Jornalista e perito desaparecidos na Amazónia podem ter sido executados, admite Bolsonaro

2

O Presidente brasileiro, Jair Bolsonaro, desejou na terça-feira que o jornalista britânico e um guia indígena desaparecidos numa zona remota da Amazónia sejam encontrados, admitindo, contudo, que possam ter sido executados.

O jornalista Dom Phillips, colaborador do Guardian, e o funcionário da Fundação Nacional do Índio (Funai) Bruno Araújo Pereira estão desaparecidos desde domingo passado, tendo sido vistos pela última vez no Vale do Javari, uma das áreas mais remotas da Amazónia brasileira.

Ao canal SBT, Bolsonaro referiu que as buscas foram acionadas no domingo. As duas últimas pessoas com quem os exploradores falaram antes do seu desaparecimento – um líder indígena e um pescador – foram ouvidas na segunda-feira, revelou o canal TV Globo. O contacto de ambos com os desaparecidos terá ocorrido no sábado.

“Realmente, duas pessoas num barco, numa região tão selvagem, não é recomendado”, disse Bolsonaro, indicando que naquela área “tudo pode acontecer”. “Pode ter sido um acidente, pode ser que eles tenham sido executados”, afirmou, referindo ainda: “Esperamos e rogamos a Deus que sejam encontrados em breve”.

O Vale do Javari é uma extensa região de rios e selva no coração da Amazónia, na fronteira com o Peru, e abriga o maior número de indígenas isolados do mundo. A área está ameaçada pela pesca e mineração ilegal e nos últimos anos tornou-se uma rota de tráfico de drogas.

Phillips e Araújo, que conheciam a região, viajavam da comunidade de São Rafael para Atalaia do Norte, no Amazonas, onde deveriam ter chegado na manhã de domingo. O indígena foi alvo de ameaças de mineradores ilegais, madeireiros e traficantes que atuam na região, o que levantou receios de um assassinato.

  ZAP / Lusa //

2 Comments

  1. “Tenham” é para quando existe uma remota hipótese de algo ter acontecido. Exemplo: Talvez eles tenham percebido isso, ou aquilo.
    Querendo manter esse verbo, o título pode ficar assim: É provável que o jornalista e perito desaparecidos na Amazónia tenham sido executados, admite Bolsonaro.

  2. Se foram executados a ordem foi dada por Bolsonaro com as políticas selvagens que implementou na Amazónia de proteção aos madeireiros que desvastam a floresta, aos mineradores ilegais e à bandidagem da droga.

Deixe o seu comentário

Your email address will not be published.