Astrónomos descobrem o planeta mais quente do Universo

JPL-Caltech / UCLA / NASA

Uma equipa internacional de astrónomos detetou um planeta fora do Sistema Solar mais quente do que a maioria das estrelas – embora mais frio do que o nosso Sol. Segundo um estudo publicado na revista Nature, é o planeta mais quente conhecido no Universo.

O exoplaneta gigante gasoso KELT-9b é quase três vezes maior do que Júpiter, mas menos denso do que o maior planeta do Sistema Solar, e orbita a estrela maciça KELT-9, localizada a 650 anos-luz da Terra, na constelação do Cisne.

KELT-9b tem uma temperatura diurna que pode chegar aos 4.323,85ºC, sendo por isso mais quente do que a maioria das estrelas. Em relação ao Sol, é mais frio em 926,8ºC, destaca em comunicado a Universidade de Vanderbilt, nos Estados Unidos.

Segundo o estudo publicado esta segunda-feira na revista “Nature”, e em cuja lista de contributos se inclui a do astrónomo amador português João Gregório, a radiação ultravioleta emitida pela KELT-9 é tanta, que o planeta pode estar a evaporar-se, a tal ponto que o planeta tem uma cauda de gás brilhante, como a de um cometa.

É um planeta, segundo as definições típicas baseadas em massa, mas a sua atmosfera é diferente da de qualquer outro planeta que já vimos até agora, devido à sua temperatura durante o dia”, explicou Scott Gaudi, professor de astronomia da The Ohio State University e co-autor do estudo.

JPL-Caltech/R. Hurt (IPAC) / NASA

Conceito de artista do sistema KELT-9, com a sua estrela oblíqua super-quente (esq.) e Kelt-9b, o planeta mais quente conhecido no Universo (dir.)

Conceito de artista do sistema KELT-9, com a sua estrela oblíqua super-quente (esq.) e KELT-9b, o planeta mais quente conhecido no Universo (dir.)

O facto de o KELT-9b ser extremamente quente, no lado que está iluminado, e de estar a ser continuamente bombardeado pela radiação estelar, não permite a formação de moléculas de água, dióxido de carbono e metano, elementos associados à vida.

A razão de o planeta ter uma temperatura tão elevada é o facto de a sua estrela, KELT-9, ter mais do dobro do tamanho do Sol e ser quase tão quente como o Sol. Dada a proximidade entre a órbita do planeta e a estrela, o KELT-9b poderá vir a ser ‘engolido’ pela estrela se esta se expandir.

O KELT-9b foi descoberto pelo método de trânsito, que deteta uma variação da luz causada por um planeta quando transita diante da sua estrela hospedeira, com o auxílio do telescópio KELT-Norte, do Observatório Winer, no Arizona, nos Estados Unidos.

Devido ao seu período extremamente curto, à sua órbita quase polar e ao facto de a sua estrela ser oblíqua em vez de esférica, os especialistas calculam que o planeta ficará fora de visão em cerca de 150 anos – e não voltará a estar visível até daqui a 3500 anos.

ZAP // Lusa / EFE

PARTILHAR

14 COMENTÁRIOS

  1. «Astrónomos descobrem o planeta mais quente do Universo»
    Já o compararam com todos os outros que existem para poder fazer semelhante afirmação? Que falta de sentido crítico…

    • Caro Rui,
      Obrigado pelo seu reparo. No entanto, talvez o excesso de sentido crítico seja tão danoso como a sua falta.
      Sem prejuízo de que clarificamos no texto que foi descoberto “o planeta mais quente conhecido no Universo”, a simplificação informal usada no título é perfeitamente aceitável, compreensível e pacífica.
      “O Homem mais alto do Mundo” é “O Homem mais alto do Mundo”, até se descobrir outro mais alto, e ganha esse título sem que tenha que se comparar a sua altura com a de todos os outros homens do mundo.

  2. Apesar de tudo, não é bem a mesma coisa. No mundo actual, onde já praticamente não existem comunidades completamente isoladas, é perfeitamente plausível que se saiba quem é o homem mais alto do mundo. Já o universo é imenso, com partes que nos são (e serão sempre) inacessíveis.
    É louvável que publiquem artigos de divulgação científica, que necessariamente têm de ter uma linguagem simplificada, mas convém manter algum rigor científico para ajudar as pessoas a perceber a diferença entre a ciência e a fantasia. Quando essa distinção se esbate, aparecem leitores com “pérolas” a misturar mecânica quântica com “consciência cósmica”.

    • Caro Rui,
      Compreendemos perfeitamente o seu ponto de vista. Mas o mais rigoroso dos nossos artigos sobre mecânica quântica não está a salvo da consciência cósmica.
      Orgulhamo-nos de fazer divulgação científica, tentamos fazê-lo da forma mais rigorosa possível, sem deixar de a dirigir também aos mais leigos que nela estejam interessados.
      E se os nossos títulos por vezes são simplistas, para mais facilmente fazer chegar esse esforço aos leitores nele interessados, não deixam por isso os textos em si de ser rigorosos – tanto quanto sabemos fazê-los.

