Aumentar Função Pública custa 300 milhões por ano, mas Centeno não diz “nunca”

Miguel A. Lopes / Lusa

O ministro das Finanças, Mário Centeno

Aumentar os salários da função pública aumentaria a fatura da despesa com pessoal em cerca de 300 milhões de euros. Mas Centeno afirma que nunca disse nunca “e também não vai ser agora”.

Aumentar os salários em linha com a inflação esperada para 2019, de 1,4%, faria aumentar a fatura da despesa com pessoal em cerca de 300 milhões de euros.

Este montante resultaria das novas previsões do Programa de Estabilidade, entregue na semana passada no Parlamento, explica o Eco, documento no qual o Governo assume que as despesas com pessoal este ano ascendem a 21.716,4 milhões. Se aplicado um aumento de 1,4% a este valor, a fatura com pessoal engorda em cerca de 300 milhões de euros.

No mesmo documento, o Governo admite um aumento de 389,8 milhões de euros, mas para pagar o descongelamento das carreiras que já está em curso.

Mas o ministro das Finanças não põe de lado a possibilidade de aumentar os funcionários públicos no Orçamento de Estado para 2019. À TSF, Mário Centeno não diz “nunca” a este aumento de salários. “Nunca me ouviu dizer a palavra nunca e também não vai ser agora.”

Além disso, Centeno lembra que o programa de recrutamento na Administração Pública vai abrir vagas para uma “área que tem estado muito fechada” em termos de admissões, e que o descongelamento de carreiras vai prosseguir para, pelo menos, 80% dos funcionários públicos.

“No OE para 2019 posso-lhes garantir que o descongelamento das carreiras vai prosseguir. Isso é visível no quadro que foi incluído no Programa de Estabilidade e significa quase 400 milhões de euros de aumento das despesas com o pessoal. Portanto, os funcionários públicos vão ter um aumento no ano que vem, isso é garantido”, afirmou o ministro.

Centeno vai ao encontro das palavras do primeiro-ministro António Costa, que também não exclui em absoluto aumentos salariais na função pública, escreve o Público.

“Desde o início da legislatura, todos os anos os funcionários públicos têm visto a aumentar os seus rendimentos, e assim será para o ano, quanto mais não seja com a prossecução do processo do descongelamento das carreiras”, disse o primeiro-ministro esta segunda-feira, no final da sessão de abertura do seminário dos cônsules honorários na Fundação do Oriente, em Lisboa.

O ano de 2009 foi o último em que houve aumentos, mas até esse ano os aumentos salariais na função pública eram uma constante. A partir de 2010, os funcionários públicos foram confrontados com cortes nas remunerações e congelamento das progressões.

Em 2015, iniciou-se a reversão dos cortes e em 2018 retomaram-se as progressões. Fica agora em aberto de o ano de 2019 trará a possibilidade de se voltarem a aumentar os salários dos funcionários públicos.

ZAP //

PARTILHAR

RESPONDER

Liga espanhola não regressa antes de 28 de maio

O presidente da Liga espanhola, Javier Tebas, disse que o futebol naquele país não regressa antes de 28 de maio, no melhor dos casos, com os campeonatos europeus a discutirem opções para completar a temporada …

Terceiro estado de emergência? "É preciso em abril preparar um maio, maduro maio"

O Presidente da Assembleia da República já deixou antever que o Parlamento irá ter de debater, na próxima semana, uma segunda renovação do estado de emergência. Em declarações ao semanário Expresso, Eduardo Ferro Rodrigues cita uma música do …

Mourinho e jogadores do Tottenham apanhados a quebrar regras de isolamento

O técnico português José Mourinho e três jogadores do Tottenham foram apanhados a quebrar as regras de isolamento social decretadas no Reino Unido, segundo avança o diário britânico The Guardian. De acordo com fotografias e vídeos …

Infetados que furem quarentena podem arriscar prisão preventiva

Em Portugal, o crime de propagação de doença tem uma moldura penal que pode ir até oito anos de prisão, admitindo ainda medidas de coação privativas da liberdade, como é o caso da prisão preventiva. Assim, …

Conquistadores espanhóis usaram técnicas indígenas para construir as suas armas

Um novo estudo concluiu que os invasores espanhóis foram obrigados a aprender com os indígenas da Mesoamérica sobre a produção de cobre. Descobertas arqueológicas em El Manchón, no México, apoiam a ideia de que invasores espanhóis, desesperados …

Açambarcamento de medicamentos por Portugal? "É um total absurdo", diz Infarmed

O Infarmed - Autoridade Nacional do Medicamento e Produtos de Saúde reagiu à acusação feita por uma organização belga, que dizia que Portugal está a fazer um armazenamento excessivo de medicamentos essenciais para o tratamento …

Descoberto âmbar com 40 milhões de anos com duas moscas a acasalar

Há 40 milhões de anos, no supercontinente Gonduana, duas moscas que se encontravam a acasalar viram-se, inesperadamente, numa situação complicada. De alguma forma, este par de moscas de pernas longas (Dolichopodidae) ficou preso na seiva pegajosa …

40 marinheiros do porta-aviões Charles de Gaulle com sintomas de covid-19

Quarenta marinheiros do porta-aviões francês Charles de Gaulle apresentaram recentemente "sintomas compatíveis" com os da infeção pelo novo coronavírus e estão sob "observação médica reforçada", anunciou o Ministério da Defesa. "A partir de hoje, uma equipa …

Medidas para as prisões, apoios às empresas, suspensão de tarifas. Parlamento discute mais de 100 iniciativas

Medidas excecionais para prisões e banca, mais apoios às empresas ou à cultura ou a suspensão de propinas e das tarifas de gás e luz são alguns dos temas que vão passar esta quarta-feira pelo …

Trump tem "interesse financeiro" em farmacêutica que produz hidroxicloroquina (a sua "cura" para a Covid-19)

Donald Trump falou da hidroxicloroquina como uma potencial "cura milagrosa" para a Covid-19, apesar das recomendações contrárias de especialistas e da falta de estudos científicos válidos que confirmem os benefícios da substância. O The New …