Astrónomos perto de encontrar planeta rico em água como a Terra

NASA Ames / JPL-Caltech

Exoplaneta Kepler-62f com a estrela 62e

Exoplaneta Kepler-62f com a estrela 62e

Os astrónomos estão mais perto de encontrar um planeta rico em água, como a Terra, depois de testarem uma nova tecnologia que detecta breves mudanças na luz das estrelas, revelou o Science World Report.

Com recurso a um espetrógrafo ultrassensível, investigadores financiados pela União Europeia (UE) conseguiram pela primeira vez identificar um planeta rochoso, rico em ferro, a milhares de milhões de quilómetros de distância, um passo considerado crítico na busca de uma terra distante.

O novo aparelho, chamado HARPS-N, tem uma precisão de nano escala e funciona em vácuo, a temperaturas estáveis a um milésimo de grau.

Os investigadores do projeto ETAEARTH, coordenado por Alessandro Sozzetti, do Instituto Nacional de Astrofísica de Itália (INAF), treinaram-no com a Kepler-78, uma estrela a 400 anos-luz de distância, na constelação Cygnus, para capturarem as pequenas flutuações de luz causadas pelo planeta Kepler-78b.

O Kepler-78b foi detetado pela primeira vez em 2013 pela sonda Kepler, que examina o céu noturno em busca de movimentos planetários que periodicamente reduzem a luminosidade de estrelas distantes. As hipóteses de um planeta atravessar a sua linha de visão são de 200 para um, mas o Kepler conseguiu aumentar as probabilidades ao vigiar cerca de 150 mil estrelas.

O Kepler-78b, um planeta que é apenas 20% maior do que a Terra, orbita à enorme velocidade de três rotações por dia. Foi graças a esta órbita apertada que os investigadores da ETAEARTH conseguiram identificar a sua massa e a sua densidade, propriedades difíceis de medir em planetas extrassolares do tamanho da Terra, mas fundamentais para se perceber a sua composição.

Os astrónomos determinam a massa dos planetas distantes, investigando como a sua força gravitacional faz a sua estrela oscilar.

David A. Aguilar / cfa.harvard.

Kepler78b: exoplaneta semelhante à terra

Kepler78b: exoplaneta semelhante à terra

“Quando uma estrela oscila na direção oposta à da Terra, a sua cor torna-se ligeiramente mais vermelha. Quando oscila na nossa direção, muda para o azulado”, disse Lars Buchhave, astrónomo no Centro de Astrofísica de Harvard-Smithsonian em Massachusetts, EUA, que ajudou a calcular a massa do Kepler-78b.

Este fenómeno, chamado efeito Doppler, é usado para medir coisas como a velocidade de um objeto com radar e é uma ferramenta na imagiologia médica.

O espetrógrafo HARPS-N foi montado no telescópio TNG e apontado à Kepler-78 durante 80 noites.

“Foi um grande desafio alcançar esta elevada exatidão, mas no final conseguimos. Sabemos hoje que o Kepler-78b tem apenas 60% mais massa do que a Terra”, acrescentou.

A oscilação Doppler da estrela do Kepler-78b revela que a densidade do planeta é semelhante à da Terra, o que sugere que também ele é composto de rocha e ferro.

Para os cientistas, o simples facto de o Kepler-78b existir significa que a Terra não é única. No entanto, isto não quer dizer que o Kepler-78b seja um planeta que os humanos queiram visitar.

A proximidade do Kepler-78b em relação à sua estrela significa temperaturas tão altas que derretem a rocha na superfície e removem qualquer atmosfera.

Para um planeta poder ter vida, os cientistas acreditam que ele deve situar-se na chamada zona habitável – uma distância precisa relativamente a uma estrela onde a temperatura é a necessária para que a água exista em estado líquido.

Isso significa que a oscilação Doppler da estrela terá de ser muito mais fraca do que a que é provocada pela órbita apertada do Kepler-78b.

O maior problema para os ‘caçadores de planetas’ na busca dessa oscilação é eliminar os efeitos da atividade na superfície da estrela.