  3. É incrível uma notícia destas destinada a leitores portuguses ignorar que um dos descobridores é português, o astrónomo amador João Gregório que é co-autor do artigo!! Será que em Portugal só valem os 3 “F”, Futebol, Fátima e fado?

    • Caro Januário Bettencourt,
      Obrigado pelo se reparo. Efectivamente, da lista de autores indicada no artigo não consta o João Gregório, cujo contributo é listado no entanto na lista de contribuições – informação que acrescentámos à nossa notícia.

  4. “(…) os especialistas calculam que o planeta ficará fora de visão em cerca de 150 anos – não voltará a estar visível até daqui a 3500 anos” – Alguém consegue explicar estes cálculos? Eu não consegui!

    • Acho que o problema é a nível do Português. Quando dizem “o planeta ficará fora de visão em cerca de 150 anos” eu inicialmente percebi que o planeta iria ficar invisível durante 150 anos. Por isso o prazo seguinte (3500 anos) entrava em contradição grosseira com o primeiro valor. No entanto, o que pretendiam dizer seria – “daqui a 150 anos o planeta ficará invisível durante 3500 anos”.

  5. “KELT-9b tem uma temperatura diurna que pode chegar aos 4.323,85ºC”, gostei dos 0,85ºC, esses astrónomos têm de virar os telescópios espaciais para a Terra para ver se passam a acertar melhor nas previsões meteorológicas para o nosso planeta.

  6. Ainda gostava de saber quem foi o «cientista» que foi lá medir a temperatura….. para ter um valor «tão» exato…. com aqueles 0,85ºC……. quem for a ver foi com um termómetro digital feito pelos chineses… LOL

RESPONDER

Role play ao serviço da Ciência. Investigadores fingem ser Neandertais para estudar caça a aves

Uma equipa de investigadores espanhóis decidiu adotar a "dramatização" científica para reconstruir um novo elemento do comportamento Neandertal: a cooperação com os membros do grupo enquanto usa fogo e ferramentas para caçar gralhas no interior …

Estoril 0-1 Sporting | Figueira deu o fruto que saciou o leão

Foi preciso surgir um erro crasso do guarda-redes estorilista (até então a fazer uma belíssima exibição) para o campeão nacional poder respirar de alívio e festejar a quarta vitória na Liga, esquecendo por agora a …

A tinta mais branca do mundo ajuda a poupar energia nas casas - e pode eliminar de vez o ar condicionado

Uma equipa de investigadores da Universidade de Purdue desenvolveu uma tinta tão branca que revestir um prédio com ela pode reduzir, ou até mesmo eliminar, a necessidade de ter ar condicionado. Depois de testar mais de …

Costa promete "lição exemplar" à Galp depois de "tanto disparate" em Matosinhos

O secretário-geral do PS, António Costa, considerou hoje que “era difícil imaginar tanto disparate, tanta asneira, tanta insensibilidade” como a Galp demonstrou no encerramento da refinaria de Matosinhos, prometendo uma “lição exemplar” à empresa. Falando em …

Porto 5-0 Moreirense | Días, Taremi e Fábio, o trio maravilha

O Porto foi o primeiro dos “grandes” a entrar em campo e deu o mote, e que mote. Os “dragões” receberam o Moreirense e golearam sem apelo nem agravo, por 5-0, graças a uma segunda …

Ronaldo volta a marcar pelo United em jogo com final frenético

O português Cristiano Ronaldo voltou hoje a marcar pelo Manchester United, mas foram Lingaard e David de Gea que ‘brilharam’ na vitória sobre o West Ham, por 2-1, em jogo da quinta jornada da Liga …

O Cumbre Vieja, num dos complexos vulcânicos mais ativos nas Canárias, entrou em erupção

O vulcão Cumbre Vieja, na ilha espanhola de La Palma, entrou hoje em erupção na zona de Las Manchas, depois de mais de uma semana em que foram registados milhares de sismos na região. Na zona, …

Portugal regista 677 novos casos de covid-19 e cinco mortes

Portugal registou, este domingo, 677 novos casos e cinco mortes na sequência da infeção por covid-19, de acordo com o boletim epidemiológico da Direção-Geral da Saúde (DGS). Segundo o último boletim da Direção-Geral da Saúde, Portugal …

Estudo mostra como diferentes espécies de polvos coexistem no mesmo ambiente

Existem mais de 300 espécies de polvos a viver em diversos habitats que abrangem recifes de coral, leitos de ervas marinhas, planícies de areia e regiões de gelo polar. Mas de que forma cefalópodes tão …

As máquinas estão "muito longe" de serem mais inteligentes (mas muito perto de agir como pessoas)

A especialista em inteligência artificial Daniela Braga considera que as máquinas estão "muito longe" de substituírem totalmente os humanos ou serem mais inteligentes, mas estão "muito perto" de interagirem como as pessoas. "Acho que estamos muito …