Astrónomos captam rajadas de raios gama com maior grau de detalhes já visto

ESO/A. Roquette

Imagem de uma explosão de raios gama captada pelo Observatório Europeu do Sul em 2009

Uma equipa internacional de cientistas conseguiu captar, com um grau de detalhe sem precedentes, rajadas de raios gama, a luz mais energética conhecida, segundo um estudo publicado nesta quarta-feira pela revista “Nature”.

A pesquisa, liderada pela Universidade de Maryland (MUD), nos EUA, detectou essa emissão através do uso de telescópios espaciais e terrestres, e esses dados permitiram descrever com grande precisão um dos fenómenos astrofísicos mais enigmáticos.

As rajadas de raios gama podem durar entre poucos milésimos de segundos até aproximadamente um minuto, o que torna muito difícil o seu estudo.

A equipa de especialistas que batizou esta emissão de raios gama de “GRB160625B”, obteve detalhes chave sobre a sua fase inicial “rápida” de rajadas, bem como da evolução dos grandes jatos de matéria e energia gerados pelas primeiras explosões.

“As rajadas de raios gama são eventos catastróficos, vinculados às explosões de estrelas enormes, 50 vezes maiores que o nosso sol”, explica em comunicado Eleonora Troja, do departamento de astronomia da UMD.

Se fosse elaborada uma lista das explosões mais poderosas ocorridas no Universo, indica a especialista, as de raios gama estariam logo a seguir ao “Big Bang”.

“Numa questão de segundos, este processo pode emitir tanta energia como aquela que foi emanada por uma estrela do tamanho do nosso sol durante toda a sua existência. Estamos muito interessados em aprender como é que isto é possível”, apontou Eleonora.

Enquanto tentam desvendar todos os seus mistérios, os cientistas conseguiram as primeiras pistas sobre como é que as rajadas de raios gama evoluem e deixam de ser uma estrela moribunda e se transformam num buraco negro.

Os dados obtidos constatam que o buraco negro gera um forte campo magnético que, inicialmente, controla as citadas emissões de jatos de energia. Quando esse campo magnético desaparece, a matéria controla o processo e começa a dirigir a actividade dos jatos de energia.

Até agora, a maioria da comunidade científica acreditava que essas emissões de energia eram controladas pela matéria ou pelo campo magnético, mas nunca por ambos.

“Obtivemos provas sobre ambos os modelos, o que sugere que os jatos das rajadas de raios gama têm uma natureza dual, híbrida“, afirma Eleonora.

O estudo também aponta que a “radiação sincrotrónica” – produzida por eletrões acelerados no campo magnético da Via Láctea a velocidades próximas à da luz – é o motor da “rápida” fase inicial da explosão da “GRB160625B”, que se caracteriza pela sua extrema luminosidade.

“A radiação sincrotrónica é o único mecanismo de emissão que pode gerar o mesmo grau de polarização e o mesmo espectro que observamos no começo da rajada de raios gama”, acrescentou a cientista, que descartou assim os outros dois candidatos considerados até agora pelos astrónomos – a “radiação de corpos negros” e a “radiação inversa Compton”.

A primeira é resultado da emissão de calor por parte de um objeto, enquanto a segunda aparece quando uma partícula acelerada transfere energia a um fotão.

“O nosso estudo apresenta provas convincentes de que a fase inicial rápida das rajadas de raios gama é provocada pela radiação sincrotrónica. Esta é uma descoberta importante porque, apesar de décadas de investigações, o mecanismo físico que o gera não tinha sido identificado de maneira inequívoca”, destacou Eleonora.

ZAP // EFE

PARTILHAR

RESPONDER

A longo prazo, o distanciamento social pode até ser melhor para a economia

O isolamento social durante uma pandemia, como é o caso da covid-19, que já fez mais de 48.000 vítimas mortais por tudo o mundo, pode revelar-se melhor para a economia a longo prazo, revelou uma …

Elon Musk doou 1.000 ventiladores a hospitais (mas eram do tipo errado)

Nos últimos dias, Elon Musk, CEO da Tesla, recebeu muitos elogios por ter doado mil ventiladores a hospitais da Califórnia, que enfrentam um número esmagador de casos de coronavírus. Porém, os ventiladores não eram do …

Coronavírus pode replicar-se na boca e nariz durante uma semana antes de infetar pulmões

O coronavírus pode permanecer e replicar-se na boca e no nariz durante uma semana antes de infetar aos pulmões, à traqueia e aos brônquios, revela um estudo, que mostra igualmente que é expulso do organismo …

PSP vai utilizar câmaras portáteis em drones no estado de emergência

A PSP vai utilizar 20 câmaras portáteis de videovigilância, 18 das quais vão ser instaladas em ‘drones’, durante o estado de emergência devido à pandemia de covid-19, anunciou esta quinta-feira o Ministério da Administração Interna …

Em Nova Iorque, prisioneiros são usados para cavar valas comuns

Nova Iorque está a oferecer seis dólares por hora e material de proteção individual aos prisioneiros de Rikers Island que aceitem ajudar a cavar valas comuns. Projeções da Fundação Gates apontam que, em Nova Iorque, o …

EUA estará a pagar para desviar carregamentos de máscaras adquiridas por França

As autoridades francesas estão a acusar os Estados Unidos de terem pago para desviar um carregamento de máscaras faciais oriundo da China. Este episódio é apenas mais um na saga sobre a escassez de máscaras de …

Cerca de 1200 reclusos podem vir a ser libertados

Cerca de 1200 reclusos podem vir a ser libertados antecipadamente para prevenir a propagação da pandemia de covid-19 no meio prisional, revelou esta quinta-feira a ministra da Justiça, Francisca Van Dunem, em declarações à RTP3. A …

OMS e EUA ponderam alargar recomendação para uso de máscaras

A Organização Mundial de Saúde (OMS) vai reavaliar as suas recomendações sobre o uso de máscaras para prevenir a contaminação com covid-19, disse esta quinta-feira o presidente do grupo de especialistas que vai discutir o …

Covid-19. Mais de 95% das vítimas mortais na Europa tinham mais de 60 anos

O diretor regional para a Europa da Organização Mundial de Saúde (OMS), Hans Kluge, revelou esta quinta-fera que mais de 95% das vítimas mortais da covid-19 na Europa têm mais de 60 anos de idade. Em …

Curva portuguesa mostra abrandamento de novos casos (mas é preciso "cautela")

Portugal tem assistido desde o dia 25 de março a um abrandamento do aumento percentual diário de novos casos de covid-19, segundo dados divulgados pelo Barómetro Covid-19 da Escola Nacional de Saúde Pública (ENSP). Segundo Carla …