“Se conseguirmos resolver esse problema, estaremos numa posição muito melhor para detetar planetas com a massa da Terra a orbitar zonas habitáveis de estrelas do tipo do Sol”, disse Andrew Cameron, que dirige a Escola de Física e Astronomia da Universidade de Saint Andrews no Reino Unido.

Os cientistas estimam que a melhor hipótese de encontrar um planeta parecido com a Terra é focarem-se em estrelas mais pequenas, chamadas estrelas-anãs, em que a zona habitável é mais próxima da estrela, aumentando o efeito Doppler.

“Poderá levar outros dez anos a encontrar um planeta com condições como a Terra e talvez séculos a alcançá-lo”, disse Molinari. “Mas mesmo que só vejamos os primeiros passos desta grande viagem, alguém tem de começá-la”.

/Lusa

PARTILHAR

RESPONDER

FC Porto 4-0 V.Setúbal | Hat-trick e goleada contra a crise

O FC Porto amealhou os seus primeiros pontos no campeonato, ao golear o Vitória de Setúbal por 4-0. Após uma semana difícil em que a palavra “crise” foi diversas vezes utilizada para referir a situação dos …

Há uma nova linha temporal do passado cataclísmico da Terra

Bem-vindos ao Sistema Solar primitivo. Logo após a formação dos planetas há mais de 4,5 mil milhões de anos, a nossa vizinhança cósmica era um lugar caótico. Ondas de cometas, asteroides e até protoplanetas seguiram …

Belenenses 0-2 Benfica | Rafa Silva destrói resistência azul

O Benfica foi ao Jamor vencer o Belenenses por 2-0, num jogo muito complicado para as “águias”, em especial no primeiro tempo, mas que acabou resolvido na etapa complementar. Rafa Silva foi o “abre-latas” de …

Cofundador do Alibaba paga 3,5 mil milhões para ser o único dono dos Brooklyn Nets

O cofundador do Grupo Alibaba, Joseph Tsai, vai pagar mais 3,5 milhões de dólares para ser o único dono da equipa de basquetebol norte-americana Brooklyn Nets, avança esta sexta-feira a Bloomberg. O multimilionário já detinha 49% da equipa, …

Instagram, Facebook e Whatsapp prejudicam saúde mental das crianças

Um estudo de investigadores da University College London demonstra que a utilização de redes sociais como o Instagram, o Facebook e o Whatsapp estão a causar danos ao bem-estar das crianças e jovens. A investigação, cujos …

Clínica da Opus Dei diz que homossexualidade causa gastroenterite

A Clínica Universitária de Navarra, que pertence à prelatura da Opus Dei, defende que a homossexualidade e a promiscuidade são causadoras de gastroenterite. No guia de atuação de urgência sobre esta condição médica, a Clínica Universitária …

Sporting anuncia saída de Bas Dost para o Eintracht de Frankfurt

O goleador holandês Bas Dost está de saída para o Eintracht Frankfurt, anunciou este sábado o Sporting. O clube alemão também já confirmou a transferência. O Sporting anunciou ter chegado a um princípio de acordo com …

Há centenas de esquilos pretos a invadir os Estados Unidos (e já se sabe porquê)

Biólogos do Reino Unido decifraram o mistério de todos os esquilos cinzentos (Sciurus carolinensis) que correm pelos Estados Unidos com pêlo preto. O pouco do código genético que faz com que as espécies de esquilo cinza …

Morreu Marium, o mais famoso dugongo da Tailândia. Comeu plástico

Quando foi resgatado, em abril, tornou-se uma estrela na Tailândia. O dugongo órfão, chamado Marium, acabou por morrer este sábado, devido a uma infeção causada pela ingestão de plástico, de acordo com os veterinários que …

Afinal, "cura milagrosa" para o cancro pode matar

O jornal britânico The Guardian denuncia o esquema do autoproclamado "Genesis II Church of Health and Healing" - que na verdade não é nem uma igreja nem uma instituição de saúde. Este sábado terá lugar em …