Ver compulsivamente a sua série favorita está a prejudicar o ambiente

Os serviços de streaming de vídeo como Netflix, Apple TV+ e Disney+ estão em ascensão. Mas as suas emissões de carbono também.

As noites de cinema que o obrigavam a dirigir-se a um blockbuster chegaram ao fim. Agora, há vários serviços de streaming a oferecer inúmeras opções, à distância de um clique. No entanto, há um custo ambiental elevado a pagar.

Ver a uma série de meia hora resulta em emissões de 1,6 kg do equivalente ao dióxido de carbono, adiantou Maxime Efoui-Hess, do French think tank the Shift Project. Este valor é o equivalente a conduzir 6,28 quilómetros.

No ano passado, o streaming de vídeo online produziu emissões equivalentes às emissões produzidas pela Espanha, um valor que pode duplicar nos próximos seis anos, segundo o Shift Project.

A maior parte do tráfego online (34%) está relacionada a vídeos – na Netflix, Amazon Prime e Hulu, por exemplo – e o segundo maior setor é a pornografia online. “Os vídeos digitais vêm em tamanhos muito grandes e estão a ficar maiores a cada nova geração de vídeos em alta definição”, disse Gary Cook, do Greenpeace, citado pelo Phys.org.

“Uma maior quantidade de dados equivale a mais energia necessária para manter um sistema pronto para transmitir o vídeo no seu dispositivo a qualquer momento”, acrescentou Cook.

Grande parte da energia necessária para os serviços de streaming é consumida pelo data center, que entrega os dados ao seu computador ou dispositivo. Estes data centers contribuem com cerca de 0,3% de todas as emissões de carbono, de acordo com um artigo científico publicado na Nature.

“Para que o consumo de energia permaneça estável nos próximos cinco a 10 anos, é necessário melhorar significativamente o desempenho energético dos equipamentos de TI e do data center ou diminuir o nosso próprio apetite”, disse Dale Sartor, do Centro de Especialização em Data Centers, vinculado ao Departamento de Energia dos EUA.

Anders Andrae, da Huawei Technologies, disse à AFP que estimou que os equipamentos podem consumir até 4,1% da eletricidade global até 2030. Além disso, o tráfego de vídeo deve aumentar quatro vezes de 2017 a 2022 e responder por 80% de todo o tráfego da Internet até 2022, de acordo com a Rede CISCO.

A Netflix, por exemplo, continua a expandir-se globalmente – a empresa registou um aumento de 53% na receita internacional de assinaturas de streaming entre 2017 e 2018. Já a Disney e a Apple lançaram os seus próprios serviços de streaming este ano.

Para aumentar o problema, os equipamentos usados estão a ficar cada vez maiores – o tamanho médio da tela passou de 22 polegadas (55 centímetros) em 1997 para 50 polegadas em 2021, segundo a Consumer Technology Association.

Os especialistas sugerem que os espectadores desativem a reprodução automática e vejam as suas séries favoritas com Wi-Fi e em formatos de baixa definição. O pior cenário, informa o Phys-org, é ver com uma conexão 3G num dispositivo móvel.

“O exercício da responsabilidade coletiva, com indivíduos a exigir que os gigantes da Internet façam a transição rápida dos seus data centers para energia renovável, tem sido o maior impulsionador até agora”, remata Cook.

ZAP //

PARTILHAR

RESPONDER

Rui Rio vence segunda volta. Líder reeleito quer "estabilidade, lealdade e unidade"

O presidente social-democrata, Rui Rio, afirmou hoje que espera poder “trabalhar com estabilidade e lealdade”, recusou que o PSD esteja “partido” e vincou estar “a iniciar o momento para marcar a unidade” no partido. O líder …

Gatos não se importam de comer pessoas mortas (e há um estudo que mostra como o fazem)

Uma nova investigação analisou como é que dois gatos selvagens se alimentaram de cadáveres humanos. Os animais mostraram preferência por corpos específicos ao longo de vários dias. No Forensic Investigation Research Station, no estado norte-americano do …

"Árvores dinossauro". Bombeiros australianos conseguiram salvar floresta pré-histórica

Os bombeiros australianos conseguiram salvar dos incêndios uma floresta com árvores pré-históricas localizada no sudeste do país, anunciou o Governo. Em causa estão árvores da espécie Wollemia nobilis, vulgarmente conhecidas como Pinheiro de Wollemi, que se …

Príncipe Harry e Meghan renunciam aos títulos da realeza

O Palácio de Buckingham anunciou, este sábado, um acordo em que o príncipe Harry e a sua mulher renunciaram aos respetivos títulos, abandonando os deveres enquanto membros seniores da família real do Reino Unido e …

Polaris Slingshot chega ao mercado com um sistema de transmissão inovador

A nova versão do Polaris Slingshot vem equipado com um sistema de transmissão que mescla a condução do manual com o conforto do automático. Para quem não conhece o Polaris Slingshot, apresentado pela primeira vez em …

Turistas estão a invadir Hallstatt, a aldeia austríaca que terá inspirado "Frozen"

Considerado Património Mundial pela UNESCO desde 1997, Hallstatt, na Áustria, possui apenas 778 moradores e tem uma sequência de casas em estilo alpino. Em 2010, antes do lançamento do primeiro filme da Disney, "Frozen", a cidade …

Teerão vai enviar caixa negra do avião abatido para a Ucrânia

O Irão vai enviar para a Ucrânia as gravações da caixa negra do avião ucraniano que abateu acidentalmente, na semana passada, para que sejam sujeitas a análises adicionais. Hassan Rezaeifer, chefe de investigações de acidentes do …

António Folha já não é treinador do Portimonense

O treinador apresentou a demissão do comando técnico do Portimonense, este sábado, depois de perder na deslocação ao lanterna-vermelha Desportivo das Aves, por 3-0. "Antes de me fazerem qualquer pergunta sobre o jogo, queria transmitir que …

Há pombos cowboys em Las Vegas (e voluntários estão a tentar salvá-los)

Por alguma razão, alguém decidiu colar chapéus vermelhos minúsculos de cowboy em pombos de Las Vegas, nos Estados Unidos. Agora, a equipa do Lofty Hopes Pigeon Rescue está a tentar salvá-los. Há uma missão para resgatar …

Youtube encaminha milhões de utilizadores para desinformação climática

Os algoritmos do YouTube estão a encaminhar milhões de utilizadores de vídeos de empresas para a desinformação sobre as alterações climáticas, através de serviços de publicidade online, de acordo com uma investigação da comunidade virtual …