Sotheby’s.

Foi o valor mais alto de sempre na Sotheby’s, em artigos relacionados com desporto.

“Nas semanas posteriores ao anúncio deste leilão, fomos inundados por adeptos de desporto e por coleccionadores. Durante o leilão a emoção foi palpável, o entusiasmo não tinha filtros”, descreveu o director Brahm Wachter, citado pela Sky News.

A camisola pertencia a Steve Hodge, o ex-futebolista inglês que, naquele jogo, passou involuntariamente a bola para Maradona marcar com a mão.

Depois da partida, Hodge e Maradona trocaram de camisola.

A Sotheby’s assegura que a camisola que Steve Hodge tinha é mesmo a que Maradona usou, quando apontou esses dois golos históricos. Até houve uma análise a imagens, realizada por uma empresa independente.

No entanto (e foi por isto que análise foi feita), a filha de Maradona afirmou, numa rádio da Argentina, que a camisola que o inglês tinha em casa foi utilizada pelo seu pai apenas durante a primeira parte – e os dois golos foram marcados na segunda parte.

  Nuno Teixeira da Silva, ZAP //

Deixe o seu comentário

Your email address will not be published.