Buscas no Porto de Setúbal por tráfico internacional de droga. Há quatro detidos

André Areias / Lusa

A Polícia Judiciária (PJ) realizou, esta quinta-feira, buscas no Porto de Setúbal, no âmbito de uma investigação sobre tráfico internacional de droga, havendo já várias detenções, entre as quais de estivadores.

Fonte policial disse à agência Lusa que se trata de uma investigação ao tráfico internacional, num processo em que já tinham sido anteriormente concretizadas detenções e apreensão de droga.

De acordo com a mesma fonte, alegados elementos da rede criminosa eram responsáveis pela retirada de cocaína de contentores no Porto de Setúbal.

Segundo a TVI 24, o alvo principal da operação são estivadores, sob suspeita de conivência com redes internacionais que usam os portos, estrategicamente, como zona de desembarque de grandes quantidades de cocaína proveniente da América do Sul, transportada em porta-contentores, sendo Portugal uma das principais portas de entrada na Europa.

Numa nota enviada à agência Lusa, a Administração do Porto de Setúbal disse que as buscas decorreram no Terminal Multiusos Zona 1, concessionado à TERSADO.

De acordo com a administração aeroportuária, a PJ fez buscas aos cacifos de quatro trabalhadores da empresa de estiva SETULSET, que não pertencem aos quadros da APSS – Administração dos Portos de Setúbal e Sesimbra, SA.

Entretanto, em comunicado, a PJ informou que realizou 21 buscas e deteve quatro homens, “suspeitos de integrarem organização criminosa de cariz transnacional dedicada à introdução, no continente europeu, de grandes quantidades de cocaína proveniente da América Latina”.

Fonte ligada à investigação explicou à Lusa que os detidos são dois antigos estivadores e dois camionistas de empresas que operam fora do Porto de Setúbal, acrescentando que foram constituídos mais de uma dezena de arguidos, um dos quais militar da GNR, suspeito de dar “apoio logístico à organização criminosa”.

Os detidos, “todos cidadãos nacionais e com idades entre os 46 e os 49 anos”, vão ser presentes na tarde de sexta-feira a primeiro interrogatório judicial no Tribunal de Instrução Criminal de Setúbal, para aplicação de medidas de coação, indicou a mesma fonte.

A PJ acrescenta que a “Operação Gancho”, de combate ao tráfico internacional de estupefacientes por via marítima, e que contou com o apoio de várias unidades desta polícia de investigação criminal, foi realizada no âmbito de um “inquérito tutelado pelo Ministério Público de Setúbal, no qual, em data anteriores, se efetuaram várias apreensões de cocaína, no total de mais de duas toneladas daquele tipo de estupefaciente”.

“Uma dessas apreensões ocorreu em agosto do ano passado, quando, num centro logístico a norte de Lisboa, equipas da Polícia Judiciária intercetaram um contentor marítimo proveniente de um país da América Latina que transportava uma carga de caixas de bananas, entre as quais vinham dissimulados cerca de 375 quilogramas de cocaína, tendo, nessa ocasião, sido detidos em flagrante delito quatro homens”, lê-se na nota.

No decurso das buscas hoje realizadas, os inspetores da PJ apreenderam “diversas viaturas automóveis, material informático e de telecomunicações, uma arma de fogo ilegal, dinheiro e diversa documentação com interesse para a prova dos factos em investigação”.

  ZAP // Lusa

Deixe o seu comentário

Your email address will not be published.