Atrasos na Segurança Social deixam emigrantes portugueses na pobreza

Mário Cruz / Lusa

A Associação Raras denunciou que centenas de emigrantes portugueses no Luxemburgo vivem em carência económica e pobreza quase extrema por atrasos da Segurança Social portuguesa.

Diariamente, a Associação Raras, que faz o acompanhamento administrativo a emigrantes portugueses no Luxemburgo, é confrontada com situações de atraso que os serviços em Portugal reconhecem ter um atraso de oito meses, mas que, na realidade, ultrapassa os dois anos, relatou Isabel Ferreira, a presidente da organização luxemburguesa.

“A Associação Raras tem noção destes atrasos há oito anos, podendo afirmar que a situação se agravou muito de há dois anos a esta parte. Está-se a criar pobreza no Luxemburgo, porque as pessoas não recebem o que têm direito e estão numa situação muito complicada”, frisou.

No Luxemburgo, os processos chegam à Associação Raras provenientes de Caixa Nacional Seguro de Pensão (CNAP) e Agência para o Desenvolvimento para o Emprego (ADEM), entidades luxemburguesas, que enviam, em média, “20 dossiês por mês” para aquela organização não-governamental de apoio ao emigrante português no Grã-Ducado.

“Os serviços luxemburgueses recorrem à Associação Raras para acelerar os processos na Segurança Social portuguesa. Temos situações que são as assistentes sociais que nos remetem os emigrantes portugueses porque nem sequer têm direito ao rendimento mínimo garantido, porque existe ainda dependência do desemprego“, explicou Isabel Ferreira.

Desde o início desta década, a Associação Raras monitorizou os dossiês que recebeu e determinou as médias de atraso, com os processos relacionados com a pensão por invalidez em curso durante três anos e alguns dias (1.118 dias).

Os processos de pensão antecipada demoram, em média, 611 dias, enquanto a resolução de dossiês de pensão por velhice realiza-se em 523 dias.

A Associação Raras atribui “a culpa desta problemática à Segurança Social portuguesa, mais precisamente o setor da Caixa Nacional de Pensões, porque tem um programa informático muito desatualizado”.

Isabel Ferreira revelou que “a informatização das carreiras contributivas só existe a partir de 1985” – os registos anteriores estão em arquivos em papel – e esclareceu que a “espera de pedidos feitos por emigrantes portugueses é de dois ou três anos em situação normal”.

Mas se o “processo tiver uma pequena alteração com direitos que existem no Luxemburgo, imediatamente a falta de direitos provocada pelo sistema informático em Portugal, cria-se um muro e o processo não volta mais a ser analisado, não se consegue”.

“Se um emigrante português não tiver carreira contributiva em Portugal, a situação fica resolvida pelas entidades no Luxemburgo em dois meses, no máximo“, exemplificou a responsável da Associação Raras.

“Ainda temos documentos preenchidos de forma manual, documentos que são informatizados e que passam pelas entidades. O programa recusa as alterações processuais”, salientou. Isabel Ferreira notou que “é tudo muito inseguro para quem precisa de beneficiar dos seus direitos” e sublinhou que até “os próprios funcionários se queixam que o programa não ajuda”.

Os funcionários apontam outros problemas dos serviços, pois “levam mais tempo a receber reclamações e a responder a esses pedidos de alterações do que a resolverem processos.

“Temos reclamações que vão quatro ou cinco vezes a um mesmo sítio sem ficarem solucionadas”, disse Isabel Ferreira, acrescentando também o facto de CNAP e ADEM “não conseguirem contactar diretamente as entidades” de Portugal.

“Existem casos em que a ADEM tem 24 emails enviados para a Segurança Social portuguesa. Isto demonstra bem o desespero do gestionário do dossiê. E não há respostas. Comunicar com Portugal é completamente impossível, não vale a pena, não se consegue”, sustentou. Os prejudicados “são os emigrantes portugueses no Luxemburgo, que chegam à Associação Raras num estado de desespero”.

A Associação Raras “contactou já as entidades portuguesas para o atraso” dos pedidos de emigrantes portugueses no Luxemburgo, cerca de 110 mil no total, num país que tem 540 mil habitantes.

// Lusa

PARTILHAR

1 COMENTÁRIO

  1. Ah mas em portugal e tudo lento ate os consulados …a unica coisa que foi modernizada foi autoridade aduaneira e finanças so porque precisam de roubar dinheiro …. O resto e lento isto é um Estado, um sistema contra o povo e o contribuinte ! O resto sao politicas que nao levam a lado algum apenas na colocaçao de tachos…

RESPONDER

Vídeos da Momo causam pânico no Brasil

Pais e mães angustiados debateram intensamente, durante os últimos dias, vídeos infantis que teriam sido "invadidos" pela temida personagem Momo que, supostamente, ensinariam as crianças a usar objectos cortantes em casa para praticarem actos suicidas. Grupos …

Madeira chega a acordo com enfermeiros na recuperação do tempo de serviço

O governo regional da Madeira chegou a acordo com os enfermeiros. O pagamento da verba correspondente aos anos em que o tempo de serviço destes profissionais esteve congelado começa já em maio e prolonga-se até …

Entre a "revolução" e a "bomba eleitoral", Costa amuou

A redução no preço dos passes sociais, que está a ser apontada pelo PSD como uma "bomba eleitoral" do Governo socialista, marcou o debate quinzenal no Parlamento, com António Costa a defender-se, notando que a …

Centeno atira-se ao CDS e acusa-o de "aproveitamento político"

O Ministro das Finanças, Mário Centeno, respondeu ao pedido de audição do CDS a propósito dos impostos europeus e aproveitou a oportunidade para atacar os centristas. Mário Centeno enviou uma carta ao Parlamento, nomeadamente à Secretaria …

PSD acusa Governo de baixar preços dos passes sem ter os transportes

O PSD acusou hoje o Governo de apresentar a redução dos preços dos passes apenas para Lisboa e Porto e sem aumentar os transportes, com o primeiro-ministro a responder que os sociais-democratas são simplesmente contra …

Venezuela, promessas e (muitos) elogios: Trump e Bolsonaro foram feitos um para o outro

Não faltaram sorrisos, elogios nem promessas de cooperação. Os Presidentes das duas maiores economias da América concentraram as atenções na Venezuela. Enquanto Trump prometeu dar apoio à entrada do Brasil na OCDE e na NATO, …

Proposta do PS sobre propaganda política só tem efeitos em 2020

O PS apresentou esta terça-feira um projeto de lei no Parlamento para "clarificar" qual a propaganda política que se pode fazer no período pré-eleições. No entanto, no que toca a 2019, as novas regras - a …

Abertura de barragens pode agravar tragédia em Moçambique. Búzi a horas de ser engolida

Depois do ciclone Idai, há duas novas ameaças na zona da Beira: a abertura das comportas de barragens no Zimbabué e as fortes chuvas que se aproximam. O Zimbabué admite vir a abrir as comportas das …

Ordem dos Médicos contra consultas por telemóvel

O bastonário da Ordem dos Médicos, Miguel Guimarães, afirma ter reservas em relação a consultas por telemóvel, a começar pelo facto de lhe chamarem consultas. Esta terça-feira, arrancou em Lisboa a maior cimeira nacional de tecnologia …

Vítimas de esterilização forçada no Japão vão ser indemnizadas

Estima-se que mais de 16 mil pessoas foram vítimas de esterilização forçada no Japão, devido a uma lei que esteve em vigor entre 1948 e 1996. Só agora haverá direito a indemnizações e a um …