Asteróides à espreita na sombra de Júpiter podem ser ameaça oculta para a Terra

NASA / JPL-Caltech

Um grupo de asteróides e cometas escondidos na sombra de Júpiter pode representar uma ameaça oculta para a Terra, revelou um novo estudo.

De acordo com a nova publicação, cujos resultados foram esta semana publicados na revista científica especializada Monthly Notices of the Royal Astronomical Society, estas rochas espaciais, quando sujeitas a mudanças fortes nas suas órbitas, podem colidir com a Terra e/ou com os seus vizinhos.

Os cientistas conseguiram identificar pelo menos um destes corpos escondidos na sombra de Júpiter que poderá sofrer uma mudança orbital deste tipo.

Tal como explicaram os especialistas, é muito importante identificar e monitorizar com bastante antecedência estes e outros corpos potencialmente perigosos para a Terra.

Como maior mundo do Sistema Solar, Júpiter esconde muitos asteróides e cometas na sua sombra. Alguns deles, como é o caso das suas luas, estão gravitacionalmente ligados ao planeta, explica o portal Space.com.

Outros há que seguem uma órbita semelhante à de Júpiter em torno do sol. Para estes, uma alta inclinação ou um ângulo com o plano de Sistema Solar a mais de 40 graus, está ligada a uma baixa excentricidade, o que lhes confere uma órbita quase circular.

O novo estudo aponta o que aconteceria caso estes objetos mudassem a sua inclinação para alta excentricidade, isto é, criando uma órbita mais oval. De acordo com os cientistas, esta mudança implicaria más notícias para a Terra.

“Apontamos a possibilidade de populações de asteróides potencialmente perigosos e não detetadas existam em locais de alta inclinação desses objetos”, afirmou o Kenta Oshima, cientista do Observatório Astronómico Nacional do Japão, citado pela Europa Press.

Para já, não há qualquer perigo, uma vez que as órbitas destes objetos escondidos se encontram estáveis. Contudo, alertam os cientistas, uma mudança no plano orbital pode representar uma eventual colisão com a Terra ou com os mundos vizinhos.

“Vale a pena manter um olho nestes objetos, principalmente para os catalogar para ter um censo e conhecer melhor o tamanho real dessa população potencialmente perigosa”, disse Carlos de la Fuente Marcos, que estuda as dinâmicas do Sistema Solar na Universidade de Madrid, em Espanha, em declarações ao Space.com.

“Se forem numerosos, o perigo pode ser potencialmente alto, mas se forem escassos, o perigo pode ser completamente insignificante“, concluiu, dando conta que ainda não se sabe quantos destes corpos existem.

ZAP //

PARTILHAR

RESPONDER

China atrasou partilha de mapa genético do novo coronavírus com a OMS

As autoridades chinesas atrasaram mais de uma semana a publicação do genoma do novo coronavírus, após vários laboratórios públicos o terem descodificado, privando a OMS de informação essencial para combater a pandemia, noticia esta terça-feira …

Mosaico romano do século III d.C encontrado intacto no norte de Itália

O piso de um mosaico romano, que os especialistas acreditam ser do século III d.C, foi encontrado intacto em Verona, cidade no norte de Itália. Depois de várias escavações fracassadas, o piso ornamentado foi encontrado junto …

Em 2012, Passos Coelho teve um "paraministro". Costa achou "um escândalo"

Enquanto primeiro-ministro, Pedro Passos Coelho entregou três dossiês ao então responsável da Goldman Sachs e do FMI, António Borges. António Costa achou "um escândalo". Em 2012, o então primeiro-ministro Pedro Passos Coelho entregou a António Borges …

Deputados obrigados a usar máscara mesmo nas intervenções orais no Parlamento

A Assembleia da República pediu um parecer à Direção-Geral da Saúde (DGS) sobre a opção de retirar a máscara durante as intervenções parlamentares. A partir desta semana, os deputados serão obrigatórios a manter a máscara …

Grávidas com covid-19 podem ter um maior risco de lesões na placenta

As mulheres que contraem a covid-19 durante a gravidez podem correr um maior risco de sofrer lesões na placenta, concluiu uma nova investigação. Comparativamente com as mulheres não infetadas com o novo coronavírus, as mulheres infetadas …

George Floyd morreu devido a asfixia, revela autópsia independente

A autópsia pedida pela família de George Floyd revelou que o afro-americano morreu de asfixia devido à compressão do pescoço e das costas quando um polícia de Minneapolis o pressionou contra o chão com o …

Bolsonaro falou com Trump sobre participação do Brasil no "novo G7". Canadá rejeita incluir Rússia

O Presidente brasileiro, Jair Bolsonaro, disse na segunda-feira que conversou com o seu homólogo dos Estados Unidos sobre a possibilidade de o Brasil fazer parte do novo modelo de G7 proposto por Donald Trump. “Conversei, na …

Estar à beira da morte é uma experiência feliz (e a razão pode estar no cérebro)

A comunidade científica tenta há muito tempo entender o motivo pelo qual as experiências de quase-morte (EQM) são descritas como "pacíficas" ou "felizes". Christof Koch, cientista do Instituto Allen de Ciêncis do Cérebro, considera que a …

Cientistas propõem desviar asteróides perigosos com naves cheias de rochas

Uma equipa de cientistas do Centro Nacional de Ciências Espaciais (NSSC) da Academia Chinesa apresentou uma nova técnica para desviar asteróides potencialmente perigosos da Terra. A nova técnica consiste numa nave espacial que é capaz de …

Astrónomos descobrem nova classe de explosões cósmicas

Os astrónomos descobriram dois objetos que, somados a um objeto estranho descoberto em 2018, constituem uma nova classe de explosões cósmicas. O novo tipo de explosão partilha algumas características com as explosões de supernova de estrelas …