Buracos negros podem ressuscitar mortos cósmicos (só para os matar de novo)

ESO/WFI, MPIfR/ESO/APEX/A. Weiss et al., NASA/CXC/CfA/R. Kraft et al.

Os buracos negros são incríveis fenómenos espaciais que não param de nos surpreender. Um grupo de cientistas descobriu agora que alguns buracos negros podem trazer de volta à vida estrelas “zombies” – e destruí-las.

Os buracos negros são objetos “invisíveis” que moram no Espaço, onde a gravidade é tão forte que nem a luz consegue escapar.

Todo os buracos negros até agora encontrados pelos astrónomos são supermassivos – com centenas de milhares ou milhões de vezes a massa do nosso Sol – ou então são “pequenos”, isto é, representam menos 100 vezes a massa do nosso Sol.

Há, contudo, no meio desta escala – onde estariam os buracos negros “intermédios” – uma lacuna. Os especialistas não têm conseguido encontrar estes devoradores de matéria de média dimensões – porém, importa frisar, isto não implica que estes não existam.

Uma equipa de cientistas do Lawrence Livermore National Laboratory, no estado norte-americano da Califórnia, suspeita que os buracos negros de tamanho médio possam ter o tamanho certo para fornecer força gravitacional suficiente para reacender uma estrela anã branca morta – o cadáver estelar de uma estrela com a massa do Sol que acabou por morrer por falta de combustível nuclear.

Para testar a ideia, e de acordo com o que é descrito no artigo publicado no passado mês de setembro na revista The Astrophysical Journal, a equipa conduziu uma série de simulações computorizadas, nas quais testaram dezenas de diferente cenários resultantes de encontros próximos entre as anãs brancas e os buracos negros de médio porte.

Sempre que uma destas estrelas se aproximavam de um buraco negro médio, a estrela reacendia – como se estivesse a voltar à vida.

A força gravitacional do buraco negro poderia fazer com que o material estelar se fundisse em quantidades variadas de cálcio e ferro, produzindo mais fusão e ferro à medida que a estrela se aproximava mais do buraco negro. Este processo – chamado de nucleossíntese – reacenderia a estrela.

A publicação revela ainda que o renascimento da estrela criaria ondas eletromagnéticas fortes que poderiam ser captadas por detetores na órbita próxima da Terra – ou seja, através deste reacendimento poderíamos “ver” onde ocorreu o fenómeno, encontrando assim o buraco negro médio que lhe deu a segunda vida.

“Se as estrelas se alinharem, por assim dizer, uma estrela zoombie poderá servir como farol para uma classe de buracos negros nunca antes detetada“, disse Peter Anninos, físico e autor principal do estudo, citado em comunicado.

No entanto, a estrela recuperada dos mortos cósmicos não viveria para sempre, ou seja, não ficaria a brilhar eternamente. O buraco negro trá-la-ia à vida apenas para rasgar pouco depois – não são os buracos negros fenómenos incríveis?

“À medida que [a estrela] se aproxima do buraco negro, as forças de maré começam a comprimi-la numa direção perpendicular ao plano orbital, reacendendo-a”, disse o físico Rob Hoffman, co-autor do estudo. “Mas, dentro do plano orbital, estas forças gravitacionais esticariam a estrela, fragmentando-a” e condenando-a, novamente, à morte, rematou.

ZAP ZAP // LiveScience

PARTILHAR

4 COMENTÁRIOS

RESPONDER

Com os zoos fechados, tudo serve para entreter uma família de lontras. Até um simples galho de bambu

O confinamento serviu como um lembrete indesejado de que ficar preso dentro de casa sem muito o que fazer pode ser desgastante. O mesmo é verdade para os animais, por isso os jardins zoológicos tiveram …

Uma ilha, cinco géneros. Os Bugis têm palavras para as "cinco maneiras de estar no mundo"

Uma ilha, cinco géneros. O povo Bugis é um poderoso grupo étnico que se destaca pelo reconhecimento de cinco géneros distintos. Na Indonésia, a ilha Sulawesi é a casa de um povo que reconhece cinco …

O "aeroporto do amanhã" está abandonado no meio de um pântano dos Estados Unidos

Era para ser o "aeroporto do amanhã", um centro intercontinental para aviões supersónicos com seis pistas e conexões ferroviárias de alta velocidade para as cidades vizinhas. Hoje, é pouco mais do que uma pista no …

Facebook remove (acidentalmente) página oficial de Ville de Bitche, uma remota cidade francesa

O Facebook apagou a página de Ville de Bitche, uma remota cidade francesa. O município passou um mês a apelar à rede social para repor a página. "Recebemos uma mensagem no Facebook e também percebemos que …

NASA escolheu SpaceX de Elon Musk para a próxima missão tripulada à Lua

Elon Musk fecha contrato de 2,9 mil milhões de dólares para levar o Homem novamente à Lua. O contrato é a mais importante vitória da SpaceX e reforça a posição da empresa como parceira …

Benfica 1-2 Gil Vicente | Galo canta e silencia águia na Luz

STOP. O Gil Vicente visitou na tarde deste sábado o Benfica e saiu do palco da Luz com os três pontos na bagagem e a “cantar de galo”, ao vencer por 2-1, num duelo relativo …

"Longa vida à monarquia." Realeza britânica tende a viver mais três décadas do que a população geral

As diferenças na longevidade de alguns membros da família real em comparação com a população em geral são extremamente grandes, mas não incomuns. O príncipe Filipe, marido da rainha Isabel II e o consorte mais antigo …

Abominável (e falso) Homem das Neves. Líder russo usou Yeti para atrair turistas para a Sibéria

Um dos líderes regionais mais antigos de Vladimir Putin confessou ter encenado avistamentos falsos de Yetis numa tentativa de encorajar o turismo na Sibéria. Aman Tuleev, um dos líderes regionais de longa data do Presidente russo …

Irão já está a enriquecer urânio a 60%

O Irão avisou e já está a cumprir. Menos de uma semana depois de ter acusado Israel de um ataque contra a sua principal central nuclear, o país diz estar a enriquecer urânio com uma …

Salvini vai a julgamento em Itália por bloqueio de migrantes em navio

Matteo Salvini, líder do partido de extrema-direita italiano Liga, vai ser julgado por acusações de sequestro pela sua decisão de impedir o desembarque de 147 migrantes resgatados no Mediterrâneo pela Open Arms, em agosto de …