Brasil desperdiça um dia de aulas por semana

SESI SP / Flickr

-

Os alunos brasileiros perdem em média um dia de aulas por semana devido ao desperdício de tempo na sala de aulas, gastos com atrasos, excesso de tarefas burocráticas (fazer a chamada, limpar o quadro e distribuir trabalhos) e em aulas mal preparadas pelos professores – tempo este que deixa de ser gasto com o ensino dos conteúdos.

Esta foi uma das principais conclusões de um estudo lançado recentemente pelo Banco Mundial que analisou o trabalho de professores na América Latina e o seu impacto sobre a qualidade da aprendizagem, a formação dos alunos e o desempenho desses países em rankings internacionais de educação.

A investigadora Barbara Bruns, uma das autoras do estudo, lembra que o tempo de interação entre aluno e professor é o momento para qual se destinam, em última instância, todos os investimentos em educação. “Nada desse investimento terá impacto na melhoria da aprendizagem, a não ser que tenha impacto sobre o que ocorre na sala de aula”, diz ela.

O Banco Mundial avaliou 15,6 mil salas de aula, mais da metade delas no Brasil (classes dos ensinos básico e secundário em Minas Gerais, Pernambuco e Rio de Janeiro), e calcula que, em média, apenas 64% do tempo das aulas seja usado para transmissão de conteúdo, 20 pontos percentuais abaixo dos padrões internacionais.

Barbara Bruns, em entrevista à BBC, explica que nas salas de aula da América Latina parece haver uma falta de organização por parte dos professores. “Em escolas no leste da Ásia, Japão, Singapura, Finlândia e Alemanha, não se vê professores a chegar à sala de aula sem ter material pronto, sem a perceção de que o tempo é para ser usado para ensinar e manter os alunos empenhados”

A solução passa por aumentar a eficiência dos docentes, que implica uma formação mais focado na prática do ensino. “Na América Latina, há muito pouca ênfase, nos cursos preparatórios, sobre como gerenciar uma sala de aula, como ser um professor eficiente”, explica a especialista.

Barbara Bruns descreve que “os cursos de pedagogia falam muito de filosofia, história da educação, das disciplinas do currículo, mas muito pouco sobre a prática do ensino”, ao contrário, por exemplo, da área da Medicina, onde os futuros médicos dedicam uma parte significativa do seu percurso a observar e a serem orientados.

Outro fator que diferencia a performance dos professores na América Latina dos de outros países com sistemas educacionais mais eficientes é a importância dada ao desempenho. Nos países latinos, por norma, a progressão na carreira depende do tempo de trabalho, ao invés do bom desempenho das suas funções – que em muitos casos nem sequer passa por avaliação.

A especialista afirma que, apesar de tudo, o Brasil está melhor, com várias experiências e inovações promissoras. “Nos 20 anos que estudo o Brasil, pude ver muitos avanços. Mas obviamente há muito a melhorar”, afirma Barbara Bruns.

ZAP / BBC

PARTILHAR

RESPONDER

Estado de Nova Iorque com mais mortes por Covid-19 do que França ou Espanha

Os Estados Unidos registaram 1.252 mortos e 63.913 infetados com o novo coronavírus nas últimas 24 horas, segundo uma contagem independente da Universidade Johns Hopkins. Os últimos números de casos e óbitos registados devido a Covid-19 …

Turistas voltam a viajar, mas optam pelo low-cost

Mesmo num contexto de pandemia mundial o desejo de ir de férias continua vivo. Os turistas voltaram a procurar voos, contudo as opções recaem em percursos de curta distância e mais económicos. Ao longo dos últimos …

Ventura anuncia recandidatura ao Chega e só sai do parlamento quando “metade daquela esquerda" sair

André Ventura anunciou esta noite a recandidatura à liderança do Chega, numa cerimónia em Leiria em que disse que só vai sair do parlamento “quando metade daquela esquerda sair”. “Estamos a fazer uma revolução democrática e …

Esqueletos revelam que fosso entre ricos e pobres começou a abrir-se há 6.600 anos

A análise a ossos encontrados numa sepultura na Polónia mostram que o fosse entre ricos e pobres na Europa começou a abrir-se muito antes daquilo que se pensava. O desaparecimento da classe média é um problema …

Super-Terras quentes podem ter atmosferas metálicas brilhantes

Os cientistas querem perceber porque é que as super-Terras quentes possuem um brilho tão chamativo - e já há uma hipótese em cima da mesa. Os exoplanetas, chamados de super-Terras quentes, podem ser particularmente brilhantes e …

As larvas de peixe-sol são adoráveis (mas crescem e tornam-se gigantescos "nadadores")

Uma equipa de cientistas australianos e neozelandeses descobriram as fases iniciais da larva gigante de peixe-sol. Pela primeira vez, o sequenciamento de ADN identificou as larvas do peixe-sol (Mola alexandrini). O peixe-sol, conhecido cientificamente como Mola …

Telescópio Webb vai estudar Júpiter, os seus anéis e duas intrigantes luas

Júpiter, que tem o nome do rei dos antigos deuses romanos, comanda a sua própria miniversão do nosso Sistema Solar de satélites circundantes; os seus movimentos convenceram Galileu Galileu de que a Terra não era …

Turista danifica escultura do século XIX enquanto posa para fotografia (e é apanhado pelas câmaras de vigilância)

A polícia italiana identificou um austríaco de 50 anos que danificou uma estátua do século XIX num museu em Itália, enquanto posava para uma fotografia. O incidente ocorreu no passado dia 31 de junho, segundo …

Covid-19: Brasil supera as 100.000 mortes

O Brasil ultrapassou hoje a barreira das 100.000 mortes associadas à covid-19, quase cinco meses depois da confirmação do primeiro óbito no país, indicam dados oficiais divulgados pelas secretarias regionais de Saúde. Segundo os mais recentes …

As vacas leiteiras têm relações complexas (que se alteram quando mudam de grupo)

Uma nova investigação levada a cabo por cientistas do Chile e dos Estados Unidos concluiu que as vacas leiteiras vivem em redes sociais complexas que se alteram quando estes animais são movidos para outros grupos.  Para …